You are currently browsing the monthly archive for março 2009.

As meninas do Clã chegando longe

As meninas do Clã chegando longe

As meninas do Clã Brasil, que fizeram um show lindo no Paulo Pontes, domingo, são destaque na revista IstoÉ desta semana. A matéria é sobre o 1º Festival Internacional da Sanfona, que foi realizado há algumas semanas em Juazeiro (BA) e Petrolina (PE), e destaca uma nova geração da sanfona que vem surgindo aí. E, nela, está a nossa Lucy, claro – ou “a bela paraibana Lucyane”, como diz a matéria (nada mais que a verdade, diga-se).

O fato é que o Clã é, pra mim, o que há de melhor na música produzida na Paraíba hoje. Reúne em doses muito boas entretenimento, grande empatia com o público, excelente gosto no repertório, extrema perícia com os instrumentos e muito charme. Elas lançaram domingo o novo CD, Clã Brasil Canta Dominguinhos, e gravaram o DVD – com a presença do Seu Domingos, dando a bênção à pupila Lucy.

Marilyn (Sugar) e Lemmon (Joe - ou melhor, Daphne)

Marilyn (Sugar) e Lemmon (Joe - ou melhor, Daphne)

“Veja só isso! Olha como se mexe! É como se fosse geléia!”, diz Jerry, ou melhor “Geraldine”, a Joe, ou melhor “Josephine”, personagens de Jack Lemmon e Tony Curtis, devidamente vestidos de mulher, em Quanto Mais Quente Melhor (1959), o filme americano mais engraçado de todos os tempos segundo o American Film Insitute e que ontem completou 50 anos de seu lançamento. Quem se mexe como geléia é Marilyn Monroe, que será a tentação para que os dois músicos – que estão fugindo de gangsters – revelem seus disfarces.

Logo em seguida, “Geraldine” muda o nome para “Daphne” (“Eu nunca gostei do nome Geraldine”) – apenas um das muitas reviravoltas rocambolescos do genial filme de Billy Wilder. O filme começa na Chicago de 1929, com gangsters a cada esquina, e vai parar em Miami. E o tom é das comédias malucas dos anos 1930, com ecos do cinema mudo.

Joe e Jerry são músicos de jazz que, ao testemunharem por acidente o famoso “massacre do dia de São Valentim”, têm como única opção de fuga pegar as vagas disponíveis em uma big band feminina que está indo para Miami. A crooner, claro, é a insinuante Sugar Kane (Marilyn), doidinha para fisgar um ricaço.

E a Flórida está cheia de candidatos, incluindo Osgood Fielding III (o impágável Joe E. Brown), que se apaixona de cara por Daphne. Outras confusões virão, com fingimentos para todos os lados. Um primor de roteiro de Wilder e I.A.L. Diamond.

Marilyn, que estava grávida durante as filmagens, quase enlouqueceu Billy Wilder nas filmagens tornando necessários dezenas de takes para dizer frases simples. Não é exagero: para acertar a fala “It’s me, Sugar” foram 47 tomadas. Fora os atrasos. Wilder depois diria que trabalhar com Marilyn era um inferno, mas tudo compensava quando o filme era revelado e projetado e todos podiam ver a magia tomar forma.

Há um grande número de cenas antológicas, como Daphne e Sugar tendo uma “noite de garotas” numa cabine do trem (que logo está cheia de outras instrumentistas), Sugar tentando seduzir Junior (na verdade, Joe fingindo ser um milionário impotente), o engraçadíssimo tango entre Osgood e Daphne e o encanto da “moça” depois de ser pedida em casamento. E, claro, o final, da frase clássica “Ninguém é perfeito”.

Quanto Mais Quente Melhor foi um dos filmes a jogar uma pá de cal no já combalido Código de Produção que estava em vigor em Hollywood desde 1934 – e que obrigava, entre outras coisas, a casais dormirem em camas separadas nos filmes. O filme de Billy Wilder brincava não só com o sexo, mas também com um tema tabu na época – o homossexualismo. Este pode até não ser um filme perfeito – afinal, nenhum é – mas que este chega bem perto, chega.

A Pequena Loja dos Horrores (Little Shop of Horrors, 1986). Direção de Frank Oz; roteiro de Howard Ashman, baseado no musical de sua autoria, por sua vez baseado no roteiro de Charles B. Griffith para o filme de 1960. Música “Suddenly, Seymour” de Howard Ashman e Alan Menken.

Não precisa de maquiagem, não tem que fingir

"Não precisa de maquiagem, não tem que fingir"

Testemunhado por um côro formado por um trio de cantoras, o tímido funcionário de uma decadente loja de plantas Seymour Krelborn (Rick Moranin) – que encontrou uma planta estranha que se alimenta de sangue e cresce espantosamente – é apaixonado por uma colega, a voluptuosa Audrey Fulquard (Ellen Greene), tanto que deu o nome de Audrey II ao vegetal. Ela, porém, sofre nas mãos do namorado sádico, um dentista (Steve Martin), que acaba devorado pela planta. Com o caminho livre, o tímido Seymour tenta consolar a frágil Audrey, no beco atrás da loja.

SEYMOUR – Levante a cabeça, limpe sua máscara.
Use meu Kleenex, tire esse batom.

Ela aceita e enxuga as lágrimas.

SEYMOUR – Me mostre seu rosto limpo como a manhã.
Sei que as coisas estavam mal, mas agora estão bem.

Ele se levanta, confiante.

SEYMOUR – De repente, Seymour está do seu lado.
Não precisa de maquiagem, não tem que fingir.
De repente, Seymour está aqui para te dar
Doce compreensão. Seymour é seu amigo.

Audrey se levanta e se afasta.

AUDREY – Ninguém nunca me tratou gentilmente.
Papai nos deixou cedo, mamãe era pobre.
Conheci um homem e o segui cegamente.
Ele estalou os dedos pra mim. Eu disse: “Claro”.

Ela se vira para ele.

AUDREY – De repente, Seymour está do meu lado.
Ele não me dá ordens, e ele não se rebaixa.

Eles se olham e se aproximam lentamente.

AUDREY – De repente, Seymour está aqui para me dar
Doce compreensão. Seymour é meu amigo.

SEYMOUR – Diga que este sentimento vai ser para sempre.
Diga que os tempos ruins foram limpos, lavados.

Ela corre, assustada, e sobe uma escada até uma saída dos fundos.

AUDREY – Por favor, entenda que é ainda estranho e assustador.
Para perdedores como sempre fui, é difícil dizer.

Lá de cima, ela volta-se para ele.

AUDREY – De repente, Seymour…

SEYMOUR E O CÔRO – De repente, Seymour…

AUDREY – …Ele me purifica.

SEYMOUR E O CÔRO – …Ele te purifica.

AUDREY – De repente, Seymour, me mostra que eu posso…

SEYMOUR E O CÔRO – Sim, você pode!

Seymour sobe a escada correndo e eles ficam lado a lado.

AUDREY E SEYMOUR – …Aprender como ser mais que a garota que está dentro de mim…

SEYMOUR – …Com doce compreensão,…

AUDREY – …Com doce compreensão,…

SEYMOUR – …Com doce compreensão,…

AUDREY – …Com doce compreensão,…

AUDREY E SEYMOUR – … Com doce compreensão!
Seymour é meu homem!

E eles se beijam apaixonadamente, com direito a pôr-do-sol ao fundo.

*Abaixo do vídeo, a versão original da letra.

SEYMOUR:
Lift up your head.
Wash off your mascara.
Here take my Kleenex,
Wipe that lipstick away.

Show me your face
Clean as the morning.
I know things were bad,
But now they’re ok.

Suddenly, Seymour
Is standing beside you.
You don’t need no make-up,
Don’t have to pretend.

Suddenly, Seymour
Is here to provide you
Sweet understanding.
Seymour’s your friend.

AUDREY:
Nobody ever
Treated me kindly.
Daddy left early,
Mama was poor.

I’d met a man
And I’d follow him blindly.
He’d snap his fingers in me,
I’d said: “sure”.

Suddenly, Seymour
Is standing beside me.
He don’t give me orders,
He don’t condescend.

Suddenly, Seymour
Is here to provide me
Sweet understanding.
Seymour’s my friend.

SEYMOUR:
Tell me this feeling
Lasts till forever.
Tell me the bad times
Are clean washed away.

AUDREY:
Please understand that
It’s still strange and frightened.
For losers like I’ve been,
It’s so hard to say.

Suddenly, Seymour,
He purified me. (He purifieds you)
Suddenly, Seymour,
Showed me I can

Learn how to be more (yes, you can!)
The girl that’s inside me
With sweet understanding,
With sweet understanding,
With sweet understanding
Seymour’s my man (your man)!

Declaração anterior: Simplesmente Amor

1 - Monica Bellucci (A Paixão de Cristo)

Monica Bellucci em “A Paixão de Cristo”

1 – MONICA BELLUCCI, por A Paixão de Cristo

Anteriormente em Musas retroativas: 13ª em 1992, por Drácula de Bram Stoker; 1ª em 2000, por Malèna; 19ª em 2001, por Pacto dos Lobos; 3ª em 2002, por Irreversível e Asterix e Obelix – Missão Cleópatra; 16ª em 2003, por Matrix Reloaded, Matrix Revolutions e Lágrimas do SolPosteriormente em Musas retroativas11ª em 2007, por Mandando Bala.

Uma musa não precisa tirar a roupa para chegar ao Olimpo. A prova é Monica Bellucci, uma das mulheres que mais se vê pelada no cinema e está cobertíssima da cabeça aos pés em A Paixão de Cristo. Kate Winslet, outra que não faz cerimônia, também não tira a roupa em Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças. O mesmo vale para Paz Vega, que havia dado um show de nudez em Lucía e o Sexo (e foi a campeã de 2001), mas aparece comportadinha em Espanglês. E elas foram as mais suspirantes musas de 2004 – o trio do pódio. Mas na quarta posição, o efeito é justamente o contrário: a tradicionalmente recatada Natalie Portman se mostra bastante em Closer. Neste ano, duas representantes brasileiras: Camila Morgado, por Olga, e Débora Falabella, por A Dona da História. Vale lembrar que, com o bicampeonato, Monica é uma das quatro únicas atrizes a ganhar em dois anos (as outras viriam a ser Michelle Pfeiffer, Diane Keaton e Elizabeth Taylor). Última aparição: Virginia Madsen, Julie Delpy, Catherine Zeta-Jones, Jennifer Lopez, Angelina Jolie, Charlize Theron, Débora Falabella, Débora Secco, Gwyneth Paltrow. Única aparição: Elisha Cuthbert, Diane Kruger, Catalina Sandino Moreno, Camila Morgado, Kerry Washington. Brasileiras na lista: Débora Falabella, Deborah Secco.

2 - Kate Winslet ("Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças")

Kate Winslet em “Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças”

2 – KATE WINSLET, por Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças

Anteriormente em Musas retroativas: 3ª em 1994, por Almas Gêmeas; 11ª em 1995, por Razão e Sensibilidade; 6ª em 1996, por Hamlet; 5ª em 1997, por Titanic; 6ª em 2000, por Contos Proibidos do Marquês de Sade. Posteriormente em Musas retroativas: 1ª em 2006, por Pecados Íntimos e por O Amor Não Tira Férias; 4ª em 2008, por O Leitor e por Foi Apenas um Sonho.

3 - Paz Vega ("Espanglês")

Paz Vega em “Espanglês”

3 – PAZ VEGA, por Espanglês

Anteriormente em Musas retroativas: 1ª em 2001, por Lucia e o Sexo; 4ª em 2002, por O Outro Lado da CamaPosteriormente em Musas retroativas: 20ª em 2008, por The Spirit – O Filme e por De Caso com o Inimigo.

Natalie Portman em “Closer – Perto Demais”

4 – NATALIE PORTMAN, por Closer – Perto Demais

Anteriormente em Musas retroativas: 12ª em 2003, por Cold Mountain. Posteriormente em Musas retroativas: 18ª em 2005, por V de Vingança e por Star Wars – A Vingança do Sith; 16ª em 2006, por Paris, Te Amo e por As Sombras de Goya; 9ª em 2007, por Um Beijo Roubado; 12ª em 2009, por Entre Irmãos e por As Coisas Impossíveis do Amor.

3 - Elisha Cuthbert (Show de Vizinha)

Elisha Cuthbert em “Show de Vizinha”

5 – ELISHA CUTHBERT, por Show de Vizinha

4 - Diane Kruger ("Tróia" e, também, "A Lenda do Tesouro Perdido")

Diane Kruger em “Tróia”

Diane Kruger em "A Lenda do Tesouro Perdido"

Diane Kruger em “A Lenda do Tesouro Perdido”

6 – DIANE KRUGER, por Tróia e por A Lenda do Tesouro Perdido

Virginia Madsen em “Sideways – Entre umas e Outras”

7 – VIRGINIA MADSEN, por Sideways – Entre umas e Outras

Anteriormente em Musas retroativas: 14ª em 1990, por The Hot Spot – Um Local Muito Quente.

5 - Julie Delpy ("Antes do Pôr-do-Sol")

Julie Delpy em “Antes do Pôr-do-Sol”

8 – JULIE DELPY, por Antes do Pôr-do-Sol

Anteriormente em Musas retroativas: 16ª em 1991, por Filhos da Guerra e por O Viajante; 16ª em 1994, por A Igualdade É Branca; 9ª em 1995, por Antes do Amanhecer.

7 - Uma Thurman ("Kill Bill - Vol. 2")

Uma Thurman em “Kill Bill – Vol. 2”

9 – UMA THURMAN, por Kill Bill – Vol. 2

Anteriormente em Musas retroativas: 3ª em 1988, por As Aventuras do Barão Munchausen e por Ligações Perigosas; 1ª em 1990, por Henry & June; 13ª em 1994, por Pulp Fiction – Tempo de Violência; 12ª em 1996, por Feito Cães e Gatos; 6ª em 1998, por Os Vingadores; 6ª em 2003, por Kill Bill – Vol. 1. Posteriormente em Musas retroativas: 8ª em 2005, por Os Produtores e por Be Cool – O Outro Nome do Jogo.

8 - Kirsten Dunst ("Homem-Aranha 2")

Kirsten Dunst em “Homem-Aranha 2”

10 – KIRSTEN DUNST, por Homem-Aranha 2

Anteriormente em Musas retroativas: 15ª em 1999, por As Virgens Suicidas; 13ª em 2002, por Homem-Aranha. Posteriormente em Musas retroativas: 15ª em 2005, por Tudo Acontece em Elizabethtown; 18ª em 2007, por Homem-Aranha 3.

Catalina Sandino Moreno em “Maria Cheia de Graça”

11 – CATALINA SANDINO MORENO, por Maria Cheia de Graça

9 - Camila Morgado ("Olga")

Camila Morgado em “Olga”

12 – CAMILA MORGADO, por Olga

10 - Catherine Zeta-Jones ("Doze Homens e Outro Segredo" e, também, "O Terminal")

Catherine Zeta-Jones em “Doze Homens e Outro Segredo”

Catherine Zeta-Jones em "O Terminal"

Catherine Zeta-Jones em “O Terminal”

13 – CATHERINE ZETA-JONES, por Doze Homens e Outro Segredo e por O Terminal

Anteriormente em Musas retroativas: 1ª em 1998, por A Máscara do Zorro; 3ª em 1999, por Armadilha e por A Casa Amaldiçoada; 6ª em 2002, por Chicago.

Menção honrosa: Jennifer Lopez ("Dança Comigo?")

Jennifer Lopez em “Dança Comigo?”

14 – JENNIFER LOPEZ, por Dança Comigo?

Anteriormente em Musas retroativas: 9ª em 1998, por Irresistível Paixão.

11 - Angelina Jolie ("Roubando Vidas")

Angelina Jolie em “Roubando Vidas”

15 – ANGELINA JOLIE, por Roubando Vidas

Anteriormente em Musas retroativas: 3ª em 1998, por Gia – Fama e Destruição; 13ª em 1999, por Garota, Interrompida; 7ª em 2001, por Pecado Original e por Lara Croft, Tomb Raider.

Charlize Theron em "Três Vidas e um Destino"

Charlize Theron em “Três Vidas e um Destino”

16 – CHARLIZE THERON, por Três Vidas e um Destino

Anteriormente em Musas retroativas: 19ª em 1996, por Contrato de Risco e por The Wonders – O Sonho Não Acabou; 6ª em 1997, por Advogado do Diabo; 5ª em 1999, por Regras da Vida; 8ª em 2000, por Jogo Duro.

12 - Débora Falabella ("A Dona da História")

Débora Falabella em “A Dona da História”

17 – DÉBORA FALABELLA, por A Dona da História

Anteriormente em Musas retroativas: 15ª em 2003, por Lisbela e o Prisioneiro.

Deborah Secco em “Meu Tio Matou um Cara”

18 – DEBORAH SECCO, por Meu Tio Matou um Cara

Anteriormente em Musas retroativas: 18ª em 2000, por Caramuru – A Invenção do Brasil.

14- Gwyneth Paltrow ("Capitão Sky e o Mundo de Amanhã")

Gwyneth Paltrow em “Capitão Sky e o Mundo do Amanhã”

19 – GWYNETH PALTROW, por Capitão Sky e o Mundo do Amanhã

Anteriormente em Musas retroativas: 17ª em 1996, por Emma; 7ª em 1998, por Shakespeare Apaixonado; 14ª em 2000, por Duets – Vem Cantar Comigo.

Kerry Washington em “Ray”

20 – KERRY WASHINGTON, por Ray

Musas de 2003 <<
>> Musas de 2005

>> Cinema em JP/ Musas de 2005 (começa aqui a lista paralela, referente apenas aos filmes exibidos nos cinema de João Pessoa)

– Ele Não Está Tão a Fim de Você: Um filme que é baseado em um best seller de auto-ajuda não parece muito promissor. Na história, uma garota (Ginnifer Goodwin) leva um cano de um rapaz que ela conheceu e gostou na noite anterior. O procura e encontra o colega de quarto dele (Justin Long), que resolve dizer a moça umas verdades sobre os homens. É só a ponta de uma ciranda amorosa do tipo “fulana-gosta-de-beltrano-que-ama-sicrana”. Mas – ahá! – o elenco feminino é de primeira: Jennifer Connelly, Scarlett Johansson, Jennifer Aniston e Drew Barrymore estão no filme.
No Box Manaíra 6 (sex. a seg. e qua.: 13h, 15h50, 18h35, 21h20; ter. e qui.: 15h50, 18h35, 21h20).

Monstros vs. Alienígenas: O fim de semana também tem a pré-estréia da nova animação da Dreamworks.
No Box Manaíra 3 (sab. e dom.: 16h15, 18h25) e no Tambiá Shopping 5 (sab. e dom.: 13h50, 15h40).

95. Nastassja Kinski

A musa cult em seu grande ano, 1984, em "Os Amantes de Maria"

A musa cult em seu grande ano, 1984, em "Os Amantes de Maria"

Houve um tempo em que se dizia: “Qualquer filme com Nastassja Kinski merece ser visto”. Nunca antes na história desta arte uma frase foi tão posta à prova. A belíssima atriz alemã encantou os cinéfilos em vários filmes nos anos 1970 e 1980, mas há cerca de 15 anos sua filmografia prima por produções inacreditavelmente de terceira. Suspenses fajutos, filmes de ação que parecem feitos direto para vídeo… Nada que em condições normais chamaria qualquer atenção – mas confesso que o nome de Natassja no elenco já dá vontade de dar uma olhada. Ainda não arrisquei, mas um dia, quem sabe?… Porque os filmes que Nastassja estrelou em seu tempo áureo, primeiro como ninfeta filmando com Wim Wenders (em Movimento em Falso, 1975) e Polanski (em Tess, 1978), quando ainda era pouco mais do que a filha de Klaus Kinski (com quem teve uma relação conturbada). Depois, virou a musa cult, com um dos rostos mais lindos que o cinema já viu: dirigida por Coppola (em O Fundo do Coração, 1982), os irmãos Taviani (Noites com Sol, 1990), Mike Figgis (Por uma Noite Apenas, 1997), de novo Wim Wenders (em Paris, Texas, 1984, e Tão Longe, Tão Perto, 1993), Tony Richardson (em Hotel Muito Louco, 1984), Andrei Konchalovsky (Os Amantes de Maria, 1984) – 1984 foi seu grande ano. E, claro, não a esquecemos de patinhas amarradas na cama na cena antológica de A Marca da Pantera (1982).

Nasceu em: Berlim, Alemanha Ocidental (hoje, Alemanha), 1959 (outras fontes dizem 1961).
Vá atrás: Uma Filha para o Diabo (1976); Tentação Proibida (1978); Tess (1979); O Fundo do Coração (1982); A Marca da Pantera (1982); Hotel Muito Louco (1984); Infielmente Tua (1984); Paris, Texas (1984); Os Amantes de Maria (1984); Noites com Sol (1990); Por uma Noite Apenas (1997); Seus Amigos, Seus Vizinhos (1998).

Cena abaixo: a cena da cabine em Paris, Texas


Atriz anterior: Audrey Tautou

Morando com João Gilberto

Tudo parecia tão róseo naquele começo de ano que João Gilberto nem se abalou quando Sérgio Ricardo também lhe pediu que fosse morar em outro lugar. João passava o dia dormindo na sala e Sérgio achava que isto constrangia seus pais e sua irmã, que viviam com ele. Era como se João Gilberto fosse uma peteca, que se jogava para lá e para cá. Mas, desta vez, a extração foi sem dor. João pegou seus tarecos, enfiou-os numa mala 3×4 e foi para onde, como logo descobriu, deveria ter ido há muito tempo: o apartamento de Ronaldo Bôscoli na rua Otaviano Hudson.

No quarto-e-sala de Ronaldo, do tamanho de uma casa de boneca, moravam agora, em tempo integral, Bôscoli, Chico Feitosa, João Gilberto e o amável moleque-de-recados (1,80m, seiscentos watts de potência na voz) Luís Carlos Dragão. Os quatro já bastariam para tornar o lugar ligeiramente crowdy, quase uma cena de Uma noite na ópera com os irmãos Marx, mas o quórum era engrossado com freqüência pela presença de um contra-regra da TV Continental, Luís Carlos Miéle, cuja barba ocupava um espaço extra. Miéle, que só tinha uma calça, embora fosse uma calça de smoking, estava se tornando uma atração fixa do apartamento.

Apesar desta explosão populacional, João Gilberto sentia-se confortável. Por exemplo: ocupava o banheiro por um mínimo de duas horas, toda vez que entrava nele. Os outros não eram mesquinhos de se importar com isto — desciam à rua e iam fazer no botequim. E, se fosse preciso, até dividiriam com ele suas escovas de dentes. Sua chegada bagunçou o fuso horário do apartamento. Como João Gilberto só dava expediente à noite, os outros o acompanhavam acordados madrugada adentro, ouvindo-o falar e cantar como se ele fosse fazer um voto de silêncio perpétuo a partir do dia seguinte. A diferença era a de que, às nove da manhã, João Gilberto resolvia ir dormir, enquanto Ronaldo, Feitosa e Miéle saíam direto para o trabalho. Bôscoli era repórter da Manchete e fazia um frila como redator de contracapas e do material de imprensa da Odeon.

Numa das raras vezes em que conseguiu dormir e acordar em hora decente — porque iria participar de um almoço com o presidente JK no velho prédio da Manchete, na rua Frei Caneca —, Bôscoli teve uma surpresa: na hora de sair, procurou seu melhor terno e não o encontrou. Deu também pela falta de João Gilberto. Ele não voltara da rua. Nem ele, nem o terno. Quando ficou sabendo que João precisara do terno para ir cantar em São Paulo, Ronaldo decidiu tomar providências: vestiu seu segundo melhor terno (o que já usava todo dia) e foi almoçar com Juscelino.

chega-de-saudade2 chega-de-saudade2
Chega de Saudade, de Ruy Castro
Companhia das Letras

A segunda parte da entrevista publicada no dia 15. Há mais, mas agora só em julho (mês do cinqüentenário) quando a outra parte da matéria for publicada no Jornal da Paraíba.

***

Um quase japonês

Vítima da estrutura de festas

Vítima da estrutura de festas

Consolidada há anos, a Turma da Mônica extrapolou o noticiário reservado aos quadrinhos com a aposta mais recente da Maurício de Sousa Produções: a Turma da Mônica Jovem. Depois de mais de 40 anos com os personagens se mantendo entre os seis, sete anos, a nova revista os apresenta aos 16 enquanto as aventuras tradicionais continuam sendo vividas nas revistas já existentes. Não só isso, mas Mônica e companhia aparecem em versão mangá – ou “semimangá”, como diz Maurício de Sousa na entrevista ao JORNAL DA PARAÍBA.

“A Turma da Mônica Jovem é um projeto antigo”, conta o quadrinhista. “O número zero (que saiu encartado nas revistas de linha) é um material feito há cinco anos, ainda sem o estilo mangá. A opção pelo mangá foi tomada pouco antes de começar a produção”.

Ele conta que um dos motivos foi o centenário da imigração japonesa. “Sou casado com uma nissei (Alice Takeda, artefinalista e que também está na direção do estúdio). Conheço bastante esse universo”, conta. Além disso, 8% da população de Mogi das Cruzes, onde Maurício cresceu, é de japoneses ou descendentes. “O pessoal até diz que sou um pouco japonês”, brinca. A identificação não para aí: um de seus grandes amigos no mundo dos quadrinhos foi Osamu Tesuka (criador de A Princesa e o Cavaleiro) e ele viajou várias vezes ao país para o lançamento do Horácio.

Mas as razões não foram só essas. “A decisão foi estratégica e política”, revela. “A criançada estava migrando da Turma da Mônica para o mangá e como a infância está diminuindo de tempo e aumentando de ntensidade, o que acontecia aos 14 anos, começou a acontecer aos 10”. Ele conta que muitos leitores retornam já jovens, ou até adultos, por causa dos filhos. “Mas temos um buraco aí de uns dez anos longe do meu público. Optei então por buscar um estilo ‘semimangá’”, explica.

A Turma da Mônica adolescente e num estilo japonês foi um grande assunto. Sites e jornais dedicaram atenção e o primeiro beijo entre Mônica e Cebolinha, no número 4, bateu nos 400 mil exemplares. Turma da Mônica Jovem chegou a figurar por várias semanas na lista dos livros mais vendidos segundo O Estado de S. Paulo. Uma repercussão que não surpreendeu Maurício mais do que outro detalhe.

“O que eu não esperava – e é sintomático isso – é o sucesso com a criançada pequena. Crianças de sete anos dormem com a revista nos braços, como se fosse uma boneca”, diz ele. “Temos três tipos de leitor: os adultos, que querem ver o que fizeram com seus ídolos de infância; os adolescentes, que pode ser apenas para criticar, mas compram; e a criançada, que se projeta nos personagens para ver como ela será daqui a alguns anos”.

Assim, Maurício entrou no ano de seu cinquentenário por cima. O estúdio não pára, no entanto, e o quadrinhista tem muitos planos editoriais. Entre outras coisas, muitos livros e edições especiais resgatando produções do início de sua carreira. As comemorações estão sendo preparadas – e ele nem sabe totalmente como serão. Quando completou 70 anos, em outubro, Maurício só descobriu na banca a edição comemorativa de Mônica que o estúdio tramou pelas costas dele.

“Você sabe que eu estou sendo vítima da minha estrutura de festas”, brinca. “Sei que estão tramando alguma coisa. Desta vez não vou ficar quieto: vou investigar, nem que tenha que grampear os telefones ou sei lá”. Ele desconfia que deve haver uma exposição de seus trabalhos e está preparando uma edição comemorativa para julho, mês do cinquentenário. “Vai ter um almanaque”, confirma. “Mas nunca saiu nada parecido. Será uma grande edição com muita foto histórica do estúdio”.

* Publicado no Jornal da Paraíba, de 15 de março de 2009.

Maurício de Sousa: parte 1
Maurício de Sousa: parte 3
Maurício de Sousa: parte 4

Simplesmente Amor (Love Actually, 2003). Direção e roteiro de Richard Curtis.

"Meu coração arrasado amará você"

“Meu coração arrasado amará você”

Juliet (Keira Knightley) e Peter (Chiwetel Ejiofor) são recém-casados. Apesar de ajudar no que pode, durante a cerimônia de casamento e os dias que se seguem, o melhor amigo de Peter, Mark (Andrew Lincoln), parece ter muitas reservas com relação à noiva. Até o dia em que ela descobre que Mark, na verdade, é apaixonado por ela e é por isso que ele vem tentando evitar a todo custo um maior contato com ela. Na noite de Natal, Peter e Juliet estão em casa assistindo TV, quando a campainha toca. Juliet vai atender. Quando abre a porta, Mark está lá.

JULIET (primeiro surpresa, e depois sorrindo) – Oh. Oi!

PETER (lá da sala) – Quem é?

Com um aparelho de som portátil numa mão e um monte de cartazes na outra, ele faz sinal de silêncio. E mostra um cartaz.

“Diga ‘côro de Natal'”.

Curiosa, sem entender bem o que está havendo, ela obedece.

JULIET – É um côro de Natal!

PETER (lá da sala) – Dá uma libra pra eles e os mande embora!

Mark põe o aparelho de som no chão e liga. A música é um côro cantando “Silent night” (ou “Noite feliz”). Ela aguarda para ver o que acontece. Ele tira o cartaz da frente e mostra outro, que está atrás. E faz isso sucessivamente.

“Com sorte, no ano que vem…”

“…estarei saindo com uma dessas garotas…”

O cartaz seguinte mostra fotos de supermodelos. Ela dá uma risadinha, mas segura o riso e espera o que vem a seguir.

“Mas, por enquanto, me deixe dizer…”

“…sem esperanças nem planos…”

Ela agora, mais séria, apenas aguarda.

“…só porque é Natal…”

“…(e no Natal se fala a verdade)…”

“…que, para mim, você é perfeita”

Ela olha para ele, algo desconcertada. Ele, ao contrário, está calmo e seguro de si.

“…E meu coração arrasado amará você…”

“…até que você fique assim…”

O cartaz seguinte mostra uma múmia egípcia. Juliet dá outra risadinha.

“Feliz Natal”

Ela sussura de volta.

JULIET – Feliz Natal…

Era o último cartaz. Mark faz apenas um sinal de positivo com as mãos, recolhe tudo rápido e vai embora pela rua. Não demora, Juliet corre atrás dele. E o beija levemente. E, sem palavras, agradece tanto amor.

Depois, ela corre de volta para casa. E ele segue seu caminho.

MARK – Chega. Agora chega.

Declaração anterior: Bonequinha de Luxo

Uma das melhores coisas de ser um jornalista de cultura é o possível contato com pessoas cujo trabalho você admira demais. Já fiz entrevistas que gostei demais, frente a frente (Débora Colker, Bete Mendes, Laís Bodanzky…), por telefone (Ruy Castro, Andréa Beltrão…) ou por e-mail (Fernando Meirelles). Vou começar a postá-las aqui, começando pela mais recente e uma das mais importantes pra mim: Maurício de Sousa, falando sobre seus 50 anos de carreira.

Maurício faz parte da minha vida desde criança – como de todo brasileiro, dá pra dizer. Aprendi a ler com as historinhas da Turma da Mônica e nunca deixei de ler, a cada fase com um interesse diferente. Hoje, sou particularmente ligado nas histórias clássicas e compro religiosamente as coleções As Tiras Clássicas da Turma da Mônica, com tiras dos anos 1960, e Turma da Mônica – Coleção Histórica, com gibis dos anos 1970 e 1980.

Sempre quis, claro, conhecê-lo. E conversar com ele por 50 minutos ao telefone foi o máximo.

***

O plano infalível do Maurício

No Horácio, só ele põe a mão

No Horácio, só ele põe a mão

Se um garoto não é muito chegado a um banho, logo ganha o apelido de Cascão. E uma menina come mais que as amigas ou tem uma predileção por melancias, não dá outra: é a Magali da turma. Qual criança ou adulto no Brasil não conhece Mônica, Cebolinha e seus amigos? O alcance das criações de Maurício de Sousa, que completa este ano 50 anos de carreira, é impressionante e ele sabe disso, mas garante que o sucesso não foi por acaso, na conversa por telefone com o repórter do JORNAL DA PARAÍBA: desde o começo, sabia que queria trabalhar com HQ e como faria para alcançar seu sonho.  “Eu já me preparava para fazer tiras, fazer mais de uma e distribui-las”, lembra.

“Quando vim de Mogi das Cruzes para São Paulo, com meus desenhos debaixo do braço, eu já queria trabalhar com isso”, recorda Maurício. “Mas eu não estava preparado e os jornais não estavam preparados para me receber”. Para se aproximar dos chefes da redação, conseguiu uma vaga como repórter policial, enquanto se preparava melhor para mostrar o trabalho aos, a partir de então, colegas.

“Trabalhei por cinco anos, quase seis, na reportagem policial”, conta ele. “Comecei a gostar demais e, aí, ou eu virava repórter policial pra sempre ou voltava para o meu antigo amor”. Voltou, mas nesses cinco anos, ele não parou de se preparar: pedia para ver todo material de quadrinhos estrangeiros que chegava. “Eu queria ver como os americanos mandavam o material, como era o prospecto, como apresentavam uma tira nova”. Seguindo essa estratégia, Maurício começou a oferecer seu material, não só para o próprio jornal, mas para outros, criando sua própria rede de distribuição. Um plano que se revelou infalível.

Pela mão do homem

Pela mão do homem

A primeira tira, estrelada por Bidu e Franjinha, foi publicada em julho de 1959. Dois anos depois vieram Cebolinha e Cascão e só em 1963 estrearam Mônica e Magali, que – todo mundo sabe – são baseadas nas próprias filhas do Maurício. Nessa época, já existiam também as tiras do Piteco e do Astronauta. E o aumento de trabalho levou ao próximo passo: a montagem de uma equipe, que começou três anos após a primeira tira.

“Não era bem uma equipe, no começo”, conta o quadrinista. “Eu tinha alguém para me ajudar, que fazia o requadramento e pintava os espaços de preto”.  Logo, a ajuda teve que ser maior. “Passar os desenhos foi uma dor no coração”, revela. “Foi difícil, uma briga comigo mesmo. E ter outros roteiristas foi uma dor mais profunda ainda. E tive que convencê-los a sempre trabalharem com criações minhas e não as deles, para que nunca houvesse problemas com direitos autorais”.

Maurício procura unir sua visão artística e empresarial. “Eu acho que você tem que, mesmo trabalhando com arte, criação, a cabeça nas nuvens, tem que ter uma preocupaçãozinha com o dia-a-dia que vai permitir que você continue fazendo o que gosta”, afirma. “Nesse ponto, eu segui os conselhos do meu pai, que me dizia: ‘Maurício, desenha de manhã e administra seu negócio à tarde, senão você não vai conseguir’”. E ele continua tentando dividir seu tempo. “Quero voltar a fazer o Horácio, assim que resolver uns problemas administrativos – não só o Horácio, mas também tiras, que é o que eu gosto de fazer”, confessa.

* Publicado no Jornal da Paraíba de 15/03/2009.

Maurício de Sousa – Parte 2
Maurício de Sousa – Parte 3
Maurício de Sousa – Parte 4

Agora que a lista das musas do ano já acabou (hmmm… penso seriamente numa lista de musas retroativas), posso voltar à das atrizes preferidas, que estava só no comecinho. Vamos lá.

***

96. Audrey Tautou

Indo além de -O Fabuloso Destino de Amélie Poulain-

Indo além de "O Fabuloso Destino de Amélie Poulain"

O nome e o jeito entre o frágil e o serelepe tornaram impossível evitar as comparações com a outra Audrey, a Hepburn. Esta, a Tautou, conquistou o mundo com a ajuda de um filme irresistível: O Fabuloso Destino de Amélie Poulain (2001). Mas ela já vinha chamado a atenção antes, desde Instituto de Beleza Vênus (1999). Com o sucesso estrondoso de Amélie, Audrey teve a sabedoria de tentar não se prender a um único tipo de papel, e diversificou nos temas e nas abordagens, filmando também na Inglaterra e para Hollywood, até voltar a citar a xará Hepburn diretamente em Amar… Não Tem Preço (2006), filme que bebe muito na fonte de Bonequinha de Luxo. Mesmo assim, com uma deliciosa carinha própria.

Nasceu em: Beaumont, França, 1976
Vá atrás: Instituto de Beleza Vênus (1999); O Fabuloso Destino de Amélie Poulain (2001); Albergue Espanhol (2002); Coisas Belas e Sujas (2002); Eterno Amor (2004); O Código Da Vinci (2006); Amar… Não Tem Preço (2006).
Cena abaixo: claro, de O Fabuloso Destino de Amélie Poulain.

Atriz anterior: Vanessa Redgrave

– Alma Perdida: O nome de Michael Bay na produção é o fato que dá mais medo neste filme de terror com ecos de O Exorcista. Mas o diretor é David S. Goyan, co-roteirista dos dois últimos Batmans, o que dá um certo interesse – fora que a protagonista é bem lindinha. É a chance do cara mostrar que o sucesso de O Cavaleiro das Trevas não são só glória dos irmãos Nolan.
No Box Manaíra 7 (15h30, 17h30, 19h30, 21h30).

– Pagando Bem, que Mal Tem: O novo filme de Kevin Smith parece ter um saborzinho de polêmica e picardia própria daqueles filmes do começo da carreira dele (O Balconista e Procura-se Amy), uma esperteza perdida nos que se seguiram. Aqui, Seth Rogen e Elizabeth Banks são o casal de amigos que estão sem grana e resolvem dar um jeito em seus problemas financeiros rodando um filme pornô.
No Box Manaíra 1 (sex. a seg. e qua.: 14h15, 16h25, 18h45, 21h; ter. e qui.: 16h25, 18h45, 21h).

– Perdido pra Cachorro: Todo mundo já deve ter visto o trailer deste filme, que está passando há meses nos cinemas locais. É aquele tipo de filme em que os bichos falam, como Babe e Garfield. A chihuahua de uma milionária é seqüestrado e vários bichos se unem para ajudá-la a voltar para casa – incluindo um chihuahua apaixonado. Jamie Lee Curtis está nesta provável roubada e as comparações do roteiro com Bolt não devem favorecer este filme.
No Box Manaíra 2 (sex. a dom.: 14h25, 16h40, 18h55; seg. e qua.: 14h25, 16h40, 18h55, 21h05; ter. e qui.: 16h40, 18h55, 21h05) e no Tambiá Shopping 1 (14h, 18h).

– Quem Quer Ser um Milionário?: Finalmente estréia em João Pessoa o vencedor de oito Oscars – incluindo melhor filme e melhor direção. É a história de um rapaz que, a uma pergunta do grande prêmio no programa Quem Quer Ser um Milionário?, é acusado de fraude. Para provar o contrário, ele conta a história de sua vida nas ruas de Mumbai e de seu amor incansável por uma garota, mostrando que cada resposta tem a ver com sua vida. Dividiu opiniões: há quem não goste, mas quem gosta acha uma pérola. A prova são as dezenas de prêmios internacionais – o que inclui o Globo de Ouro e o Bafta. Eu estou entre esses últimos, como mostra a minha crítica.
No Tambiá Shopping 6 (13h40, 16h, 18h20, 20h40).

– Ele Não Está Tão a Fim de Você: este fim de semana tem pré-estréia dessa comédia romântica com elenco feminino acima da média: Jennifer Connelly, Jennifer Aniston, Drew Barrymore e Scarlett Johansson.
No Box Manaíra 2 (sex. a dom.: 21h05).

-Alô? Aqui é o Alan Mooooore!...-

"Alô? Aqui é o Alan Mooooore!..."

À meia-noite entra no ar a imperdível entrevista exclusiva do Comic Show com Alan Moore. O autor de Watchmen abre seu coração para Manassés Filho, Samuel Góis e este seu criado, dirigidos por Daslei Ribeiro. Não percam!

Prontos para (quase) tudo

Yo, Daslei, Manassés, Audaci Junior e Samuel: prontos para (quase) tudo

renato_felix manasses_filho1 audaci_jr samuel_gois daslei_ribeiro

Bonequinha de Luxo (Breakfast at Tiffany’s, 1961). Direção de Blake Edwards. Roteiro de George Axelrod, baseado no conto de Truman Capote.

-Não quero colocar você numa jaula. Quero amar você-

“Não quero colocar você numa jaula. Quero amar você”

Depois de ser presa pelo envolvimento com um gangster, Holly Goolightly (Audrey Hepburn) sai da cadeia. Quem a pega é seu amigo, o escritor Paul Varjak (George Peppard), que passou antes no apartamento da moça para pegar as coisas dela – incluindo o gato, que ela chama apenas de Gato. A caminho do aeroporto de Idlewild, Holly ainda espera pegar um avião e casar com um rico herdeiro do Brasil, mas Paul lê para ela uma carta em que, por causa do escândalo, o milionário a dispensa.

PAUL – Lá se foi a América do Sul. Bom, você não foi feita para ser a rainha dos pampas, mesmo. (Para o taxista) Hotel Clayton.

HOLLY – Idlewild.

PAUL – O quê?

HOLLY – O avião sai às 12 e pretendo estar a bordo.

PAUL – Holly, você não pode.

HOLLY – Et pouquoi pas? Não vou atrás do José, se é isso o que está pensando. Na minha opinião, ele é o futuro presidente de lugar nenhum. Porque deveria desperdiçar a passagem? Além do mais, nunca fui ao Brasil.

Ele a observa, incrédulo e em silêncio.

HOLLY – Por favor, querido, não me olhe assim. Eu vou de qualquer jeito. Tudo o que querem de mim é que eu deponha contra Sally. Ninguém tem a mínima intenção de me processar. Eles nem têm a mínima chance. Esta cidade acabou para mim, pelo menos por enquanto. Às vezes, a fama pode arruinar a pele de uma mulher. Devem ter montado forcas para mim em toda a cidade. Sabe o que pode fazer por mim? Telefone para o New York Times. Quero que me envie uma lista dos 50 homens mais ricos do Brasil. Os 50 mais ricos!

PAUL – Holly, não vou permitir isso.

HOLLY – Não vai permitir?

PAUL – Holly, estou apaixonado por você.

HOLLY – E daí?

PAUL – “E daí”? Isso chega. Eu a amo. Você me pertence.

HOLLY – Não. As pessoas não se pertencem.

PAUL – Claro que sim.

HOLLY – Ninguém vai me pôr numa jaula.

PAUL – Não quero colocar você numa jaula. Quero amar você.

HOLLY – É a mesma coisa.

PAUL – Não é, não, Holly.

HOLLY – Não sou Holly! Não sou nem Lula Mae! Não sei quem sou! Sou como o Gato, somos dois coitados sem nome! Não temos dono, nós nem pertencemos um ao outro! (para o taxista) Pare o táxi!

O carro pára na entrada de um beco, enquanto cai uma chuva torrencial. Ela abre a porta.

HOLLY – (Para o Gato) O que acha? Parece ser o lugar certo para um cara durão como você! Latas de lixo, ratos por toda a parte… Suma! Disse para ir embora! Se manda! (Bota o Gato para fora e fecha a porta) Vamos!

Paul não acredita no que aconteceu. Tita uma nota do bolso.

PAUL – Motorista, pare aqui.

O carro pára e ele sai, mas antes de fechar a porta e ir embora, se vira para Holly.

PAUL – Sabe qual é o seu problema, “senhorita Seja-lá-quem-for”? Você é covarde. Você não tem coragem. Tem medo de encarar a realidade e dizer: “Ok, a vida é um fato. As pessoas se apaixonam”. As pessoas pertencem umas às outras porque é a única chance que têm de serem realmente felizes. Você acha que tem um espírito livre e selvagem e morre de medo de ser enjaulada. Bem, querida, você está na jaula que você mesma construiu. E não só em Tulip, Texas, ou na Somália: estará sempre nela. Não importa para onde corra, estará sempre trombando consigo mesma! (Tira do bolso uma caixinha) Pegue. Tenho carregado isso comigo há meses. Não quero mais.

Ele joga a caixinha no colo dela e vai embora. Ela abre a caixa e chora quando vê o conteúdo: um anel, simples brinde de uma caixa de biscoitos, no qual ele tinha mandado gravar as iniciais de ambos na joalheria Tiffany’s.

Declaração anterior: Casablanca

Maurício com uma matéria minha no Vida & Arte

Maurício com uma matéria minha no Vida & Arte

O Jornal da Paraíba deste domingo é especialíssimo pra mim: o caderno Vida & Arte traz uma entrevista minha com o grande Maurício de Sousa. Conversei por 50 minutos ao telefone com o criador da Turma da Mônica (que completa 50 anos de quadrinhos este ano) e falamos de muita coisa: sobre os primeiros passos da carreira, estratégias de mercado, sobre a Turma da Mônica Jovem, sobre o Horácio, sobre o politicamente correto, sobre as comemorações dos 50 anos, sobre a explosão de títulos nas bancas e livrarias, sobre animações. É tanto assunto, que dividimos em duas partes. Neste domingo, Maurício fala dos primeiros passos e da Turma Jovem. O resto da conversa fica para julho, no aniversário dos 50 anos do mestre.

A edição do Jornal da Paraíba traz uma ainda matéria especial minha sobre jogos de tabuleiro (os queridos Val, Vívian e Paulinho são personagens), matéria dividida com Ricardo Oliveira, do Diversitá (eu fiquei com os adultos jogadores, ele com as crianças).

O terceiro episódio do Comic Show já está no ar. Desta vez, comentamos sobre as adaptações de quadrinhos. Você assiste no blog da Comic House. E na terça-feira entra o quarto episódio: nossa imperdível entrevista com Alan Moore, autor de Watchmen!

Minha queridíssima Angélica já vai no terceiro blog simultâneo. Alem do Escafandro e do P de Pedro, em que conta as incríveis aventuras do filhote, agora ela dá vazão à seu lado idealista (isso é um elogio) no Consciência Agora. Ali, ela vai divulgar boas iniciativas que ajudam a fazer deste um mundo melhor – porque é de uma em uma que se deve começar.

Outro blog novo aí na lista ao lado – uma boa ação, também, mas em outro sentido – é o E Deus Criou a Mulher. A idéia é muito simples: mulheres lindas e belas fotos – e sem qualquer vulgaridade. Para ser lido (visto) com calma e atenção aos detalhes…

Agora, respondendo alguns comentários:

Julyana e Fernando, a questão dos oito Oscars às vezes diz menos sobre o filme vencedor do que sobre a concorrência. Afinal, se era Quem Quer Ser um Milionário? contra O Curioso Caso de Benjamin Button em quase todas as indicações, era de se esperar que Slumdog vencesse em todas mesmo. Como eu disse, quando me perguntavam quantos Oscars o filme ganharia, eu diria uns quatro ou cinco. Mas quando enumerava – este, este, aquele… – me surpreendia ao chegar aos sete… E a Academia não “deu uma de boazinha” – a questão é que o prêmio reflete um pouco o estado de espírito não da América, mas dos artistas da América – a maioria, como sabemos, democrata. É essa a turma com esperança no futuro. E o Ensaio sobre a Cegueira acabou simplesmente “não pegando”. Eu esperava uma indicação para fotografia, mas não deu. (Um bom show – e justo, 25/2)

Gesteira, não foi melhor esperar um pouco para conhecer a primeira do ano – e rever todas essas musas enquanto isso? Discordou muito? (Musas de 2008 – 2, 7/3)

Juliana, infelizmente devo me declarar incompetente no que diz respeito a esse assunto… (Retrospectiva: Musas de 2005, 11/3)

Lista elaborada a partir dos filmes exibidos comercialmente nos cinemas de JP em 2008.

Deus abençoe Sidney Lumet!

Marisa Tomei em “Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto”

1 – MARISA TOMEI, por Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto

Deus abençoe Sidney Lumet! O veterano diretor revelou uma Marisa Tomei como não se tinha visto antes. A atriz que surgiu fazendo o tipo meio avoada – que rendeu um Oscar em Meu Primo Vinn.  Sumiu por um tempo, foi voltando aos poucos e agora parece mais em dia do que nunca, como se tivesse estreado outro dia mesmo. Seus 45 anos não aparecem nunca nas cenas em que tira a roupa com uma desinibição surpreendente em Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto – e a performance na primeira cena mostra que ela não está para brincadeiras. E, se alguém duvida, ela repete a dose de exposição em O Lutador. Já é presença garantida na lista de musas de 2009.

Para ver também: Meu Primo Vinny; Only You – Só Você; A Família Perez; Entre Quatro Paredes; Alfie; Baila Comigo; O Lutador.

2 - Rachel Weisz (Um Beijo Roubado)

Rachel Weisz em “Um Beijo Roubado”

Rachel Weisz em "Três Vezes Amor"

Rachel Weisz em “Três Vezes Amor”

2 – RACHEL WEISZ, por Um Beijo Roubado e por Três Vezes Amor

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 3ª em 2005, por O Jardineiro Fiel; 18ªem 2006, por Fonte da VidaPosteriormente em Musas/ cinema em JP 18ª em 2012, por 360 e por O Legado Bourne; 4ª em 2016, por A Juventude.

3 - Anne Hathaway (Agente 86)

Anne Hathaway em “Agente 86”

3 – ANNE HATHAWAY, por Agente 86

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 2ª em 2006, por O Segredo de Brokeback Mountain e por O Diabo Veste Prada. Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 2ª em 2011, por O Amor e Outras Drogas; 3ª em 2012, por Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge; 9ª em 2013, por Os Miseráveis; 18ª em 2014, por Interestelar.

4 - Carice van Houten (A Espiã)

Carice van Houten em “A Espiã”

4 – CARICE VAN HOUTEN, por A Espiã

5 - Penélope Cruz e 7 - Scarlett Johansson (Vicky Cristina Barcelona)

Penélope Cruz e Scarlett Johansson em “Vicky Cristina Barcelona”

5 – PENÉLOPE CRUZ, por Vicky Cristina Barcelona

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 3ª em 2006, por Volver. Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 4ª em 2009, por Fatal; 2ª em 2010, por Abraços Partidos; 14ª em 2012, por Para Roma, com Amor.

6 - Radha Mitchell (Banquete do Amor)

Radha Mitchell em “Banquete do Amor”

6 – RADHA MITCHELL, por Banquete do Amor

5 - Penélope Cruz e 7 - Scarlett Johansson (Vicky Cristina Barcelona)

Penélope Cruz e Scarlett Johansson em “Vicky Cristina Barcelona”

7 – SCARLETT JOHANSSON, por Vicky Cristina Barcelona

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 1ª em 2006, por Ponto Final – Match Point, por O Grande Truque e por Dália Negra; 2ª em 2007, por Scoop – O Grande Furo. Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 8ª em 2010, por Homem de Ferro 2; 1ª em 2012, por Os Vingadores – The Avengers; 12ª em 2013, por Hitchcock e por Como Não Perder Essa Mulher; 7ª em 2014, por Capitão América 2 – O Soldado Invernal e por Lucy; 15ª em 2015, por Vingadores – Era de Ultron; 7ª em 2016, por Capitão América – Guerra Civil.

8 - Cláudia Abreu (Os Desafinados)

Cláudia Abreu em “Os Desafinados”

8 – CLÁUDIA ABREU, por Os Desafinados

9 - Rebecca Hall (Vicky Cristina Barcelona)

Rebecca Hall em “Vicky Cristina Barcelona”

9 – REBECCA HALL, por Vicky Cristina Barcelona

Posteriomente em Musas/ cinema em JP: 14ª em 2010, por Atração Perigosa.

10 - Ellen Page (JUno)

Ellen Page em “Juno”

10 – ELLEN PAGE, por Juno

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 19ª em 2010, por A Origem.

11 - Hilary Swank (P.S., Eu Te Amo)

Hilary Swank em “P.S., Eu Te Amo”

11 – HILARY SWANK, por P.S., Eu Te Amo

12 - Emily Blunt (Jogos do Poder)

Emily Blunt em “Jogos do Poder”

12 – EMILY BLUNT, por Jogos do Poder

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 16ª em 2006, por O Diabo Veste Prada. Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 9ª em 2010, por O Lobisomem.

13 - Paola Oliveira (Entre Lençóis)

Paola Oliveira em “Entre Lençóis”

13 – PAOLA OLIVEIRA, por Entre Lençóis

14 - Natalie Portman (Um Beijo Roubado, e também por A Outra)

Natalie Portman em “Um Beijo Roubado”

Natalie Portman em "A Outra"

Natalie Portman em “A Outra”

14 – NATALIE PORTMAN, por Um Beijo Roubado e por A Outra

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 5ª em 2005, por Closer – Perto Demais. Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 10ª em 2010, por Entre Irmãos; 1ª em 2011, por Cisne Negro, Sexo sem Compromisso e Thor.

15 - Letícia Sabatella (Romance)

Letícia Sabatella em “Romance”

15 – LETÍCIA SABATELLA, por Romance

Eva Mendes em “Os Donos da Noite”

16 – EVA MENDES, por Os Donos da Noite

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 12ª em 2009, por The Spirit – O Filme.

Amanda Seyfried em “Mamma Mia! – O Filme”

17 – AMANDA SEYFRIED, por Mamma Mia! – O Filme

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 9ª em 2009, por Garota Infernal; 1ª em 2010, por O Preço da Traição e por Cartas para Julieta.

Maria Flor em “Chega de Saudade”

18 – MARIA FLOR, por Chega de Saudade

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 19ª em 2007, por Podecrer!. Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 13ª em 2010, por O Bem Amado e por A Suprema Felicidade.

Isla Fisher em “Três Vezes Amor”

19 – ISLA FISHER, por Três Vezes Amor

Gwyneth Paltrow em “Homem de Ferro”

20 – GWYNETH PALTROW, por Homem de Ferro

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 18ª em 2009, por Amantes.

Cinema em JP/ Musas de 2007 <<
>> Cinema em JP/ Musas de 2009

A beleza em meio ao horror líquido. Anteriormente na lista: 2ª em 1996, por O Preço da Traição; 4ª em 1997, por Círculo de Paixões; 2ª em 2000, por Réquiem para um Sonho; 3ª em 2001, por Uma Mente Brilhante; 1ª em 2003, por Hulk. Posteriormente na lista: 5ª em 2007, por Diamante de Sangue.

fernando

Parabéns, Fernando! Você é o nosso centésimo comentário!

Sinta balões caindo sobre você do teto da loja e ouça a fanfarra tocando. Como nosso serviço é gratuito, não temos disconto em nada, mas vamos fazer assim: vou considerar mais a Fernanda de Freitas (ela esteve bem cotada para as musas de 2008 por A Casa da Mãe Joana, realmente… Ela é melhor que a Débora Secco original, hehe).

Lista elaborada a partir dos filmes exibidos comercialmente nos cinemas de JP em 2007.

Kate Winslet em "Pecados Íntimos"

Kate Winslet em “Pecados Íntimos”

1 – KATE WINSLET, por Pecados Íntimos

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 17ª em 2006, por O Amor Não Tira Férias. Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 5ª em 2009, por O Leitor e por Foi Apenas um Sonho.

Veja os comentários sobre cada uma das musas de 2007 nos posts do Minha Vida de Cinéfilo (Atualização: lembrando que no MVC é preciso rolar a página para achar o post correspondente – não sei como colocar link direto pro post no UOL Blogs…).

2 - Scarlett Johansson (Scoop - O Grande Furo)

Scarlett Johansson em “Scoop – O Grande Furo”

2 – SCARLETT JOHANSSON, por Scoop – O Grande Furo

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 1ª em 2006, por Ponto Final – Match Point, por O Grande Truque e por Dália Negra. Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 7ª em 2008, por Vicky Cristina Barcelona; 8ª em 2010, por Homem de Ferro 2; 1ª em 2012, por Os Vingadores – The Avengers; 12ª em 2013, por Hitchcock e por Como Não Perder Essa Mulher; 7ª em 2014, por Capitão América 2 – O Soldado Invernal e por Lucy; 15ª em 2015, por Vingadores – Era de Ultron; 7ª em 2016, por Capitão América – Guerra Civil.

3 - Tainá Muller (Cão sem Dono)

Tainá Muller em “Cão sem Dono”

3 – TAINÁ MULLER, por Cão sem Dono

4 - Megan Fox ("Transformers - O Filme")

Megan Fox em “Transformers – O Filme”

4 – MEGAN FOX, por Transformers – O Filme

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 2ª em 2009, por Garota Infernal, por Um Louco Apaixonado e por Transformers – A Vingança dos Derrotados.

4 - Jennifer Connelly (Diamante de Sangue)

Jennifer Connelly em “Diamante de Sangue”

Jennifer Connelly em “Pecados Íntimos”

5 – JENNIFER CONNELLY, por Diamante de Sangue  e por Pecados Íntimos

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 15ª em 2005, por Água Negra. Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 20ª em 2009, por Ele Não Está Tão a Fim de Você e por O Dia em que a Terra Parou; 19ª em 2014, por Noé.

5 - Cate Blanchett (Notas sobre um Escândalo)

Cate Blanchett em “Notas sobre um Escândalo”

6 – CATE BLANCHETT, por Notas sobre um Escândalo

6 - Dira Paes (Baixio das Bestas)

Dira Paes em “Baixio das Bestas”

7 – DIRA PAES, por Baixio das Bestas

7 - Gong Li (Hannibal - A Origem do Mal)

Gong Li em “Hannibal – A Origem do Mal”

8 – GONG LI, por Hannibal – A Origem do Mal

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 9ª em 2006, por Miami Vice.

8 - Débora Falabella (Primo Basílio)

Débora Falabella em “Primo Basílio”

9 – DÉBORA FALABELLA, por Primo Basílio

9 - Naomi Watts (O Despertar de uma Paixão)

Naomi Watts em “O Despertar de uma Paixão”

10 – NAOMI WATTS, por O Despertar de uma Paixão

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 1ª em 2005, por King Kong.

10 - Beyoncé Knowles (Dreamgirls - Em Busca de um Sonho)

Beyoncé Knowles em “Dreamgirls – Em Busca de um Sonho”

11 – BEYONCÉ KNOWLES, por Dreamgirls – Em Busca de um Sonho

11 - Marion Cotillard (Um Bom Ano)

Marion Cotillard em “Um Bom Ano”

12 – MARION COTILLARD, por Um Bom Ano

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 6ª em 2009, por Inimigos Públicos; 5ª em 2010, por A Origem; 18ª em 2011, por Meia-Noite em Paris e por Contágio; 11ª em 2012, por Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge.

12 - Fernanda Machado ("Tropa de Elite")

Fernanda Machado em “Tropa de Elite”

13 – FERNANDA MACHADO, por Tropa de Elite

13 - Emma Watson (Harry Potter e a Ordem da Fênix)

Emma Watson em “Harry Potter e a Ordem da Fênix”

14 – EMMA WATSON, por Harry Potter e a Ordem da Fênix

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 16ª em 2009, por Harry Potter e o Enigma do Príncipe; 20ª em 2010, por Harry Potter e as Reliquias da Morte – Parte 1; 13ª em 2011, por Harry Potter e as Reliquias da Morte – Parte 2; 4ª em 2013, por As Vantagens de Ser Invisível e por É o Fim; 12ª em 2014, por Noé.

Zooey Deschanel em “Ponte para Terabitia”

15 – ZOOEY DESCHANEL, por Ponte para Terabitia

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 19ª em 2005, por O Guia do Mochileiro das Galáxias. Posteriomente em Musas/ cinema em JP: 1ª em 2009, por 500 Dias com Ela e por Sim, Senhor.

14 - Monica Bellucci (Mandando Bala)

Monica Bellucci em “Mandando Bala”

16 – MONICA BELLUCCI, por Mandando Bala

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 18ª em 2005, por Irmãos GrimmPosteriormente em Musas/ cinema em JP: 5ª em 2015, por 007 contra Spectre.

Fernanda Paes Leme em “Podecrer!”

Fernanda Pes Leme em "O Homem que Desafiou o Diabo"

Fernanda Pes Leme em “O Homem que Desafiou o Diabo”

17 – FERNANDA PAES LEME, por Podecrer! e por O Homem que Desafiou o Diabo

Jessica Alba em “Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado”

18 – JESSICA ALBA, por Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 6ª em 2005, por Sin City, a Cidade do Pecado e por Quarteto Fantástico.

Maria Flor em “Podecrer!”

19 – MARIA FLOR, por Podecrer!

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 18ª em 2008, por Chega de Saudade; 13ª em 2010, por O Bem Amado e por A Suprema Felicidade.

Rachel Hurd-Wood em “Perfume – A História de um Assassino”

20 – RACHEL HURD-WOOD, por Perfume – A História de um Assassino

Cinema em JP/ Musas de 2006 <<
>> Cinema em JP/ Musas de 2008

Lista elaborada a partir dos filmes exibidos comercialmente nos cinemas de JP em 2006.

01-scarlett-johansson

Scarlett Johansson em “Ponto Final – Match Point”

2006-Grande Truque-36

Scarlett Johansson em “O Grande Truque”

2006-Dalia Negra

Scarlett Johansson em “Dália Negra”

1 – SCARLETT JOHANSSON, por Ponto Final – Match Point, por O Grande Truque e por Dália Negra

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 2ª em 2007, por Scoop – O Grande Furo; 7ª em 2008, por Vicky Cristina Barcelona; 8ª em 2010, por Homem de Ferro 2; 1ª em 2012, por Os Vingadores – The Avengers; 12ª em 2013, por Hitchcock e por Como Não Perder Essa Mulher; 7ª em 2014, por Capitão América 2 – O Soldado Invernal e por Lucy; 15ª em 2015, por Vingadores – Era de Ultron; 7ª em 2016, por Capitão América – Guerra Civil.

2 - Anne Hathaway (O Diabo Veste Prada e, também, por O Segredo de Brokeback Mountain)

Anne Hathaway em “O Diabo Veste Prada”

Anne Hathaway em “O Segredo de Brokeback Mountain”

2 – ANNE HATHAWAY, por O Diabo Veste Prada e por O Segredo de Brokeback Mountain

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 3ª em 2008, por Agente 86; 2ª em 2011, por O Amor e Outras Drogas; 3ª em 2012, por Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge; 9ª em 2013, por Os Miseráveis; 18ª em 2014, por Interestelar.

3 - Penélope Cruz (Volver)

Penélope Cruz em “Volver”

3 – PENÉLOPE CRUZ, por Volver

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 5ª em 2008, por Vicky Cristina Barcelona; 4ª em 2009, por Fatal; 2ª em 2010, por Abraços Partidos; 14ª em 2012, por Para Roma, com Amor.

4-Mia Kirshner (A Dália Negra)

Mia Kirshner em “A Dália Negra”

4 – MIA KIRSHNER, por Dália Negra

5 - Claire Danes (Garota da Vitrine)

Claire Danes em “Garota da Vitrine”

5 – CLAIRE DANES, por Garota da Vitrine

6 - Juliana Knust (Achados e Perdidos)

Juliana Knust em “Achados e Perdidos”

6 – JULIANA KNUST, por Achados e Perdidos

7 - Uma Thurman (Os Produtores)

Uma Thurman em “Os Produtores”

7 – UMA THURMAN, por Os Produtores

8 - Eva Green (007 - Cassino Royale)

Eva Green em “007 – Cassino Royale”

8 – EVA GREEN, por 007 – Cassino Royale

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 10ª em 2014, por Sin City – A Dama Fatal e por 300 – A Ascensão do ImpérioPosteriormente em Musas/ cinema em JP: 16ª em 2016, por O Lar das Crianças Peculiares.

9 - Gong Li (Miami Vice)

Gong Li em “Miami Vice”

9 – GONG LI, por Miami Vice

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 8ª em 2007, por Hannibal – A Origem do Mal.

10 - Keira Knightley (Orgulho e Preconceito)

Keira Knightley em “Orgulho e Preconceito”

10 – KEIRA KNIGHTLEY, por Orgulho e Preconceito

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 17ª em 2015, por O Jogo da Imitação.

11 - Reese Whiterspoon ("Johnny & June" e, também, "E Se Fosse Verdade")

Reese Witherspoon em “Johnny & June”

Reese Whiterspoon em "E se Fosse Verdade"

Reese Witherspoon em “E se Fosse Verdade”

11 – REESE WITHERSPOON, por Johnny & June e por E se Fosse Verdade

12 - Rosanne Mulholland ("A Concepção")

Rosanne Mulholland em “A Concepção”

12 – ROSANNE MULHOLLAND, por A Concepção

13 - Paloma Duarte ("Muito Gelo e Dois Dedos d'Água")

Paloma Duarte em “Muito Gelo e Dois Dedos d’Água”

13 – PALOMA DUARTE, por Muito Gelo e Dois Dedos d’Água

14 - Zhang Ziyi ("Memórias de uma Gueixa")

Zhang Ziyi em “Memórias de uma Gueixa”

14 – ZHANG ZIYI, por Memórias de uma Gueixa

15 - Mariana Ximenes ("A Máquina" e, também, "Muito Gelo e Dois Dedos d'Água")

Mariana Ximenes em “A Máquina”

Mariana Ximenes em "Muito Gelo e Dois Dedos d´Água"

Mariana Ximenes em “Muito Gelo e Dois Dedos d´Água”

15 – MARIANA XIMENES, por A Máquina e por Muito Gelo e Dois Dedos d’Água

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 16ª em 2010, por Quincas Berro d’Água; 12ª em 2012, por Os Penetras.

Emily Blunt em “O Diabo Veste Prada”

16 – EMILY BLUNT, por O Diabo Veste Prada

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 12ª em 2008, por Jogos do Poder; 9ª em 2010, por O Lobisomem.

Kate Winslet em “O Amor Não Tira Férias”

17 – KATE WINSLET, por O Amor Não Tira Férias

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 1ª em 2007, por Pecados Íntimos; 5ª em 2009, por O Leitor e por Foi Apenas um Sonho.

Rachel Weisz em “Fonte da Vida”

18 – RACHEL WEISZ, por Fonte da Vida

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 3ª em 2005, por O Jardineiro Fiel. Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 2ª em 2008, por Um Beijo Roubado e por Três Vezes Amor; 18ª em 2012, por 360 e por O Legado Bourne; 4ª em 2016, por A Juventude.

Anna Sophia Folch em “O Maior Amor do Mundo”

19 – ANNA SOPHIA FOLCH, por O Maior Amor do Mundo

Nicole Kidman em “Dogville”

20 – NICOLE KIDMAN, por Dogville

Cinema em JP/ Musas de 2005 <<
>> Cinema em JP/ Musas de 2007

Lista elaborada a partir dos filmes exibidos comercialmente nos cinemas de JP em 2005.

01-naomi-watts

Naomi Watts em “King Kong”

1 – NAOMI WATTS, por King Kong

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 10ª em 2007, por O Despertar de uma Paixão.

2 - Maria Bello (Marcas da Violência)

Maria Bello em “Marcas da Violência”

2 – MARIA BELLO, por Marcas da Violência

3 - Rachel Weisz (O Jardineiro Fiel)

Rachel Weisz em “O Jardineiro Fiel”

3 – RACHEL WEISZ, por O Jardineiro Fiel

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 18ª em 2006, por Fonte da Vida; 2ª em 2008, por Um Beijo Roubado e por Três Vezes Amor; 18ª em 2012, por 360 e por O Legado Bourne; 4ª em 2016, por A Juventude.

4 - Paz Vega (Espanglês)

Paz Vega em “Espanglês”

4 – PAZ VEGA, por Espanglês

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 8ª em 2009, por The Spirit – O Filme.

5 - Natalie Portman (Closer - Perto Demais)

Natalie Portman em “Closer – Perto Demais”

5 – NATALIE PORTMAN, por Closer – Perto Demais

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 14ª em 2008, por Um Beijo Roubado e A Outra; 10ª em 2010, por Entre Irmãos; 1ª em 2011, por Cisne Negro, Sexo sem Compromisso e Thor.

6 - Jessica Alba ("Sin City, a Cidade do Pecado", e...

Jessica Alba em “Sin City, a Cidade do Pecado”

6 - Jessica Alba (... também por "Quarteto Fantástico")

Jessica Alba em “Quarteto Fantástico”

6 – JESSICA ALBA, por Sin City, a Cidade do Pecado e por Quarteto Fantástico

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 18ª em 2007, por Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado.

8 - Alice Braga (Cidade Baixa)

Alice Braga em “Cidade Baixa”

7 – ALICE BRAGA, por Cidade Baixa

8 - Cameron Diaz ("Em Seu Lugar")

Cameron Diaz em “Em Seu Lugar”

8 – CAMERON DIAZ, por Em Seu Lugar

9 - Jessica Biel ("O Massacre da Serra Elétrica")

Jessica Biel em “O Massacre da Serra Elétrica”

9 – JESSICA BIEL, por O Massacre da Serra Elétrica

10 - Virginia Madsen ("Sideways - Entre umas e Outras")

Virginia Madsen em “Sideways – Entre umas e Outras”

10 – VIRGINIA MADSEN, por Sideways – Entre umas e Outras

9 - Catalina Sandino Moreno (Maria Cheia de Graça)

Catalina Sandino Moreno em “Maria Cheia de Graça”

11 – CATALINA SANDINO MORENO, por Maria Cheia de Graça

6 - Kirsten Dunst (Tudo Acontece em Elizabethtown)

Kirsten Dunst em “Tudo Acontece em Elizabethtown”

12 – KIRSTEN DUNST, por Tudo Acontece em Elizabethtown

Posteriormente em Musas/ Cinema em JP: 5ª em 2012, por Melancolia, por Na Estrada e por Quatro Amigas e um Casamento.

13 - Jennifer Tilly ("O Filho de Chucky")

Jennifer Tilly em “O Filho de Chucky”

13 – JENNIFER TILLY, por O Filho de Chucky

10 - Diane Lane (Procura-se um Amor que Goste de Cachorros)

Diane Lane em “Procura-se um Amor que Goste de Cachorros”

14 – DIANE LANE, por Procura-se um Amor que Goste de Cachorros

15 - Jennifer Connelly ("Água Negra")

Jennifer Connelly em “Água Negra”

15 – JENNIFER CONNELLY, por Água Negra

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 5ª em 2007, por Diamante de Sangue e por Pecados Íntimos; 20ª em 2009, por Ele Não Está Tão a Fim de Você e por O Dia em que a Terra Parou; 19ª em 2014, por Noé.

Kerry Washington em “Ray”

16 – KERRY WASHINGTON, por Ray

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 13ª em 2013, por Django Livre.

Rachel McAdams em “Vôo Noturno”

Rachel McAdams em "Penetras Bons de Bico"

Rachel McAdams em “Penetras Bons de Bico”

17 – RACHEL MCADAMS, por Vôo Noturno e por Penetras Bons de Bico

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 17ª em 2009, por Intrigas de Estado e por Te Amarei para Sempre.

Monica Bellucci em “Irmãos Grimm”

18 – MONICA BELLUCCI, por Irmãos Grimm

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 16ª em 2007, por Mandando Bala; 5ª em 2015, por 007 contra Spectre.

Zooey Deschanel em “O Guia do Mochileiro das Galáxias”

19 – ZOOEY DESCHANEL, por O Guia do Mochileiro das Galáxias

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 15º em 2007, por Ponte para Terabítia; 1ª em 2009, por 500 Dias com Ela e por Sim, Senhor.

Kate Beckinsale em “O Aviador”

20 – KATE BECKINSALE, por O Aviador

Musas de 2004 <<
>> Cinema em JP/ Musas de 2006

Páginas

Sigam-me os bons (no Twitter)