You are currently browsing the daily archive for 12/04/2009.

Tootsie (Tootsie, 1982). Direção de Sydney Pollack; roteiro de Larry Gelbart e Murray Schisgal, baseado em história de Larry Gelbart e Don McGuire. Também colaboraram (não creditados) Robert Garland, Barry Levinson e Elaine May.

Tootsie-04

“Fui melhor homem com você como mulher do que jamais fui com uma mulher como homem”

Michael Dorsey (Dustin Hoffman) é um ator de teatro que dá aulas de atuação, mas não consegue um emprego na área. A situação está tão difícil que, desesperado, tenta uma saída arriscada: disfarçado de mulher, Dorothy Michaels, tenta uma vaga para atriz em testes para uma novela de televisão. Não só consegue a vaga, como se torna uma coqueluche nacional, em um sucesso grande e inesperado. Mas a coisa se complica ao se apaixonar por uma colega de elenco, Julie Nichols (Jessica Lange), que encontrou em Dorothy uma grande amiga. Quando Michael revela tudo, Julie, naturalmente, não o perdoa. Ainda assim, ele resolve esperá-la na saída da emissora. Ela o vê e caminha para o outro lado para não falar com ele, mas Michael vai atrás e a acompanha.

MICHAEL – Oi. Eu… Eu vi o seu pai. Eu, hã, fui até o bar onde ele vai sempre.

JULIE – Ele não vai sempre lá.

MICHAEL – Ah, é. Eu, eu esqueci. Como está Amy?

JULIE – Bem.

Silêncio. Ela não está a fim de papo e nem olha para ele, mas Michael insiste.

MICHAEL – Seu pai e eu… hã… tomamos umas cervejas e jogamos bilhar. Foi bem divertido.

Mais silêncio.

MICHAEL – Como estão as coisas?

JULIE – Terry Bishop voltou ao programa. April perdeu sua licença…

MICHAEL (interrompendo) – Perguntei de você.

JULIE – Eu sei.

Mais silêncio.

JULIE – Ficou famoso após a revelação, Michael. Qual o seu próximo triunfo?

MICHAEL – Bom, vou fazer uma peça com uns amigos…

JULIE (interrompendo e se afastando para atravessar a rua) – Legal, preciso pegar um táxi, Michael.

MICHAEL – Julie!…

Ela pára e olha para ele.

MICHAEL – Posso… ligar pra você… um dia desses?

Ela não diz nada.

MICHAEL – Não quero atrasar você. Eu só fiz isso pelo emprego. Nâo quis magoar ninguém. Principalmente você.

Ela continua calada e só fala depois de pensar um pouco.

JULIE – Sinto falta da Dorothy.

MICHAEL – Não precisa. Ela está bem aqui. E ela sente a sua falta.

Ela apenas olha para ele.

MICHAEL – Olha, você nunca me viu mais gordo… mas fui melhor homem com você como mulher do que jamais fui com uma mulher como homem. Entende o que eu digo?

Ela apenas faz que não com a cabeça.

MICHAEL – Só preciso aprender a fazer isso sem o vestido.

Ela continua calada.

MICHAEL – Nesse ponto do nosso relacionamento, é vantagem eu estar usando calças.

Ela continua calda, mas finalmente abre um sorrisinho. Ele também.

MICHAEL – A parte difícil já acabou, sabe? Nós já éramos bons amigos.

Ela fica ainda um instante em silêncio.

JULIE – Você me empresta aquele vestidinho amarelo?

MICHAEL (desconfiado) – Qual?

JULIE – O Halston.

MICHAEL – O Halston?! Ah, não… (começando a caminhar; ela acompanha) Você vai estragar…

JULIE – Michael!

MICHAEL – Vai derramar vinho nele.

JULIE – Não vou!

MICHAEL – Eu empresto, mas tem que me devolver, hein?

JULIE – Ora, você vai usá-lo para quê?

E seguem caminhando, discutindo, até finalmente se abraçarem.

Declaração anterior: Pacto de Justiça

Sigam-me os bons (no Twitter)

abril 2009
D S T Q Q S S
« mar   maio »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Cenas da Vida

Páginas

Estatísticas

  • 1.341.707 hits