stars-blue-3-0½

Sem certezas

Meryl e Hoffman travam duelo

Meryl e Hoffman travam duelo

Nitidamente um filme de atores, Dúvida (Doubt, Estados Unidos, 2008) não fez por menos e teve quatro de seus atores indicados ao Oscar: Meryl Streep, como melhor atriz, Philip Seymour Hoffman, Amy Adams e Viola Davis como coadjuvantes. Não é difícil descobrir os motivos no filme escrito e dirigido por John Patrick Shanley, adaptando sua própria peça – premiada com o Pulitzer e o Tony.

A trama se passa em uma escola católica novaiorquina, nos anos 1960. A jovem irmã James (Amy Adams) desconfia da atenção especial que o padre Flynn (Hoffman) dá ao único aluno negro do local. Quando conta para a irmã Aloysius (Meryl), que dirige o local, tem início uma pressão moral que ela exerce sobre ele baseada mais em suposições do que em fatos concretos.

O filme, no entanto, tira proveito dos subtextos. Não é à toa que o padre é um progressista, a irmã veterana é conservadora e autoritária e a jovem divide-se entre o idealismo e a obediência. Ha vários outros elementos simbólicos mais ou menos óbvios, como as aulas de história, o açúcar, a luz queimando.

Estes subtextos incluem o tratamento que o filme dá com relação a dúvidas e certezas. O padre diz que é inocente, mas será mesmo? A freira diz que tem certeza da culpa dele, mas só isso garante que ela esteja certa? O filme acerta e se torna maior ao não responder claramente essas questões.
É por isso que em filme assim os atores são tão importantes.

Meryl Streep mais uma vez confirma que é uma das maiores atrizes de todos os tempos (perdeu o Oscar, mas ganhou o Screen Actor’s Guild Awards), secundada por um grande time: Viola Davis conquistou sua indicação em cerca de dez contidos e emocionantes minutos, colocando mais elementos que só aumentam as dúvidas do espectador.

Dúvida. (Doubt). Estados Unidos, 2008. Direção: John Patrick Shanley. Elenco: Meryl Streep, Philip Seymour Hoffman, Amy Adams, Viola Davis, Alice Drummond, Carrie Preston. Atualmente em cartaz em JP.