Desfile de Páscoa (Easter Parade, 1948). Direção de Charles Walters. Roteiro de Sidney Sheldon, Frances Goodrich e Albert Hackett, baseado em história de Frances Goodrich e Albert Hackett. Canção “Easter parade”, de Irving Berlin.

"Poderia escrever um sonto sobre o rapaz que levo ao desfile de Páscoa"

“Poderia escrever um soneto sobre o rapaz que levo ao desfile de Páscoa”

Inconformado por ter sido abandonado por sua parceira (às vésperas da Páscoa de 1911), o dançarino Don Hewes (Fred Astaire) decide treinar uma iniciante. Esta é Hannah Brown (Judy Garland), que cantava em um restaurante. Depois de muitas tentativas e erros, durante um ano, eles conseguem achar o tom certo e se tornam um sucesso. Mas a aparição da antiga parceira faz Hannah, já apaixonada por ele, acreditar que ele ainda ama a ex-partner e romper a parceria. Só depois de convencida por um amigo em comum de que Don também a ama é que ela decide voltar. Don está em seu apartamento, com o mordomo Sam (Peter Chong), na manhã da Páscoa, quando toca a campainha: é um entregador. Don está no cômodo ao lado quando entra e vê as flores.

DON – Sam, onde você botou meu…? O que é isso?

SAM – Isso acaba de chegar.

DON – Pra quem são?

SAM – Para o senhor (e desce com elas para a sala).

DON – Pra mim? Bem, não pode ser. Sam, não ponha isso aí, não, Alcance o rapaz e…

SAM – Sem cartão.

Batem à porta e Sam vai atender de novo enquanto Don fica olhando as flores.

DON – Deve haver algum engano. Descubra a quem pertencem, sim, Sam? São muito bonitas…

Sam volta com duas caixas.

SAM – Pro senhor.

DON – Pra mim? Bem, quem trouxe?

SAM – Um mensageiro.

DON – Coloque ali, sim?

Então, Sam as coloca sobre uma mesa.

DON – (desconfiado) Sam, você sabe alguma coisa sobre isto?

Sam responde que não com a cabeça enquanto Don tira o laço da primeira caixa.

DON – Acha que devemos abrir?

É um bolo, com uma mensagem confeitada com glacê em cima.

DON – “Feliz Páscoa, querido”… Deve haver algum engano. Ele obviamente errou de apartamento.

SAM – Devo abrir a outra?

DON – (ainda desconfiado) Não, não, não. Eu abro.

Ele leva a caixa até o sofá e levanta a borda da tampa, desconfiado. Assim que vê o conteúdo, a fecha, assustado. É Sam quem abre a caixa.

SAM – Ah! Mas que coelhinho bonitinho!

Ele tira o coelho da caixa e os dois se derretem.

DON – Oi, amiguinho! Olá!

SAM – Não é uma gracinha?

Don percebe que o coelho veio dentro de uma cartola.

SAM – Está com fome? De onde você veio? O coelho quer um biscoito?

Batem na porta mais uma vez, enquanto Don está experimentando a cartola.

DON – Eu atendo.

Hannah adentra o apartamento intempestiva, para surpresa de Don, que é ignorado por ela. Com muita naturalidade, ela cumprimenta primeiro o mordomo, com o coelho no colo.

HANNAH – Oi, Sam!

SAM – Oh, oi, senhorita Brown. Apresento-lhe o coelhinho.

HANNAH – (acariciando o coelho) Ah, somos velhos amigos. Feliz Páscoa!

SAM – Feliz Páscoa!

HANNAH – Obrigada.

Sam leva o coelho para o outro cômodo, deixando os dois sozinhos.

DON – Foi você que…?

HANNAH – Você ainda não está pronto? Como todo homem…

DON – (apontando a cartola na cabeça) E também o…?

HANNAH -Sam, você pega o paletó dele?

SAM – Pego.

HANNAH – (para Don) Você vai chegar tarde, sabia?

DON – Tarde?

HANNAH – Para o desfile de Páscoa. Nós tínhamos um encontro, lembra?

DON – (abrindo os braços) Ah…

O mordomo aproveita para vestir o paletó nele. Os dois dão risada e ela marotamente dá uma boa olhada em Don, dos pés a cabeça.

HANNAH – Aqui, deixe-me ver… Ah, muito bom.

No fim, dá uma piscadela que o deixa encabulado e o faz se virar. Mas ela corre para a frente dele e começa a cantar.

HANNAH – “Nunca vi sua aparência tão bonita antes.
Nunca vi você vestido com tanta elegância – e mais”.

Ela continua circulando-o.

HANNAH – “Mal podia esperar para chegar nosso encontro
Nessa adorável manhã de Páscoa”

Ela limpa os ombros dele. Ele, de novo encabulado, tenta sair dali, mas Hannah o segura pelo braço e o abraça por trás. Ele, agora, já sorri.

HANNAH – “E meu coração bate rápido enquanto eu atravesso a porta
Para…”

Ela o vira para apontar para sua cartola.

HANNAH – “Com seu chapéu de Páscoa, com todos os enfeites nele,
(ela segura a mão dele, o leva até o sofá e o senta) Você será o maior cara do desfile de Páscoa.
(ela se senta no encosto do sofá) Eu estarei com sorte
(ela desce para o sofã e coloca a cartola nele) e quando eles todos nos olharem…”

Don levanta e anda pela sala, limpando a cartola e a vestindo, e ela o segue.

HANNAH – “Nós seremos o casal mais orgulhoso no desfile de Páscoa”

Ela o abraça e começam a dançar.

HANNAH – “Na avenida, Quinta Avenida,
Os fotógrafos vão nos registrar…”

Ela se ajoelha e ele senta no colo dela, mas logo percebe e se levanta.

HANNAH – “… e você logo vai perceber que está numa rotogravura”.

De braços dados, eles vão pela sala e ela pega seu chapéu na mesa.

HANNAH – “Oh, eu poderia escrever um soneto sobre o seu chapéu de Páscoa
(eles sobem os degraus da sala dançando, ela abre a porta para ele e eles saem) E sobre o rapaz que estou levando ao desfile de Páscoa”.

Já no desfile, eles desfilam na avenida, de braços dados.

DON – “Na avenida, Quinta Avenida,
(ele tira um anel do bolso do casaco, ela oferece a mão direita e ele a abaixa mostrando que deve ser a esquerda) Os fotógrafos vão nos registrar
(ele coloca o anel nela) E você vai descobrir que está numa rotogravura”.

Um fotógrafo tira uma foto e logo outro os pára e Hannah faz uma pose engraçada. Os dois riem enquanto o côro canta o final da canção e os casais passeiam na Quinta Avenida.

CÔRO – “Oh, eu poderia escrever um soneto
Sobre o seu chapéu de Páscoa
E sobre a garota que estou levando ao desfile de Páscoa”.

A canção:

A letra original:

Never saw you look quite so pretty before
Never saw you dress quite so handsome – what’s more

I could hardly wait to keep our date
This lovely Easter morning
And my heart beat fast as I came through the door
For…

In your Easter bonnet, with all the frills upon it
You’ll be the grandest fella in the Easter parade.
I’ll be all in clover, and when they look us over
We’ll be the proudest couple in the Easter parade.

On the avenue, Fifth Avenue,
The photographers will snap us
And you’ll find that you’re in the rotogravure.

Oh, I could write a sonnet, about your Easter bonnet
And of the guy I’m taking to the Easter Parade.

On the avenue, Fifth Avenue,
The photographers will snap us
And you’ll find that you’re in the rotogravure.

Oh, I could write a sonnet
About your Easter bonnet
And of the girl I’m taking to the Easter Parade.

Declaração anterior: Muito Barulho por Nada

Anúncios