O Diário de Bridget Jones (Bridget Jones’ Diary/ Le Journal de Bridget Jones, 2001). Direção de Sharon Maguire; roteiro de Helen Fielding, Andrew Davies e Richard Curtis, baseado no livro de Helen Fielding.

"Há elementos ridículos em você"

"Há elementos ridículos em você"

Depois de um jantar em que ela era a única solteira à mesa, Bridget Jones (Renée Zellweger) está se vestindo para ir embora. Mark Darcy (Colin Firth) desce as escadas e, ainda de longe, tenta puxar conversa.

MARK – Gostei muito da sua reportagem no corpo de bombeiros de Lewisham.

BRIDGET – (sem se virar) Muito obrigada.

Ele se aproxima e ela se vira.

MARK – Bem… Hã… Não deu certo com o Daniel Cleaver?

BRIDGET – Não, não deu.

MARK – (sério) Adorei saber disso.

BRIDGET – Olha, você e o Cosmo estão juntos nisso? Parece que faz questão de me fazer sentir uma completa idiota toda vez que eu te vejo. E realmente não precisa se incomodar: já me sinto idiota na maior parte do tempo. Pendurada ou não no cano do corpo de bombeiros. (A campainha toca) É o meu táxi. Boa noite.

MARK – Olha… Hã… Desculpe-me se fui…

BRIDGET – O quê?

MARK – Não acho que você é uma idiota. Quer dizer, há elementos ridículos em você. Sua mãe é muito interessante. Você é uma péssima oradora em público. E deixa sair tudo o que vem pela boca sem considerar as conseqüências. Percebi que quando a conheci no almoço do peru ao curry fui imperdoavelmente grosso e usava aquele suéter de rena que minha mãe me deu um dia antes. Mas a questão é… O que estu tentando dizer… de uma forma totalmente desarticulada… é que, na verdade, talvez, apesar das aparências, eu gosto de você. Muito.

BRIDGET – Apesar do cigarro, da bebida, da mãe vulgar e da diarréia verbal.

MARK – Não, gosto muito de você. Do jeito que você é.

Cena começa aos 2’12 no vídeo abaixo:

Declaração anterior: Simplesmente Amor

Anúncios