Anne Hathaway e o presidente da Academia, Tom Sherak, anunciando os concrrentes

Para quem ainda não via que Avatar vinha perdendo terreno na corrida pelo Oscar, outro sinal: o maior número de indicações recebido pelo filme de James Cameron não deve ter vindo acompanhado de vibração, mas, sim, de um frio na espinha. Isso porque o independente Guerra ao Terror, de Kathryn Bigelow, ex-mulher de Cameron, chegou às mesmíssimas nove indicações e bate de frente com Avatar em sete delas.

Mais que isso: as duas indicações que os diferenciam são as de direção de arte e efeitos visuais, para Avatar, e ator e roteiro original, para Guerra ao Terror. Que sinal, não?

Avatar não concorrer a melhor roteiro deixa uma coisa bem clara: quem entende do assunto, os roteiristas, não entraram na do Cameron e viram que o filme não é isso tudo. É o departamento deles que vota para escolher os indicados.

Mas, agora, todos os acadêmicos votarão em todas as categorias, independente de setor, e Avatar pode se valer do encantamento sem reflexão – espelhando sua enorme bilheteria mundial – para ter muitos votos. Assim, tem muita chance ainda, claro, e talvez seja até o favorito. Mas, se for feita justiça (com quem o Oscar não tem o menor comprometimento, diga-se), Avatar vai levar os técnicos de praxe e deixar os mais importantes para filmes melhores.

Os dois filmes têm a companhia de mais oito filmes na categoria principal: é a primeira vez desde 1944 que a lista de indicados a melhor filme tem dez concorrentes. Com isso, muitas produções que dificilmente estariam na lista acabaram entrando: é o caso de Up – Altas Aventuras, que se tornou o segundo longa de animação a concorrer como melhor filme (o único até então havia sido A Bela e a Fera, em 1992).

Bastardos Inglórios alcançou oito indicações, com duas pessoais para Quentin Tarantino: direção e roteiro original – um reconhecimento esperado. Terá chances? Talvez em roteiro, mas, se ganhar ali, pode indicar que Guerra ao Terror não alcança os principais. Mas o prêmio mais cantado do ano é dele: Christophe Waltz, ator coadjuvante.

Amor sem Escalas conseguiu indicações a filme, direção, ator (George Clooney), roteiro adaptado e atriz coadjuvante (com Vera Farmiga e Anna Kendrick), mas não parece estar tão forte como semanas antes. A indicação de Um Sonho Possível mostrou mais ainda a força de Sandra Bullock na disputa por melhor atriz. Preciosa estar lá também fortalece suas duas atrizes indicadas (e a coadjuvante Mo’Nique é favorita em sua categoria).

Vale lembrar que, mesmo com poucas chances, Meryl Streep chegou à sua indicação de número 16 ao Oscar – 13 só ao prêmio de atriz principal, superando a marca de Katharine Hepburn, com 12. É, agora, a atriz mais indicada na categoria em toda a história.

Os irmãos Coen cravaram a comédia A Serious Man entre os indicados a melhor filme, mas é figuração, tal como Distrito 9 e o elogiado Educação.
E as ausências? Nine só conseguiu, de destaque, um indicação como coadjuvante para Penélope Cruz. Lunar foi solenemente ignorado, assim como Anticristo, que poderia muito bem ter tido Charlotte Gainsbourg indicada como atriz. 500 Dias com Ela também foi esquecido na categoria de roteiro, onde era esperado. Invictus, só melhor ator e coadjuvante. Deixa Ela Entrar, muito comentado no ano passado, ficou de fora. O ótimo Intrigas de Estado podia ter rendido indicação para roteiro, mas também não foi lembrado.

Veja a seguir a lista completa com todos os indicados.

Filme – Avatar, de James Cameron (9 indicações); Um  Sonho Possível, de John Lee Hancock (2 indicações); Distrito 9, de Neill Blomkamp (4 indicações); Educação, de Lone Scherfig (3 indicações); Guerra ao Terror, de Kathryn Bigelow (9 indicações); Bastardos Inglórios, de Quentin Tarantino (8 indicações); Preciosa, de Lee Daniels (6 indicações); Um Homem Sério, de Ethan e Joel Coen (2 indicações); Amor sem Escalas, de Jason Reitman (6 indicações); e Up – Altas Aventuras, de Pete Docter (5 indicações).

Direção – Kathryn Bigelow (Guerra ao Terror); James Cameron (Avatar); Jason Reitman (Amor sem Escalas); Quentin Tarantino (Bastardos Inglórios); e Lee Daniels (Preciosa).

Ator – Jeff Bridges (Coração Louco); Morgan Freeman (Invictus); Jeremy Renner (Guerra ao Terror); George Clooney (Amor sem Escalas); e Colin Firth (Direito de Amar).

Atriz – Sandra Bullock (Um Sonho Possível); Meryl Streep (Julie & Julia); Carey Mulligan (Educação); Helen Mirren (The Last Station); e Gaboury Sidibe (Preciosa).

Ator coadjuvante – Christoph Waltz (Bastardos Inglórios); Woody Harrelson (O Mensageiro); Matt Damon (Invictus); Stanley Tucci (Um Olhar do Paraíso); e Christopher Plummer (The Last Station).

Atriz coadjuvante – Mo’Nique (Preciosa); Anna Kendrick (Amor sem Escalas); Vera Farmiga (Amor sem Escalas); Maggie Gyllenhaal (Direito de Amar); e Penelope Cruz (Nine).

Roteiro original – Bastardos Inglórios, por Quentin Tarantino; Guerra ao Terror, por Mark Boal; Um Homem Sério, por Joel Coen e Ethan Coen; O Mensageiro, por Alessandro Camon e Oren Moveman; e Up – Altas Aventuras, por Bob Peterson e Pete Docter.

Roteiro adaptado – Amor Sem Escalas, por Jason Reitman e Sheldon Turner; Distrito 9, por Neill Blomkamp; Educação, por Nick Hornby; Preciosa, por Geoffrey Fletcher; e In the Loop, por Jesse Armstrong, Samon Blackwell, Armando Iannucci e Tony Roche.

Filme de animação – Coraline e o Mundo Secreto, de Henry Selick; O Fantástico Sr. Raposo, de Wes Anderson; A Princesa e o Sapo, de John Musker e Ron Clements; The Secret of Kells, de Tomm Moore; e Up – Altas Aventuras, de Pete Docter.

Filme de língua não inglesa – Ajami, de Scandar Copti e Yaron Shani (Israel); El Secreto de Sus Ojos , de Juan José Campanella (Argentina); A Teta Assustada, de Claudia Llosa (Peru); Un Prophète, de Jacques Audiard (França); e A Fita Branca, de Michael Haneke (Alemanha).

Documentário – Burma VJ: Reporter i et Lukket Land, de Anders Østergaard; The Cove, de Louie Psihoyos; Food, Inc., de Robert Kenner; The Most Dangerous Man in America: Daniel Ellsberg and the Pentagon Papers, de Judith Ehrlich, Rick Goldsmith; e Which Way Home, de Rebecca Cammisa.

Fotografia – Avatar, por Mauro Fiore; Harry Potter e o Enigma do Príncipe, por Bruno Delbonnel; Guerra ao Terror, por Barry Ackroyd; Bastardos Inglórios, por Robert Richardson; e A Fita Branca, por Christian Berger.

Montagem – Avatar, por Stephen E. Rivkin, John Refoua, James Cameron; Distrito 9, por Julian Clarke; Guerra ao Terror, por Bob Murawski, Chris Innis; Bastardos Inglórios, por Sally Menke; e Preciosa, por Joe Klotz.

Trilha sonora original – Avatar, por James Horner; O Fantástico Sr. Raposo, por Alexandre Desplat; Guerra ao Terror, por Marco Beltrami, Buck Sanders; Sherlock Holmes, por Hans Zimmer; e Up – Altas Aventuras, por Michael Giacchino.

Canção original – “The weary kind”, de T-Bone Burnett, Ryan Bingham (Coração Louco); “Loin de Paname”, de Reinhardt Wagner, Frank Thomas (Faubourg 36); “Take it all”, de Maury Yeston (Nine); “Down in New Orleans”, de Randy Newman (A Princesa e o Sapo); “Almost There”, de Randy Newman (A Princesa e o Sapo).

Direção de arte – Avatar, por Rick Carter, Robert Stromberg e Kim Sinclair; O Mundo Imáginário do Dr. Parnassus, por Dave Warren, Anastasia Masaro e Caroline Smith; Nine, por John Myhre e Gordon Sim; Sherlock Holmes, por Sarah Greenwood e Katie Spencer; e The Young Victoria, por Patrice Vermette e Maggie Gray.

Figurino – Bright Star, por Janet Patterson; Coco Antes de Chanel, por Catherine Leterrier; O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus, por Monique Prudhomme; Nine, por Colleen Atwood; e The Young Victoria, por Sandy Powell.

Maquiagem – Il Divo, por Aldo Signoretti, Vittorio Sodano; Star Trek, por Barney Burman, Mindy Hall, Joel Harlow; e The Young Victoria, por John Henry Gordon, Jenny Shircore.

Efeitos visuais – Avatar, por Joe Letteri, Stephen Rosenbaum, Richard Baneham, Andy Jones; Distrito 9, por Dan Kaufman, Peter Muyzers, Robert Habros, Matt Aitken; e Star Trek, por Roger Guyett, Russell Earl, Paul Kavanagh, Burt Dalton.

Mixagem de som – Avatar, por Christopher Boyes, Gary Summers, Andy Nelson, Tony Johnson; Guerra ao Terror, por Paul N.J. Ottosson, Ray Beckett; Bastardos Inglórios, por Michael Minkler, Tony Lamberti, Mark Ulano; Star Trek, por Anna Behlmer, Andy Nelson, Peter J. Devlin; Transformers – A Vingança dos Derrotados, por Greg P. Russell, Gary Summers, Geoffrey Patterson.

Edição de som – Avatar, por Christopher Boyes, Gwendolyn Yates Whittle; Guerra ao Terror, por Paul N.J. Ottosson; Bastardos Inglórios, por Wylie Stateman; Star Trek, por Mark P. Stoeckinger, Alan Rankin; e Up – Altas Aventuras, por Michael Silvers, Tom Myers.

Curta-metragem – The Door,de Juanita Wilson, James Flynn; Istället för Abrakadabra, de Patrik Eklund, Mathias Fjällström; Kavi, de Gregg Helvey; Miracle Fish, de  Luke Doolan, Drew Bailey; e The New Tenants, de Joachim Back, Tivi Magnusson.

Curta-metragem de animação – French Roast, de Fabrice Joubert; Granny O’Grimm’s Sleeping Beauty, de Nicky Phelan, Darragh O’Connell; La Dama y la Muerte, de  Javier Recio Gracia; Logorama, de Nicolas Schmerkin; A Matter of Loaf and Death, de Nick Park.

Documentário em curta-metragem – China’s Unnatural Disaster: The Tears of Sichuan Province, de Jon Alpert e Matthew O’Neill; The Last Campaign of Governor Booth Gardner, de Daniel Junge e Henry Ansbacher; The Last Truck: Closing of a GM Plant, de Steven Bognar e Julia Reichert; Music by Prudence, de Roger Ross Williams e Elinor Burkett; e Rabbit à la Berlin, de Bartek Konopka e Anna Wyd.

Anúncios