Mark Boal, o roteirista de "Guerra ao Terror"

Agora foi a vez do sindicato dos roteiristas escolherem seus melhores do ano. O Writers Guild of America (WGA) anunciou sexta seus vencedores, com mais um prêmio para Guerra ao Terror (de Mark Boal), o de roteiro original, enquanto Amor sem Escalas (de Jason Reitman e Sheldon Turner) ganhou o de roteiro adaptado – mostrando que é mesmo favorito na categoria para o Oscar.

Não chega a ser uma surpresa que Avatar tenha perdido mais essa, já que é quase um consenso de que o roteiro do filme é mesmo seu calcanhar de Aquiles e ele nem chegou a ser indicado ao Oscar nessa categoria. Como os indicados são eleitos por cada setor da Academia, estava claro que o roteiro de Avatar não era tão querido pelos próprios roteiristas.

O principal derrotado não foi Avatar, mas Bastardos Inglórios, que vai tentar repetir no oscar o feito de Quentin Tarantino em Pulp Fiction – Tempo de Violência, em 1995. No âmbito geral, a vitória de Guerra ao Terror mantém emboladas as previsões para os prêmios da Academia, e mostra que o filme de Kathryn Bigelow não vai à cerimônia do Oscar para fazer figuração, como alguns pensam.

Entre os documentário, The Cove, sobre a matança de golfinhos no Japão, venceu (com roteiro de Mark Monroe). É o favorito ao Oscar de documentário. Na TV, Mad Men ganhou como série dramática e 30 Rock como série de comédia. Como nova série, Modern Family venceu. House ganhou como melhor epísódio dramático (“Broken”, partes 1 e 2) e 30 Rock (com “Apollo, Apollo”) e Modern Family (com o piloto) empataram na categoria de episódio cômico.

Anúncios