79. Fernanda Montenegro

Fernandona em "Central do Brasil": convencendo até Hollywood

Fernandona é hors concours. Mas aqui não se trata propriamente da melhor atriz e, sim, das preferidas – e critérios ainda mais subjetivos contam. Mas a perícia na área também – e como Fernanda pode não entrar numa lista de preferidas após a interpretação soberba em Central do Brasil (1998), que deu uma inédita indicação ao Oscar para um ator brasileiro? Ou seja: os atores da Academia se renderam a ela, mesmo com a barreira da língua e descobriram o que nós já sabemos há muito tempo. E é um prazer ver que ela brilha especialmente em papéis cômicos, que o Sílvio de Abreu teve a coragem de dar a ela em algumas novelas, como Guerra dos Sexos (1983) e Cambalacho (1986).

Vá atrás: A Falecida (1965); Tudo Bem (1978); Eles Não Usam Black-Tie (1981); A Hora da Estrela (1985); Central do Brasil (1998); O Auto da Compadecida (1999); Casa de Areia (2005).

Cena abaixo: dois monstros sagrados (ela e Paulo Autran) na impagável cena de pastelão em Guerra dos Sexos

Atriz anterior: Marcia Gay Harden

Anúncios