78. Meg Ryan

Em "Sintonia de Amor", a namoradinha da América no auge

Meg Ryan, coitada, não soube envelhecer. Se encheu de botox, faz filmes deprimentes e sua carreira nem de longe lembra a época em que era um docinho de coco estrelando as comédias românticas escritas e às vezes dirigidas por Nora Ephron. Mas esse período existiu e é por causa dele que ela está aqui. A insistência no estilo algumas vezes pareceu excessiva, mas, olhando direitinho, haviam coisas mais arriscadas, como The Doors (1991) ou Coragem sob Fogo (1996). Mas a quem querem enganar? Alguma de suas personagens transgressoras nestes filmes (ou em Em Carne Viva, 2003, com todas aquelas cenas de sexo) supera sua Sally Albright de Harry & Sally, Feitos um para o Outro? Nem pensar.

Vá atrás: Viagem Insólita (1987), Harry & Sally, Feitos um para o Outro (1987), The Doors (1991), Sintonia de Amor (1993), O Outro Lado da Nobreza (1995), Coragem sob Fogo (1996), Anastasia (1997), Cidade dos Anjos (1998), Mensagem para Você (1998), Kate & Leopold (2001), Em Carne Viva (2003).

Cena abaixo: o orgasmo mais célebre do cinema, claro, em Harry & Sally.

Atriz anterior: Fernanda Montenegro

Anúncios