Publicado em 30 de dezembro de 2005, no Jornal da Paraíba.

1 – “Menina de Ouro”, de Clint Eastwood

“O filme sacamentou de vez o talento do veterano diretor. Uma narração absolutamente sutil para uma história que tinha tudo para cair no dramalhão”.

2 – “O Castelo Animado”, de Hayao Miyazaki

“(…) Um esplendor (…). A técnica refinada – contrastando com a grosseria da maioria das animações nipônicas – é o suporte para uma história densa e complexa, cheia de nuances”.

3 – “King Kong”, de Peter Jackson

“Equilibrando com perfeição o romance inusitado entre o monstro e a mocinha, a ação grandiosa, os elementos cômicos e o clima trágico, a superprodução ganha ainda mais com a escalação de um elenco ideal”.

4 – “O Jardineiro Fiel”, de Fernando Meirelles

“Ao mesmo tempo em que é uma crítica social, também é um das melhores histórias de amor do ano”.

5 – “Closer – Perto Demais”, de Mike Nichols

“O filme que, de maneira chocante, retratou o vazio das relações amorosas da atualidade”.

6 – “O Aviador”, de Martin Scorsese

“O diretor pega uma história fada a ser apenas um superespetáculo e a transforma num grande drama psicológico”.

7 – “Sideways – Entre umas e Outras”, de Alexander Payne

“É simples, é engraçado, é dramático e é romântico, com um ator brilhante e ainda superestimado (Paul Giamatti)”.

8 – “Herói”, de Zhang Yimou

“Equilibrou (…) a esplêndida fotografia com uma história tão impactante quanto”.

9 – “Batman Begins”, de Christopher Nolan

“Quando ninguém acreditava mais, eis que surge a melhor adaptação do Homem-Morcego para as telas”.

10 – “A Queda – As Últimas Horas de Hitler”, de Oliver Hirschbiegel

“O filme alemão mostra principalmente o ambiente asfixiante (…) à espera do fim do conflito sob a ótica de vários personagens”.

***

Juro que eu não faço de propósito, mas fico feliz quando vejo que a relação final das minhas listas consegue ir do mais off-Hollywood ao bom pipoca. Do cinema chinês ao Batman, do independente a King Kong. Neste ano, 129 filmes passaram pelos cinemas de João Pessoa. 15 deles, nacionais – o melhor, Vinícius, acabou não ficando entre os dez do ano.

Melhores do ano: 2004

Anúncios