Roger Moore e Liv Ullman não esconderam a surpresa quando, em 1973, ao anunciarem Marlon Brando como vencedor do Oscar de melhor ator por O Poderoso Chefão, subiu ao palco uma índia. Com um gesto, Sacheen Littlefeather recusa em nome de Brando o Oscar oferecido por Moore e lê um comunicado onde o ator justifca o gesto como um protesto contra o tratamento que os nativos americanos sofreram do cinema. Depois, ficou-se sabendo de que ela era, na verdade, Marie Cruz, uma atriz contratada por Brando (seu site oficial – sim, ela tem um – afirma que ela é filha de uma francesa-alemã-holandesa e de um apache).

Anúncios