½

Bom filme de um show excelente

O grupo irlandês bem de perto

Sobre o show, não há o que discutir: uma das maiores bandas do mundo, o U2 domina sem dificuldades palco e plateia na turnê Vertigo, filmada em três dimensões. Diante disso, e do aparato técnico disponível, dificilmente U2 3D (U2 3D, EUA, 2007), exibido no final de semana, deixaria de ser um bom filme.
É, sem dúvida, um registro muito bom da performance de Bono Vox & cia.

Mas não há muito mais do que isso. O filme fica a léguas de distância de documentários essenciais de shows, como o mítico Woodstock (1970) – que, veja você, foi filmado num paupérrimo 16mm – se comparado ao prodígio técnico de U2 3D. E, mesmo assim, é um registro muito mais impressionante. Até mesmo, The Rolling Stones – Shine a Light (2008), de Scorsese, que não é nenhuma revolução no gênero, tem mais personalidade.

Para os fãs do U2, nada disso importa, claro. O grupo está lá e é o suficiente – e o grupo não desaponta. O show garante fácil a diversão do espectador.

U2 3D (U2 3D, EUA, 2011). Direção: Catherine Owens, Mark Pellington.

Anúncios