Aos trancos e barrancos, vamos tentando nos atualizar com a programação do Cineport.

QUARTA, 21

-O filme mais premiado do Cineport este ano (com quatro prêmios) é Tropa de Elite 2 – ontem, aliás, o filme foi escolhido pelo MinC para representar o Brasil na tentativa de ser um dos cinco indicados ao Oscar. Enfim, ele dispensa apresentações. No Cineport, ganhou os prêmios de melhor ator (para Wagner Moura), fotografia, roteiro e produtor. Passa na Tenda Andorinha, às 14 horas.

– No mesmo horário, na Sala Vladimir Carvalho, mais uma sessão dos curtas paraibanos que concorrem ao Prêmio Energisa – aqui, os documentários. Oferenda, de Ana Bárbara Ramos, e Família Vidal, de Diego Benevides, estão na lista.

– Mais uma sessão DOC TV CPLP acontece às 16 horas, na Tenda Andorinha. Os docs são Eugenio Tavares, Coração Crioulo, de Júlio Silvão Tavares, de Cabo Verde, sobre estrangeiros presos em São Paulo e suas histórias de vida, e Rio da Verdade, de Domingos Sanca, de Guiné-Bissau, sobre as mudanças climáticas do planeta, do ponto de vista do Parque Natural de Cachéu, situado na fronteira da Guiné-Bissau com o Senegal, ameaçado pelo avanço progressivo do deserto do Saara.

– Mais um dos filmes que homenageiam Cabo Verde será exibido às 16 horas: Some Kind of Funny Porto Rican, de Clare Andrade-Watkins. O filme americano fala sobre os caboverdeanos que vivem em Porto Rico.

– Às 18 horas, na Sala Vladimir Carvalho, dois curtas da sessão Panorama Cineport: Jom Speed, de João Brito (Djon Boss), de  Cabo Verde, e Impunidades Criminosas, de Sol de Carvalho, de Moçambique (na prática, um média-metragem, com 44 minutos).

– No mesmo horário, começa uma seqüência de longas brasileiros inéditos nos cinemas de João Pessoa. O primeiro deles, na Tenda Andorinha, é o documentário O Homem que Engarrafava Nuvens, que recebe o prêmio de melhor fotografia para documentário (para Walter Carvalho) e enfoca a vida e a obra de Humberto Teixeira, autor de clássicos como “Asa branca”, mas sempre à sombra do parceiro Luiz Gonzaga.

– Depois, às 20 horas, é a vez de Viajo porque Preciso, Volto porque Te Amo, de Marcelo Gomes e Karim Ainouz, que ganhou o prêmio de melhor montagem (para Karen Harley). Um dos filmes mais elogiados do ano passado, concorreu ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro (mas perdeu para Tropa de Elite 2). O filme mostra as reflexões de um geólogo enquanto viaja pelo sertão nordestino. O grande lance é a união de imagens documentais e som off ficcional.

– No mesmo horário, na Sala Vladimir Carvalho, o novíssimo filme da Lúcia Murat será exibido no Panorama Cineport. Uma Longa Viagem, com Caio Blat, ganhou o último Festival de Gramado.

– Outro filme inédito nos cinemas é Luz nas Trevas – A Volta do Bandido da Luz Vermelha, de Helena Ignez, com o qual ela continua O Bandido da Luz Vermelha original, de 1968, o maior clássico do cinema udigrudi nacional. Helena foi a atriz do filme e era casada com o diretor, Rogério Sganzerla. O novo filme traz Ney Matogrosso e Maria Luísa Mendonça no elenco e teve problemas para ser lançado. Será exibido às 22 hpras, na Tenda Andorinha.

– Enquanto isso, para encerrar a noite, a Sala Vladimir Carvalho apresenta os curtas de animação que concorrem ao Andorinha. São 11, entre eles Menina da Chuva e Os Olhos do Farol, do português Pedro Serrazina.

 

 

Jom Speed

Anúncios