Quando se fala em Curtindo a Vida Adoidado, logo vem à mente a cena em que Matthew Broderick dubla “Twist and shout” na Parada do Dia de Von Steuben (em homenagem à cultura alemã e a um herói da independência americana que era prussiano de origem). Mas um momento que eu acho particularmente brilhante no filme é a sequência imediatamente anterior, no Art Institute of Chicago, onde o diretor John Hughes não só mostra suas pinturas preferidas (há obras de Edward Hopper, Picasso, Modigliani, Pollock, Matisse, Toulouse-Lautrec, Rodin, Chagall, entre outras) como faz uma bonita interação: imagens estáticas e compostas para compor um diálogo entre os personagens e as telas e esculturas.

Anúncios