Marilyn Monroe em “Something’s Got to Give”

1 – MARILYN MONROE, por Something’s Got to Give

Anteriormente em Musas retroativas: 4ª em 1952, por O Inventor da Mocidade, por Almas Desesperadas, por Só a Mulher Peca, por Travessuras de Maridos e por Páginas da Vida; 3ª em 1953, por Os Homens Preferem as Louras, por Torrentes de Paixão e por Como Agarrar um Milionário; 3ª em 1954, por O Mundo da Fantasia e por O Rio das Almas Perdidas; 1ª em 1955, por O Pecado Mora ao Lado; 4ª em 1956, por Nunca Fui Santa; 3ª em 1957, por O Príncipe e a Corista; 2ª em 1959, por Quanto Mais Quente Melhor; 11ª em 1960, por Adorável Pecadora; 2ª em 1961, por Os Desajustados.

Something’s Got to Give nunca foi concluído. Foi o final melancólico da carreira da diva máxima Marilyn Monroe, demitida após inúmeros atrasos, faltas ao set e outras complicações. Ela morreu, naquelas circunstâncias misteriosas, semanas depois, e o filme permaneceria inacabado – o mais famoso filme inacabado de todos os tempos (o projeto foi retomado com outro diretor e elenco – mas com parte dos mesmos cenários – como Eu, Ela e a Outra (1963), com Doris Day no papel que era de Marilyn). O que restou foi editado no documentário Marilyn Monroe – O Fim dos Dias. E mesmo em um filme inacabado ela era capaz de criar momentos inesquecíveis. Estamos falando, claro, da cena da piscina, onde ela veste apenas a parte de baixo de um biquíni cor-da-pele. Para as fotos de divulgação, feitas na sequência, Marilyn quis causar uma comoção mundial e tirou também a parte de baixo. Funcionou. No âmbito desta lista, superou a jovem Sue Lyon pirando o homem de meia idade em Lolita, Ursula Andress saindo das águas como Vênus no primeiro James Bond, Jeanne Moreau, a mulher entre dois homens de Jules e Jim, e Norma Bengell em um momento histórico: o primeiro nu frontal total feminino do cinema nacional. Concorrência dura. E, curiosidade, as italianas responderam por um quarto da lista: cinco musas em 1962! Primeira aparição: Sue Lyon, Ursula Andress, Suzanne Pleshette. Última aparição: Marilyn Monroe, Anita Ekberg, Vera Miles, Pier Angeli, Elsa Martinelli, Shirley Jones, Silvana Magano, Eva Marie Saint. Única aparição: Corinne Marchand. Brasileiras na lista: Norma Bengell.

Sue Lyon em “Lolita”

2 – SUE LYON, por Lolita

Posteriormente em Musas retroativas: 16ª em 1964, por A Noite do Iguana.

Ursula Andress em “007 contra o Satânico Dr. No”

3 – URSULA ANDRESS, por 007 contra o Satânico Dr. No

Posteriormente em Musas retroativas: 10ª em 1963, por O Seresteiro de Acapulco; 18ª em 1965, por A Deusa da Cidade Perdida e por O que É que Há, Gatinha?; 18ª em 1966, por Crepúsculo das Águias; 12ª em 1967, por Cassino Royale; 19ª em 1979, por O Quinto Mosqueteiro.

Jeanne Moreau em "Jules e Jim - Uma Mulher para Dois"

Jeanne Moreau em “Jules e Jim – Uma Mulher para Dois”

4 – JEANNE MOREAU, por Jules e Jim – Uma Mulher para Dois

Anteriormente em Musas retroativas: 4ª em 1958, por Os Amantes e por Ascensor para o Cadafalso; 13ª em 1959, por As Ligações Perigosas; 8ª em 1961, por A Noite. Posteriormente em Musas retroativas: 18ª em 1964, por Diário de uma Camareira; 10ª em 1965, por Viva Maria! e por Falstaff – O Toque da Meia-Noite.

Norma Bengell em "Os Cafajestes"

Norma Bengell em “Os Cafajestes”

Norma Bengell em "O Pagador de Promessas"

Norma Bengell em “O Pagador de Promessas”

5 – NORMA BENGELL, por Os Cafajestes e por O Pagador de Promessas

Anteriormente em Musas retroativas: 5ª em 1959, por O Homem do SputnikPosteriormente em Musas retroativas: 1ª em 1964, por Noite Vazia.

Sophia Loren em “Boccaccio ’70”

6 – SOPHIA LOREN, por Boccacio ’70

Anteriormente em Musas retroativas: 12ª em 1954, por Duas Noites com Cleópatra e por A Invasão dos Bárbaros; 11ª em 1957, por A Lenda da Estátua Nua, por Orgulho e Paixão e por A Lenda dos Desaparecidos; 19ª em 1958, por Tentação Morena, por A Orquídea Negra, por Desejo e por A Chave; 4ª em 1960, por Duas Mulheres, por Começou em Nápoles e por The Millionairess; 14ª em 1961, por El Cid. Posteriormente em Musas retroativas: 4ª em 1963, por Ontem, Hoje e Amanhã; 8ª em 1964, por Matrimônio à Italiana e por A Queda do Império Romano; 14ª em 1966, por Arabesque; 20ª em 1967, por A Condessa de Hong Kong; 5ª em 1972, por O Homem de La Mancha.

Monica Vitti em “O Eclipse”

7 – MONICA VITTI, por O Eclipse

Anteriormente em Musas retroativas: 1ª em 1960, por A Aventura; 5ª em 1961, por A Noite. Posteriormente em Musas retroativas: 14ª em 1964, por O Deserto Vermelho; 5ª em 1966, por Modesty Blaise.

Suzanne Pleshette em “Candelabro Italiano”

8 – SUZANNE PLESHETTE, por Candelabro Italiano

Posteriormente em Musas retroativas: 13ª em 1963, por Os Pássaros.

Anita Ekberg em “Boccaccio ’70”

9 – ANITA EKBERG, por Boccaccio ’70

Anteriormente em Musas retroativas: 12ª em 1955, por Artistas e Modelos; 10ª em 1960, por A Doce Vida.

Natalie Wood em “Em Busca de um Sonho”

10 – NATALIE WOOD, por Em Busca de um Sonho

Anteriormente em Musas retroativas: 6ª em 1955, por Juventude Transviada; 10ª em 1958, por Até o Último Alento; 3ª em 1961, por Clamor do Sexo e por Amor, Sublime Amor. Posteriormente em Musas retroativas: 3ª em 1964, por Médica, Bonita e Solteira;4ª em 1965, por A Corrida do Século; 13ª em 1966, por Esta Mulher É Proibida; 3ª em 1969, por Bob & Carol & Ted & Alice.

Vera Miles em “O Homem que Matou o Facínora”

11 – VERA MILES, por O Homem que Matou o Facínora

Anteriormente em Musas retroativas: 14ª em 1956, por Rastros de Ódio; 9ª em 1957, por O Homem Errado.

Angie Dickinson em “Candelabro Italiano”

12 – ANGIE DICKINSON, por Candelabro Italiano

Anteriormente em Musas retroativas: 4ª em 1959, por Onde Começa o Inferno; 15ª em 1960, por Onze Homens e um SegredoPosteriormente em Musas retroativas: 15ª em 1966, por Caçada Humana; 7ª em 1967, por À Queima-Roupa; 17ª em 1980, por Vestida para Matar.

Pier Angeli em “Sodoma & Gomorra”

13 – PIER ANGELI, por Sodoma e Gomorra

Anteriormente em Musas retroativas: 16ª em 1956, por Marcado pela Sarjeta; 14ª em 1958, por Viva o Palhaço!

Elsa Martinelli em “Hatari!”

14 – ELSA MARTINELLI, por Hatari!

Anteriormente em Musas retroativas: 12ª em 1959, por A Longa Noite de Loucuras; 16ª em 1960, por Rosas de Sangue.

Romy Schneider em “Boccaccio ’70”

15 – ROMY SCHNEIDER, por Boccaccio ’70

Anteriormente em Musas retroativas: 18ª em 1955, por Sissi; 15ª em 1957, por Sissi e Seu DestinoPosteriormente em Musas retroativas: 16ª em 1965, por O que É que Há, Gatinha?; 11ª em 1972, por Ludwig, o Último Rei da Bavária.

Corinne Marchand em “Cléo de 5 às 7”

16 – CORINNE MARCHAND, por Cléo de 5 às 7

Shirley Jones em “O Vendedor de Ilusões”

17 – SHIRLEY JONES, por O Vendedor de Ilusões

Anteriormente em Musas retroativas: 18ª em 1955, por Oklahoma.

Anna Karina em “Viver a Vida”

18 – ANNA KARINA, por Viver a Vida

Anteriormente em Musas retroativas: 4ª em 1961, por Uma Mulher É uma Mulher. Posteriormente em Musas retroativas: 20ª em 1964, por Bande a Part; 9ª em 1965, por O Demônio das Onze Horas e por Alphaville.

Silvana Mangano em “Barrabás”

19 – SILVANA MANGANO, por Barrabás

Anteriormente em Musas retroativas: 16ª em 1954, por Ulisses.

Eva Marie Saint em “Anjo Violento”

20 – EVA MARIE SAINT, por Anjo Violento

Anteriormente em Musas retroativas: 11ª em 1954, por Sindicato de Ladrões; 3ª em 1959, por Intriga Internacional.

Musas de 1961 <<
>> Musas de 1963

Anúncios