Howard Hawks

Os mineiros entraram definitivamente na rota das grandes mostras. Primeiro, foi a de Chaplin, com a obra completa do gênio. Hoje, começa outra, dedicada à obra completa de Howard Hawks.

É um excelente resgate, visto que Hawks faz tempo é pouco citado entre os grandes de todos os tempos. Na pesquisa que o blog aqui fez com cinéfilos paraibanos em 2010 sobre seus cineastas preferidos, dos 100 ouvidos apenas um citou Hawks entre seus cinco – e fui eu mesmo.

Enfim, sejam bem-vindos os filmes de Hawks, o cineasta dos homens com uma missão. E também um dos mais versáteis do cinemão de Hollywood, deixando clássicos no filme de gãngster, nas comédias malucas, no musical e, principalmente, no faroeste.

Algumas histórias sobre ele são muito boas como a de que estava pescando com o amigo Ernest Hemingway e este o desafiou a fazer um filme a partir de um livro ruim. Hawks devolveu: “Faço um filme bom do seu pior livro”. Hemingway escolheu e o filme foi Uma Aventura na Martinica (1944), que, ainda por cima, revelou Lauren Bacall.

Foi Hawks também que se indignou porque um xerife ficava pedindo ajuda a todo mundo para encarar um bandido em Matar ou Morrer (1952) e fez um filme em que o xerife, contra todo mundo, mantém o bandido preso: Onde Começa o Inferno (1959), tão antológico quanto seu “espelho”.

Hawks talvez não esteja sendo tão lembrado por não ter sido exatamente um revolucionário ou um inventor no cinema. Foi, no entanto, um exímio contador de histórias, um talentosíssimo narrador. Como você vê a seguir, nessa nossa lista de dez grandes Howard Hawks.

Em tempo: a mostra, no Cine Humberto Mauro, começa hoje com Levada da Breca (1938) e segue por um mês com exibições diárias – quase todas em 35mm. Inclui até filmes mudos e curiosidades como O Proscrito (1948) em que ele acabou não creditado como diretor no final. Há também um curso com Inácio Araújo, debates e palestras. Confira a programação completa.

10 - "O Inventor da Mocidade" (1952)

10 – “O Inventor da Mocidade” (1952)

Comédia com Marilyn antes da fama e chimpazés.

9 - "Bola de Fogo" (1941)

9 – “Bola de Fogo” (1941)

Roteiro de ninguém menos que Billy Wilder, antes de ele mesmo começar a dirigir.

8 - "Paraíso Infernal" (1939)

8 – “Paraíso Infernal” (1939)

Aventura tipicamente hawksiana: um grupo de homens faz a perigosíssima correspondência aérea na América do Sul, custe o que custar.

7 - "Os Homens Preferem as Loiras" (1953)

7 – “Os Homens Preferem as Loiras” (1953)

Raro filme de Hawks em que as mulheres comandam a ação, e o diretor contribui de novo para a criação do mito Marilyn Monroe. Leia mais.

6 - "Scarface, a Vergonha de uma Nação" (1932)

6 – “Scarface, a Vergonha de uma Nação” (1932)

Um dos filmes de gangster essenciais.

5 - "À Beira do Abismo" (1946)

5 – “À Beira do Abismo” (1946)

Hawks reuniu Bogart e Bacall (casal que formou em Uma Aventura na Martinica) adaptando o romance de Raymond Chandler.

4 - "Jejum de Amor" (1940)

4 – “Jejum de Amor” (1940)

De novo Cary Grant em uma comédia romântica (e maluca) sobre jornalismo.

3 - "Rio Vermelho" (1948)

3 – “Rio Vermelho” (1948)

Hawks recontou O Grande Motim, que se passa no mar, no Velho Oeste!

2 - "Levada da Breca" (1938)

2 – “Levada da Breca” (1938)

A quintessência da comédia maluca, com Katharine Hepburn e Cary Grant no máximo.

1 - "Onde Começa o Inferno" (1959)

1 – “Onde Começa o Inferno” (1959)

Não há a chegada da civilização, a luta dos pioneiros ou outra coisa além de uma aventura de faroeste pura e contada com maestria.

 

Anúncios