Estrelas-03 e meia juntas

Melhor na soma das partes

Amy, Cooper, Renner, Bale e Jennifer: o elenco é uma das forças

Amy, Cooper, Renner, Bale e Jennifer: o elenco é uma das forças

Por alguma razão, David O. Russell se tornou o queridinho da Academia. Talvez por seu talento como diretor de atores – este já havia sido o forte de O Vencedor (2010), assim como foi o de O Lado Bom da Vida (2012), e os dois filmes renderam Oscars de atuação. Agora, Trapaça (American Hustle, Estados Unidos, 2013) tem 10 indicações – incluindo as quatro de atuação.

E realmente, de novo, é no elenco bem composto e com muita disposição que está a maior qualidade do filme. Russell faz uma reunião de atores com quem trabalhou recentemente: Christian Bale (Oscar de coadjuvante por O Vencedor), Bradley Cooper (indicado por O Lado Bom da Vida), Amy Adams (indicada a coadjuvante por O Vencedor), Jennifer Lawrence (Oscar por O Lado Bom da Vida), Robert De Niro (indicação a coadjuvante por O Lado Bom da Vida). O novato na turma é Jeremy Renner.

Essa constelação está a serviço de uma trama intrincada, que começa com uma discussão entre os personagens de Bale e Amy (amantes que aplicavam golpes) e Cooper (o agente do FBI que está louco para subir de importância no trabalho e os força a ajudá-lo a dar flagrantes em políticos que aceitam propina). Ali já é jogada a senha de que alguém está enganando alguém. O filme passa então ao flashback narrado ora por Bale, ora por Amy, contando como se conheceram, seu romance, seu acerto nos “negócios” e a entrada de Cooper em cena.

Mas na primeira metade do filme Russell parece mais encantando com a ambientação anos 1970 do que em fazer a história andar. Há um capricho em retratar os interiores, o figurino, os penteados, os modismos, a trilha sonora. O próprio diretor já declarou que os personagens interessam mais a ele que a história, o que explica o esmero em cenas que mostram como eles tentam o tempo todo fingir algo que não são – começando pelo personagem de Bale arrumando os cabelos para debilmente esconder a calvície ou Cooper usando minibobs para gerar os cachinhos.

A trama em si engrena mesmo lá pela segunda metade, onde o elenco também cresce – Bale, consciente ou não, imitando De Niro; Jennifer dublando vorazmente “Live and let die”; Amy Adams mudando de sotaque e mais sexy do que nunca. E a aparição ótima de De Niro.

A trama é inspirada em uma operação real do FBI que contou com a ajuda de um trambiqueiro nos mesmos anos 1970. Mas, partindo do ponto em que Russell não se importa tanto com a história, o que aconteceu de fato é apenas um ponto de partida para a construção e desfile dessa galeria de tipos. Que também é muito boa.

O número de indicações talvez refleita isso: Trapaça parece melhor na soma de suas partes do que no todo.

Trapaça. American Hustle. Estados Unidos, 2013. Direção: David O. Russell. Elenco: Christian Bale, Bradley Cooper, Amy Adams, Jeremy Renner, Jennifer Lawrence, Louis C.K.

Anúncios