O final com a frase antológica: Leandro Firmino da Hora, em "Cidade de Deus"

O final com a frase emblemática: Leandro Firmino da Hora em “Cidade de Deus”

A história da “boca dos apês” é uma passagem de tempo em flashback absolutamente brilhante, com a câmera parada e as cenas se desenrolando em vários locais da sala, uma se misturando às outras. E termina justamente com o emblemático “Dadinho é o caralho! Meu nome agora é Zé Pequeno, porra!”.

Cidade de Deus (2002), direção de Fernando Meirelles; roteiro de Bráulio Mantovani, baseado em livro de Paulo Lins.

Anúncios