You are currently browsing the daily archive for 11/03/2021.

Meu recorte exclui aberturas mais antigas, quando essa arte ainda estava em evolução. Também só listamos aberturas da Globo porque, francamente, a concorrência seria desleal.

10 – FELICIDADE (1991)

A maneira como o arco-íris transforma o tédio em alegria é muito engraçada de tão ruim. Faltou um esforço. Novela de Manoel Carlos. Tema de abertura: “Felicidade”, com Roupa Nova, de Kiko e Orlando Morais.

***

9 – A INDOMADA (1997)

É Maria Fernanda Cândido, antes da carreira de atriz, que corre superando obstáculos toscos de maneira também bem tosca. Ela encarna elementos da natureza contra barreiras de ferro e concreto. Novela de Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares. Tema instrumental “Maracatudo”, de Sérgio Mendes.

***

8 – ZAZÁ (1997)

Com todo o respeito à dona Fernanda, ela de piloto nesses transportes voadores de animação, sobre imagens aéreas do Rio não funcionou. Nem mesmo Rita Lee no tema musical (“Dona Doida”, composta com Roberto de Carvalho) foi muito feliz. Novela de Lauro César Muniz.

***

7 – A LEI DO AMOR (2016)

Riponga em excesso, com essas fitas vermelhas citando uma tradição chinesa, etc. e tal. Nem Ney Matogrosso cantando Villa-Lobos (“O trenzinho do caipira”) salva. Novela de Maria Adelaide Amaral e Vicente Villari.

***

6 – AVENIDA BRASIL (2012)

Nada mais que um baile muitíssimo vagamente ligado à novela, com focos de luz coloridos ao fundo (ah, faróis de carros!… Estão numa avenida, então… Hum-rum…). A música (há quem goste) é “Vamos dançar com tudo” (“com tudo” em vez da palavra original, provavelmente porque a emissora não quis “kuduro” repetido todo dia no horário nobre), com Robson Moura e Lino Krizz. Rendeu ao menos uma hashtag no Twitter: #oioioi. Novela de João Emanuel Carneiro.

***

5 – AGORA É QUE SÃO ELAS (2003)

Cores fortes, uma animação digital xarope e enjoativa e fotos do elenco, o que é quase sempre sinal de pouquíssima inspiração. Música (também pouco inspirada) de Lulu Santos (“Já é”). Novela de Ricardo Linhares.

***

4 – O PROFETA (2006)

Fotos dos atores nessa geleca. O tema, também péssimo, é “Além do olhar”, com Ivo Pessoa. Parece coisa das piores novelas do SBT. Novela de Duca Rachid, Thelma Guedes e Júlio Fischer.

***

3 – OLHO NO OLHO (1993)

Não se pode dizer que a abertura não combina com a novela: é tão ridícula quanto. Sabe quem é o paranormal soltando raiozinhos pelos olhos? Ricardo Macchi, que depois seria o inesquecível cigano Igor! Não podia mesmo dar certo. Tema de abertura: “Magnificat”, com Rútila Máquina. Novela de Antônio Calmon.

***

2 – SENHORA DO DESTINO (2004)

A câmera passeia por totens digitais de pessoas comuns em preto-e-branco. No meio delas, estão os personagens da novela, coloridos. Era pra parecer que eles são gente comum? É uma abertura preguiçosa demais, desinteressante na ideia e na execução. É preguiçosa a ponto de nem editarem direito o tema de abertura, terminando no meio de uma frase. O tema, aliás, é “Encontros e despedidas”, com Maria Rita, de Fernando Brant e Milton Nascimento. Novela de Aguinaldo Silva.

***

1 – VILA MADALENA (1999)

Nosso primeiro lugar chegou a posto porque é simplesmente uma não-abertura. Eu disse que o auge da preguiça era a abertura de Senhora do Destino? Não, é esta: resolveram não fazer abertura nenhuma. Apenas jogaram clipes com músicas da trilha sonora, trocados semanalmente, e os créditos do elenco por cima. Inacreditável. Novela de Walther Negrão.

***

* Esta é uma lista pessoal. Com 100% de certeza, você não vai concordar com 100% dela. Tudo bem — eu gostaria de saber a sua lista, que aberturas você tiraria e quais incluiria (me diga nos comentários!).

Páginas

Sigam-me os bons (no Twitter)