Chegamos ao final de mais um Melhores do Ano. 242 filmes estrearam comercialmente nos cinemas de João Pessoa. Destes, 102 atingiram o quórum mínimo de seis votos entre nosso colégio eleitoral (um a mais que no ano passado). Foram 31 eleitores, dos quais 28 deram suas notas para todos os filmes que viram nos 12 meses de 2017.

O agradecimento do blog a todos vocês e aos nossos quatro críticos profissionais que foram convidados e aceitaram participar da brincadeira: Suzana Uchôa Itiberê, editora da revista Preview; Robledo Milani, do portal Papo de Cinema; Francisco Russo, do portal Adoro Cinema; e Suyene Correia Santos, do blog Bangalô Cult.

Como vocês sabem, as médias são fruto da soma das notas recebidas dividida pelo número de pessoas que viram o filme. Veja a seguir o resultado total, dos piores para os melhores.

  • Começamos pelos dez piores filmes do ano (12 na verdade, por conta dos empates).
  • Embora as marcas e franquias sejam o ganha-pão de Hollywood hoje, nem todas convencem. Quatro continuações ou refilmagens ocupam as últimas posições no ranking.
  • A franquia dos robôs gigantes cansou faz tempo. O quinto Transformers teve performance parecida com os dois anteriores: O Lado Oculto da Lua ficou em 117º em 2011 (média 1,6) e A Era da Extinção só chegou ao 90º (média 2,416).

102º – XXX – Reativado – 1,75
101º – A Múmia – 1,888
97º – Transformers – O Último Cavaleiro – 2
– Power Rangers – 2
– Tinha que Ser Ele? – 2
– Polícia Federal – A Lei É para Todos – 2
96º – Os Smurfs e a Vila Perdida – 2,166
94º – A Cura – 2,2
– Baywatch – S.O.S. Malibu– 2,2
91º – Vida – 2,25
– Pai em Dose Dupla 2 – 2,25
– O Círculo – 2,25

  • Aqui começa a relação dos “fracos”, dos filmes “de mais ou menos para menos”.
  • A nostalgia não salvou o novo Saltimbancos Trapalhões.
  • Carros 3 teve o pior desempenho de um desenho da Pixar, estúdio que já teve três primeiros lugares (Ratatouille, 2007; Toy Story 3, 2010; e Divertida Mente, 2015) e dois segundos (Wall-E, 2008; Up, 2009). Só não foi a pior animação do ano por causa de Os Smurfs e a Vila Perdida.
  • O novo Alien frequentou a lista dos piores do ano, mas teve seus fãs e acabou ficando numa posição média. A média é pior, mas a posição ficou semelhante a de Prometheus (73º em 2012, média 3,142).

88º – Os Saltimbancos Trapalhões – Rumo a Hollywood – 2,333
– Cinquenta Tons Mais Escuros – 2,333
– Carros 3 – 2,333
87º – Aliados – 2,363
86º – Valerian e a Cidade dos Mil Planetas – 2,4
85º – Meu Malvado Favorito 3 – 2,416
84º – Assassin’s Creed– 2,444
82º – A Grande Muralha – 2,5
– A Torre Negra –2,5
81º – Passageiros – 2,545
79º – A Vigilante do Amanhã – Ghost in the Shell – 2,555
– Alien – Covenant –2,555
78º – A Lei da Noite – 2,6

  • Aqui, os “médios médios”. Filmes que tiveram, em geral, médias 2 e 3 (Velozes e Furiosos 8; O Estranho que Nós Amamos), ou seja: nem agradaram muito, nem desagradaram.
  • Ou os polêmicos, divididos entre uma turma que deu notas altas (4 e 5) e outra que deu notas baixas (de 0 a 2), como os filmes de super-herói Liga da Justiça (duas notas 5, duas notas 4, uma nota 0, uma nota 1, cinco notas 2), Guardiões da Galáxia – Vol. 2 (uma nota 5, sete notas 4, duas notas 0, uma nota 1) e Thor – Ragnarok (seis notas 4, uma nota 1, quatro notas 2).
  • O desempenho do segundo Guardiões é frustrante: o primeiro filme chegou em 5º em 2016, ainda a melhor performance para um filme da Marvel Studios na nossa eleição.

76º – Velozes e Furiosos 8 – 2,666
– O Poderoso Chefinho – 2,666
75º – Piratas do Caribe – A Vingança de Salazar – 2,75
74º – Liga da Justiça – 2,785
72º – Kingsman – O Círculo Dourado – 2,8
– Beleza Oculta – 2,8
71º – Rei Arthur – A Lenda da Espada – 2,833
70º – O Estranho que Nós Amamos – 2,857
69º – O Filme da Minha Vida – 2,9
68º – Guardiões da Galáxia – Vol. 2 – 2,944
60º – A Cabana – 3
– Kong – A Ilha da Caveira – 3
– Malasartes e o Duelo com a Morte – 3
– Fome de Poder – 3
– Annabelle 2 – A Criação do Mal – 3
– Neruda – 3
– Lino – Uma Aventura de Sete Vidas – 3
– Feito na América – 3
59º – Thor – Ragnarok – 3,055
58º – Lego Batman – O Filme – 3,09
57º – Entre Irmãs – 3,166

  • Aqui começa a metade de cima da tabela. São os filmes que ainda são médios, mas já ganham mais notas altas que baixas.
  • Ainda há filmes que registraram pouca oscilação de notas ali no meio (Era o Hotel Cambridge; Extraordinário) e outros “polêmicos”, alternando notas altas e baixas (Lion teve quatro notas 5 e três notas 1; Mãe! teve seis notas 5, duas notas 1 e quatro notas 2).
  • Alguns grandes cineastas ficaram por aqui, com a sensação de que seus filmes poderiam ter ido mais longe: Woody Allen (Roda-Gigante), Sebastian Lelio (Jackie), Kenneth Branagh (Assassinato no Expresso do Oriente), Darren Aronofsky (Mãe!). Woody teve um filme em primeiro em 2011: Meia-Noite em Paris.

55º – Jumanji – Bem-Vindo à Selva – 3,2
– Joaquim – 3,2
54º – Extraordinário – 3,23
53º – O Rei do Show – 3,25
52º – A Bela e a Fera – 3,266
50º – Jackie – 3,272
– John Wick – Um Novo Dia para Matar – 3,272
49º – Era o Hotel Cambridge – 3,333
48º – Fragmentado – 3,35
47º – Lion – Uma Jornada para Casa – 3,375
46º – Assassinato no Expresso do Oriente – 3,384
45º – Roda Gigante – 3,4
44º – It – A Coisa – 3,437
37º – Até o Último Homem – 3,5
– Mãe! – 3,5
– Ao Cair da Noite – 3,5
– Depois Daquela Montanha – 3,5
– Corpo Elétrico – 3,5
– Sete Minutos Depois da Meia-Noite – 3,5
– Gabriel e a Montanha – 3,5

  • Média acima de 3,5 já caracteriza filmes de aceitação bem positiva, em que as notas negativas são destoantes do conjunto.
  • Também entramos nos 30 melhores filmes do ano. Uma lista a ser conferida.
  • Aparecem filmes pop que se destacaram pelo protagonismo feminino (Mulher-Maravilha; Moana; Estrelas Além do Tempo; Atômica), algumas surpresas (Victoria e Abdul; Z, a Cidade Perdida), um vencedor de Cannes (Eu, Daniel Blake).
  • Martin Scorsese frequentou a média 4, mas seu Silêncio parou nos 3,8 e 21º lugar. Ele já conseguiu um primeiro lugar com O Lobo de Wall Street, em 2014.

36º – Mulher-Maravilha – 3,52
35º – Um Limite entre Nós – 3,583
34º – As Duas Irenes – 3,6
33º – Moana – Um Mar de Aventuras – 3,611
32º – Animais Noturnos – 3,631
31º – Victoria e Abdul – O Confidente da Rainha – 3,625
29º – Homem-Aranha – De Volta ao Lar – 3,666
– Atômica – 3,666
28º – Z, a Cidade Perdida – 3,75
24º – Silêncio – 3,8
– Estrelas Além do Tempo – 3,8
– Em Ritmo de Fuga – 3,8
– Axé – Canto do Povo de um Lugar – 3,8
23º – A Qualquer Custo – 3,812
22º – Planeta dos Macacos – A Guerra – 3,823
21º – Eu, Daniel Blake – 3,888

  • Os 20 melhores filmes do ano. Adentramos os filmes com a ótima média 4. São filmes que, salvo exceções, poderiam muito bem ocupar o top 5.
  • 16 filmes atingiram a média 4, um pouquinho mais que em 2015 (15) e 2016 (12).
  • O novo Star Wars teve desempenho praticamente idêntico a O Despertar da Força, que ficou em 13º com média 4,045 em 2015.
  • Uma Mulher Fantástica é o vencedor do Oscar de filme de língua não inglesa deste ano.
  • Como Nossos Pais venceu o Festival de Gramado no ano passado.
  • Paterson, de Jim Jarmusch, liderou a votação por muito tempo, mas acabou fora do top 10.
  • O Apartamento, vencedor do Oscar de filme de língua não inglesa no ano passado, é do iraniano Asghar Farhadi, que ficou em primeiro em 2012, com A Separação, e em segundo em 2014, com O Passado.

20º – Uma Mulher Fantástica – 3,9
16º – Divinas Divas – 4
– Como Nossos Pais – 4
– O Cidadão Ilustre – 4
– Pitanga – 4
15º – Star Wars – Os Últimos Jedi – 4,047
14º – O Apartamento – 4,066
13º – Paterson – 4,1
12º – Blade Runner 2049 – 4,117

  • E agora nosso top 10 (na verdade, top 11, por conta de um empate no 10º lugar):

Lady Macbeth - 01Moonlight

10º – LADY MACBETH, de William Oldroyd – 4,142
MOONLIGHT – SOB A LUZ DO LUAR, de Barry Jenkins – 4,142

Um empate no 10º lugar transforma nosso top 10 em top 11. O posto é dividido entre o drama britânico que se passa no século XIX, pouco visto, e o drama americano contemporâneo vencedor do Oscar de melhor filme.

Bingo o Rei das Manhas - 04

9º – BINGO, O REI DAS MANHÃS, de Daniel Rezende – 4,166

O melhor filme brasileiro do ano, vencedor do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, conseguiu seu lugar entre os grandes do ano.

La La Land - Cantando Estações - 09

8º – LA LA LAND – CANTANDO ESTAÇÕES, de Damien Chazelle – 4,192

O musical encantou as plateias, ganhou sete Globos de Ouro (incluindo melhor filme/ comédia ou musical) e seis Oscars (incluindo melhor direção e atriz). Por muito pouco não ficou no top 5. Foi o filme mais visto do ano (28 eleitores, todos os que votaram em janeiro), seguido por Mulher-Maravilha (27) e Dunkirk (24).

Alem das Palavras - 03Corra - 01

6º – ALÉM DAS PALAVRAS, de Terence Davies – 4,2
CORRA!, de Jordan Peele – 4,2

Mais um empate. Aqui entre o inesperado e pouco visto drama sobre Emily Dickinson e o suspense sobre racismo que foi uma das sensações do ano.

Dunkirk - 01

5º – DUNKIRK, de Christopher Nolan – 4,227

O ambicioso filme de guerra de Nolan foi um dos mais vistos do ano e conseguiu convencer a todos. Nolan teve um primeiro lugar com Batman, o Cavaleiro das Trevas, em 2008.

MBTS_2354.CR2

4º – MANCHESTER À BEIRA-MAR, de Kenneth Lonergan – 4,235

O discreto drama tem emoções profundas em suas camadas. A sutileza consegue atingir o público. Vencedor do Oscar de melhor ator.

Frantz - 02

3º – FRANTZ, de François Ozon – 4,285

O Festival Varilux pela primeira vez emplaca um top 3, um drama basicamente em preto-e-branco que se passa logo depois da Primeira Guerra Mundial. Foi pouco visto e, mais uma vez, nossa eleição pode ser uma sugestão para descobrir o filme.

Eu Nao Sou Seu Negro - 01

2º – EU NÃO SOU SEU NEGRO, de Raoul Peck – 4,3

O documentário de melhor performance na história da eleição (superando O Mercado de Notícias, 3º em 2014, com média 4,25) é um dos três filmes no top 10 que abordam o racismo.

LOGAN

1º – LOGAN, de James Mangold – 4,318

O segundo filme de super-heróis a vencer nossa eleição, Logan esteve sempre nas primeiras colocações, mas sempre também com alguns filmes à frente. No final, os concorrentes caíram de média e a consistência da despedida de Hugh Jackman como Wolverine acabou com a vitória em suas garras.

Anúncios