You are currently browsing the tag archive for the ‘40 clipes preferidos’ tag.

01 - Madonna - Oh father-02

1. “Oh father”, Madonna (1989)
Álbum: Like a Prayer. Direção do clipe: David Fincher.

O preto-e-branco estourado, a morte da mãe, os problemas com o pai, o relacionamento amoroso violento, o simbolismo das pérolas caindo, a religião, o jogo de sombras. “Minha tentativa de aceitar a morte da minha mãe”, disse Madonna. Uma aula de narrativa casando música e imagens. Uma obra-prima.

02 - A-Ha - Take on me

2. “Take on me”, A-Ha (1985)
Álbum: Hunting High and Low. Direção: Steve Barron.

O desenho em rotoscopia para simbolizar a entrada de uma moça dentro de uma história em quadrinhos é absolutamente brilhante. Assim, como o detalhes das “janelas” que deixam entrever a versão “não desenhada” dos músicos e da atriz.

03 - Madonna - Like a prayer-02

3. “Like a prayer”, Madonna (1989)
Álbum: Like a Prayer. Direção do clipe: Mary Lambert.

Racismo, sexo, religião. O beijo no santo. O sonho um tanto lésbico. O coro gospel. As cruzes em chamas.

 

04 - Michael Jackson - Black or white-04

4. “Black or white”, Michael Jackson (1991)
Álbum: Dangerous. Direção do clipe: John Landis.

Cheio de efeitos especiais, o clipe encanta mesmo é pelos elementos étnicos e diferentes danças. Mas os efeitos chegaram as raias do inesquecível com o efeito morph, na sequência final, dirigido de maneira vibrante. Esqueça a versão completa com o epílogo da pantera negra, muito ruim.

05 - Suzanne Vega - Luka-04

5. “Luka”, Suzanne Vega (1987)
Álbum: Solitude Standing. Direção do clipe: Michael Patterson.

As ruas de Nova York, a negação de uma criança abusada, algumas alterações de imagem, a linda sobreposição final.

06 - Elton John - I guess that's why

6. “I guess that’s why they call it the blues”, Elton John (1983)
Álbum: Too Low for Zero. Direção do clipe: Russel Mulcahy.

Praticamente um curta-metragem sobre um casal jovem dos anos 1950 separados quando o rapaz entra para o exército. As cenas do rapaz no quartel em preto-e-branco são alternadas com as da moça em um salão de baile colorido. Mulcahy dirigiu 20 clipes de Elton John e a gaita que se ouve nesta estupenda canção é tocada por Stevie Wonder.

07 - The Cure - In between days

7. “In between days”, The Cure (1985)
Álbum: The Head on the Door.

O famoso “clipe das meinhas” tem um visual bárbaro com a banda “presa” à câmera na guitarra ou ela superpróxima ao rosto do vocalista Robert Smith até ser empurrada para longe por ele. Sem falar na sobreposição de cores que transforma os músicos em assombrações.

08 - Dire Straits - Money for nothing

8. “Money for nothing”, Dire Straits (1985)
Álbum: Brothers in Arms.

Uma primitiva e pioneira animação por computador é a carismática estrela do clipe, tornando-o um marco instantâneo. Mark Knopler não gostava de videoclipes e aceitou a produção depois de muita insistência – a banda só aparece tocando no palco, não “interpretando”. E há as referências à própria MTV  – incluindo Sting cantando em falsete “I want my MTV”.

Mas a definição da imagem é melhor aqui.

09 - Erasure - A little respect

9. “A little respect”, Erasure (1988)
Álbum: The Innocents.

O duo inglês interpreta a canção brincando com as palavras no clipe: piadas visuais ilustram essas palavras literalmente, às vezes totalmente fora do contexto.

10 - Jewel - You were meant for me

10. “You were meant for me”, Jewel (1996)
Álbum: Pieces of You. Direção do clipe: Lawrence Carroll.

Belas imagens, de viés mais poético, em torno de um casal que, querendo ficar junto, está sempre se distanciando. Azul é a cor mais quente.

11 - Tears for Fears - Sowing the seeds of love

11. “Sowing the seeds of love”, Tears for Fears (1989)
Álbum: The Seeds of Love. Direção do clipe: Jim Blashfield.

Viagem visual psicodélica através de efeitos especiais, animações e das representações da letra da música.

12 - Sinead OConnor - Nothing compares 2 U

12. “Nothing compares 2 U”, Sinead O’Connor (1990)
Álbum: I Do Not Want What I Haven’t Got. Direção do vídeo: John Maybury.

As lágrimas de Sinead O’Connor.

 

13 - Abba - Dancing queen

13. “Dancing queen”, Abba (1992)
Álbum: Arrival. Direção: Lasse Hallstrom.

Dez anos após  o fim do grupo, foi lançada a histórica coletânea Abba Gold. Para promove-la foi lançado um novo clipe de “Dancing queen”, que teve por base o clipe original de 1976, reforçado por imagens de diversos outros clipes do Abba. Assim, o novo vídeo tornou-se um inventário do grupo, vibrante e super bem editado.

 

14 - The Cranberries - Animal instinct

14. “Animal instinct”, The Cranberries (1999)
Álbum: Bury the Hatchet. Direção do clipe: Olivier Dahan.

A aventura de uma mãe que sequestra os próprios filhos depois que eles são tirados dela pelo serviço social é a tradução perfeita para a música, que também é sobre maternidade. O clipe tem um prólogo sem música que pode ser visto aqui.

15 - REM e Kate Pierson - Shiny happy people

15. “Shiny happy people”, R.E.M. e Kate Pierson (1991)
Álbum: Out of Time.

Um clipe extraordinariamente colorido e descontraído para a média do R.E.M. A presença de Kate Pierson, do The B-52’s na canção e no clipe não pode não ter a ver com isso. Uma combinação inusitada que funcionou divinamente.

16 - Os Paralamas do Sucesso - Ela disse adeus

16. “Ela disse adeus”, Os Paralamas do Sucesso (1998)
Álbum: Hey Na Na. Direção do clipe: Andrucha Waddington, Breno Silveira e Toni Vanzollini.

Mimetização do cinema mudo (com direito a preto-e-branco, cartelas, interpretação exagerada e tudo o mais), com a banda se saindo muito bem na interpretação de três histórias simultâneas ao lado de uma mesma grande atriz: Fernanda Torres.

17 - Cyndi Lauper - Time after time-05

17. “Time after time”, Cyndi Lauper (1984)
Álbum: She’s So Unusual. Direção do clipe: Edd Griles.

Uma combinação de algo da patetice tradicional de Cyndi com um toque dramático até então inesperado. A mãe, o irmão e o então namorado aparecem no vídeo. Um momento lindo é o final na estação de trem de Morristown, em Nova Jersey, e tudo o que acontece a partir daí. O clipe é de 1984, mas o álbum é de 1983.

18 - Tears for Fears - Woman in chains

18. “Woman in chains”, Tears for Fears (1989)
Álbum: The Seeds of Love. Direção do clipe: Andy Morahan.

Em preto-e-branco, o vídeo alterna imagens do grupo (incluindo ainda Oleta Adams, que depois partiria para a carreira solo), com a câmera sempre passeando por eles, com o relacionamento abusivo de um boxeador e uma dançarina de pole dance.

19 - Madonna - Material girl-03

19. “Material girl”, Madonna (1985)
Álbum: Like a Virgin. Direção do clipe: Mary Lambert.

Madonna evoca a Marilyn Monroe do número “Diamonds are a girl’s best friend”, de Os Homens Preferem as Loiras (1953). O disco é de 1984, mas o clipe foi gravado em 1985.

20 - Queen - I want to break free

20. “I want to break free”, Queen (1984)
Álbum: The Works. Direção: David Mallet.

O quarteto inglês se veste de mulher na paródia de uma clássica série de TV britânica, Coronation Street (que começou em 1960 e ainda é exibida). Atenção para o bigode que Freddie Mercury não tirou e o suspense para a aparição de Roger Taylor. Na segunda parte, Freddie brinca de balé moderno com o Royal Ballet.

 

Sigam-me os bons (no Twitter)

março 2017
D S T Q Q S S
« fev    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Cenas da Vida

Você lembra dos meus cabelos?

Cineport 2011

Cineport 2011

Mais fotos

Páginas

Estatísticas

  • 1,239,618 hits