You are currently browsing the tag archive for the ‘Cate Blanchett’ tag.

Dando sequência a essa retrospectiva atrasada do que esteve em cartaz nos cinemas de João Pessoa, faço a primeira de uma nova lista: das atuações que considerei melhores em 2016. Resolvi também que não vou separar por atores e atrizes porque, como disse o Chris Rock, “não é atletismo”.

Elle - 04

1 – ISABELLE HUPPERT (Elle)

Huppert engrandece papéis que não são tão grandes e agiganta os papéis maiores, que é o caso em Elle. Ela é Michèle Leblanc, violentada em sua própria casa por um mascarado invasor. Depois, ela vai se preparando para o retorno do agressor – de seu próprio jeito. É, sem dúvida, uma das maiores atrizes do nosso tempo.

Regresso-05

2 – LEONARDO DICAPRIO (O Regresso)

DiCaprio só faltou comer o pão que o diabo amassou para esse papel: um caçador que é atacado por um urso e deixado para morrer na floresta por seus companheiros. Mas sobrevive e se arrasta por quilômetros e quilômetros, no inverno, para se vingar. Uma jornada visceral para o personagem e para o ator.

Aquarius - 01

3 – SÔNIA BRAGA (Aquarius)

O Brasil reencontrou-se com uma grande Sônia Braga no filme de Kléber Mendonça Filho. Ela contribui decisivamente para que este filme seja ainda melhor que o anterior do diretor, o já muito elogiado O Som ao Redor. Aqui, Sônia constrói uma grande personagem que ancora as ações e fascina o espectador.

Filho de Saul - 01

3 – GÉZA RÓHRIG (Filho de Saul)

Uma experiência de narrativa bem particular, a produção húngara é quase toda registrada em close do personagem principal ou de seu ponto de vista subjetivo. É claro que isso exige um trabalho intenso de atuação de seu ator principal. O húngaro Róhrig, que também é poeta corresponde plenamente em seu primeiro (e aparentemente até agora único) longa.

Chegada - 03

5 – AMY ADAMS (A Chegada)

A grande injustiça do Oscar deste ano foi a não inclusão de Amy Adams entre as indicadas a melhor atriz. Ela interpreta muito bem a personagem de uma linguista com uma missão inédita e decisiva para a humanidade, enquanto lida com seus dramas pessoais.

Carol - 06

6 – CATE BLANCHETT (Carol)

Cate já é um monumento da arte da atuação. Em Carol, ela entrega de novo um grande personagem: a mulher da alta roda que se apaixona por uma balconista. Mas são os anos 1950, ela é casada e tem que pôr na balança a possibilidade de o marido ficar com a guarda do filho.

Trumbo - 06

7 – BRYAN CRANSTON (Trumbo – Lista Negra)

Cranston tem a difícil missão de ir encontrando no cinema personagens que falam jus ao status de grande ator que adquiriu na série Breaking Bad. Conseguiu um ponto com a cinebiogragfia de Dalton Trumbo, roteirista de Hollywood que foi perseguido nos EUA dos anos 1950 por ser comunista e ganhou um Oscar sem ninguém saber.

null

8 – MARK RUFFALO (Spotlight – Segredos Revelados)

Um ator consistente, que sempre entrega atuações muito boas, Ruffalo construiu um tipo particular e com certa sutileza no Mike Rezendes, o jornalista interpretado por ele em Spotlight. Ruffalo poderia muito bem ter ganhado o Oscar.

Chocolate - 2015 - 04

9 – OMAR SY (Chocolate)

Depois de Intocáveis, Omar Sy se tornou um astro na França e bastante conhecido fora dela. Em seus filmes seguintes por aqui, continuou entregando ótimas atuações, a bordo de muito carisma. Em Chocolate, ele interpreta o primeiro palhaço negro da França e tem a oportunidade de atuar em números clássicos de circo.

Oito Odiados-07

10 – JENNIFER JASON LEIGH (Os Oito Odiados)

Jennifer Jason Leigh entrou para o time de atores de quem Tarantino fez o mundo lembrar como são bons. Ela está por aí desde o começo dos anos 1980, em aparições sempre eficientes seja em Picardias Estudantis (1982) ou Mulher Solteira Procura… (1992). Em um filme cheio de gente em quem não se pode confiar, ela é desde o começo uma das mais perigosas.

— MAIS RETROSPECTIVA 2016:

A seguir, os meus melhores filmes de 2014, apenas entre os que estiveram em cartaz nos cinemas de João Pessoa. Antes, a numeralha em torno do circuitão pessoense.

– 164 filmes estiveram em cartaz nos cinemas de João Pessoa em 2014 (379 estrearam no Brasil, segundo o levantamento da Abraccine). São 13 a mais que no ano passado, encostando no recorde de 2007 (165), marca de antes do fechamento do primeiro multiplex do MAG. O Boulevard faz esse acompanhamento desde 2006.

– A participação do cinema brasileiro é a melhor de todos os tempos. Chegou a 26,8% dos filmes em cartaz (44 no total). No ano passado, com 32 filmes, o cinema tupiniquim ficou nos 21,2%. Ainda estava bem porque, de 2010 para trás, a conta ficava nos 20 filmes e pouco mais de 10% de filmes em cartaz.

Rosamund Pike em "Garota Exemplar"

Rosamund Pike em “Garota Exemplar”

1 – GAROTA EXEMPLAR, de David Fincher

Uma trama de mistério que brilha no jogo de entregar e sonegar informação ao espectador. A plateia acompanha o tormento do marido (Ben Affleck) que pode ou não ter matado a esposa (Rosamnd Pike, excelente). E acompanha a leitura do diário dela, antes mesmo dos personagens do filme. Semanas em cartaz: duas. Crítica no Boulevard

Leonardo DiCaprio em "O Lobo de Wall Street"

Leonardo DiCaprio em “O Lobo de Wall Street”

2 – O LOBO DE WALL STREET, de Martin Scorsese

Scorsese ridiculariza as falcatruas do mercado financeiro e exige o máximo de Leonardo DiCaprio, talvez na melhor interpretação de sua carreira. Alucinado, é como se fosse um filme sob efeito de cocaína. Semanas em cartaz: sete.

 

Chiwetel Ejiofor e Michael Fassbender em "12 Anos de Escravidão"

Chiwetel Ejiofor e Michael Fassbender em “12 Anos de Escravidão”

3 – 12 ANOS DE ESCRAVIDÃO, de Steve McQueen

O vencedor do Oscar mostra um homem negro que nasceu livre e é sequestrado e vendido como escravo. Sua luta é a de não se tornar um escravo por dentro. Michael Fassbender está assustador. Semanas em cartaz: três. Crítica no Boulevard

 

Adèle Exarchopoulos e Léa Seydoux em "Azul É a Cor Mais Quente"

Adèle Exarchopoulos e Léa Seydoux em “Azul É a Cor Mais Quente”

4 – AZUL É A COR MAIS QUENTE, de Abdellatif Kechiche

Dormir, comer, amar, chorar, fazer sexo: o filme de Kechiche mostra como que através de um microscópio os muitos detalhes da vida de Adéle, vivida pela revelação Adèle Exarchopoulos. Semanas em cartaz: três.

Bérenice Bejo e ???? em "O Passado"

Bérenice Bejo e Ali Mosaffa em “O Passado”

5 – O PASSADO, de Asghar Farhadi

De novo Farhadi traça filme de mistério e investigação sem sair do drama familiar, com peças a juntar e personagens com algo a esconder. Passou no Festival Varilux e depois entrou em cartaz rapidamente. Semanas em cartaz: uma.

Charis Evans e Scarlett Johansson em "Capitão América 2 - O Soldado Invernal"

Charis Evans e Scarlett Johansson em “Capitão América 2 – O Soldado Invernal”

6 – CAPITÃO AMÉRICA 2 – O SOLDADO INVERNAL, de Anthony Russo e Joe Russo

O filme tem muita ação e movimento, mas o grande lance é o contraste entre o herói de valores antiquados em um mundo complexo. Semanas em cartaz: sete. Crítica no Boulevard

"Planeta dos Macacos - O Confronto"

“Planeta dos Macacos – O Confronto”

7 – PLANETA DOS MACACOS – O CONFRONTO, de Matt Reeves

Esta continuação é tão boa (talvez melhor) que o primeiro filme da retomada da série. Pela primeira vez, um ator em captura de movimento surge em primeiro nos créditos. Com justiça, é Andy Serkis. Semanas em cartaz: cinco.

Cate Blanchett em "Blue Jasmine"

Cate Blanchett em “Blue Jasmine”

8 – BLUE JASMINE, de Woody Allen

Cate Blanchett foi quase unanimidade como a melhor interpretação feminina de 2013 (o filme só estreou em JP este ano) como a Jasmine, meio Blanche DuBois, de Allen. E ganhou o Oscar de melhor atriz. Semanas em cartaz: três.

Zoe Saldana, Chris Pratt e Dave Bautista em "Guardiões da Galáxia"

Zoe Saldana, Chris Pratt e Dave Bautista em “Guardiões da Galáxia”

9 –  GUARDIÕES DA GALÁXIA, de James Gunn

Heróis absolutamente desconhecidos do grande público e nenhum ator famoso, a não ser na dublagem de uma árvore e de um guaxinim. Mas com ritmo e humor, o filme foi um sucesso. E ainda tinha aquele awesome mix!. Semanas em cartaz: cinco. Crítica no Boulevard

Fabio Audi, Tess Amorim e Ghilherme Lobo em "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho"

Fabio Audi, Tess Amorim e Ghilherme Lobo em “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”

10 – HOJE EU QUERO VOLTAR SOZINHO, de Daniel Ribeiro

Uma bem sucedida versão em longa-metragem do curta Não Quero Voltar Sozinho, o filme tem um cativante trio de jovens protagonistas e é uma delicado e muito bem narrado conto sobre o primeiro amor. Semanas em cartaz: duas.

Vale lembrar também: Frozen – Uma Aventura CongelanteO Menino e o MundoTatuagemUma Aventura LegoRoboCopWalt nos Bastidores de Mary PoppinsEu, Mamãe e os MeninosUma Viagem ExtraordináriaEm Busca de IaraOs Filhos do PadrePraia do FuturoX-Men – Dias de um Futuro EsquecidoO Mercado de NotíciasSerá que?Magia ao LuarTim MaiaJogos Vorazes – A Esperança: Parte 1.

<< Meus melhores filmes de 2013
>> Meus melhores filmes de 2015

MAIS RETROPECTIVA 2014:

Estrelas-02 e meia juntas-site

Mais é menos

Martin Freeman: o filme é melhor quando se concentra nele

Martin Freeman: o filme é melhor quando se concentra nele

Não há novidades em O Hobbit – A Batalha dos Cinco Exércitos (The Hobbit – The Battle of Five Armies, Estados Unidos/ Nova Zelândia, 2014): o que vinha funcionando  nos dois filmes anteriores da trilogia continua funcionando e o que não funciona continua não funcionando. É nítido (e já era desde o começo) que a decisão de inflar a adaptação do livro para três filmes de cerca de 2h30 comprometeu a qualidade de cada um deles.

O problema se acentua de diversas formas neste ato final. Para quem não conhece o livro, o que parecia ser um grande clímax no final do segundo filme, A Desolação de Smaug (2013), com o dragão alçando voo para destruir a cidade do lago ao pé da montanha de onde foi expulso pelo anões e o hobbit Bilbo Bolseiro (Martin Freeman), se mostra pouco mais de um apêndice, que teria ficado melhor lá no final do filme do meio, mesmo (desde que ele fosse mais curto, claro).

O diretor Peter Jackson se desembaraça disso para se concentrar mesmo é na batalha do título. A propósito, Reinaldo José Lopes fez, na Folha, um paralelo excelente do filme com a cena em que um troll enorme, com um aríete amarrado à testa, é usado para abrir um rombo numa muralha, durante a batalha, com uma cabeçada.

Pois é. O terceiro Hobbit é, por tempo demais, como esse troll desembestado, dando cabeçadas por cerca de 40 minutos de batalha. Jackson é um diretor inteligente, mas na ânsia de soar épico e grandioso e tentando desesperadamente tirar de onde não tem, é frequentemente apenas barulhento, desengonçado e hiperbólico. A Batalha dos Cinco Exércitos é um filme com elefantíase, que às vezes parece assustadoramente com algum filme de Michael Bay (principalmente nas câmeras que circulam sobrevoando personagens parados e passam repetidamente por exércitos infinitos produzidos em CGI).

Ainda bem que, pela mesma analogia, o filme melhora bastante quando se concentra em Bilbo, o hobbit que, afinal, batiza o livro-base e a trilogia.

Quando se volta para Bilbo, o filme reduz a escala, equilibra melhor as emoções e esquece um pouco o forçado tom épico que tenta impor no grito. Para isso, ajuda muitíssimo a interpretação de Freeman, que – por obra sua mesmo, ou de Jackson, ou do que Tolkien orientou desde os livros, ou de tudo junto – é uma construção de personagem muito mais interessante que a de Frodo (Elijah Wood) e Sam (Sean Astin) na trilogia O Senhor dos Anéis. Em vez do tom melodramático e choraminguento dos hobbits na trilogia anterior, Freeman é autoirônico e contido, representando a coragem dos pequenos com muito mais sobriedade e demonstrando um equilíbrio que, no fim, faria muito bem ao filme como um todo.

Ou seja: O Hobbit –  A Batalha dos Cinco Exércitos é um filme que, por querer ser mais do que deveria, nunca chega ao que poderia ter sido.

O Hobbit – A Batalha dos Cinco Exércitos. (The Hobbit – The Battle of Five Armies). Nova Zelândia/ Estados Unidos, 2014. Direção: Peter Jackson. Elenco: Martin Freeman, Ian McKellen, Richard Armitage, Cate Blanchett, Orlando Bloom, Evangeline Lilly, Hugo Weaving. Voz na dublagem original: Benedict Cumberbatch.

Kate Winslet em “Pecados Íntimos”

01- Kate Winslet (...também por "O Amor Não Tira Férias")

Kate Winslet em “O Amor Não Tira Férias”

1 – KATE WINSLET, por Pecados Íntimos e por O Amor Não Tira Férias

Anteriormente em Musas retroativas: 3ª em 1994, por Almas Gêmeas; 11ª em 1995, por Razão e Sensibilidade; 6ª em 1996, por Hamlet; 5ª em 1997, por Titanic; 6ª em 2000, por Contos Proibidos do Marquês de Sade; 2ª em 2004, por Brilho Eterno de uma Mente sem LembrançasPosteriormente em Musas retroativas: 4ª em 2008, por O Leitor e por Foi Apenas um Sonho.

É a sétima aparição de Kate Winslet nas Musas Retroativas e, depois de dois pódiuns, ela chega ao primeiro lugar a bordo de dois filmes bem diferentes: um drama em que ela tira a roupa sem cerimônia, e uma comédia-romântica onde está muito mais comportadinha e até inocente. Ela brilha nos dois e superou a tripla aparição de Scarlett Johansson (campeã do ano anterior) e Penélope Cruz em um estilo Sophia Loren. Vale o destaque para Cate Blanchett, também aparecendo em três filmes. O ano também foi o do filme Anjos Exterminadores, produção francesa em que o diretor usa da metalinguagem para discutir o limite da obcenidade no cinema – e leva as atrizes Lise Bellynck, Maroussia Dubreil e Marie Allan a passear por esses limites. Primeira aparição: Marion Cotillard, Emily Blunt, Sienna Miller. Última aparição: Mia Kirshner, Jennifer Connelly, Eva Green, Anne Hathaway, Cate Blanchett, Naomi Watts, Christina Ricci. Única aparição: Lise Bellynck, Carice van Houten, Beyoncé Knowles, Maroussia Dubreil, Marie Allan. Brasileiras na lista: nenhuma.

2 – Scarlett Johansson (“Scoop – O Grande Furo” e…)

2 – Scarlett Johansson (…também por “Dália Negra”…)

Scarlett Johansson em “O Grande Truque”

2 – SCARLETT JOHANSSON, por Scoop – O Grande Furo, por Dália Negra e por O Grande Truque

Anteriormente em Musas retroativas: 4ª em 2003, por Encontros e Desencontros; 1ª em 2005, por Ponto Final – Match Point e por A IlhaPosteriormente em Musas retroativas2ª em 2008, por Vicky Cristina Barcelona, por A Outra e por The Spirit – O Filme; 7ª em 2009, por Ele Não Está Tão a Fim de Você.

Penélope Cruz em “Volver”

3 – PENÉLOPE CRUZ, por Volver

Anteriormente em Musas retroativas: 7ª em 1992, por Jamón, Jamón; 13ª em 2001, por Vanilla SkyPosteriormente em Musas retroativas: 1ª em 2008, por Vicky Cristina Barcelona e por Fatal; 2ª em 2009, por Abraços Partidos e por Nine.

Mia Kirshner em “Dália Negra”

4 – MIA KIRSHNER, por Dália Negra

Anteriormente em Musas retroativas: 14ª em 1993, por Amor e Restos Humanos; 11ª em 1994, por Exotica.

Lise Bellynck em “Anjos Exterminadores”

5 – LISE BELLYNCK, por Anjos Exterminadores

Jennifer Connelly em “Diamante de Sangue”

Jennifer Connelly em “Pecados Íntimos”

6 – JENNIFER CONNELLY, por Diamante de Sangue e por Pecados Íntimos

Anteriormente em Musas retroativas: 14ª em 1989, por Essas Garotas; 16ª em 1990, por The Hot Spot – Um Lugar Muito Quente; 14ª em 1991, por Rocketeer; 8ª em 1993, por De Amor e de Sombras; 2ª em 1996, por O Preço da Traição; 4ª em 1997, por Círculo de Paixões; 2ª em 2000, por Réquiem para um Sonho e por Amor Maior que a Vida; 3ª em 2001, por Uma Mente Brilhante; 1ª em 2003, por Hulk.

Carice van Houten em “A Espiã”

7 – CARICE VAN HOUTEN, por A Espiã

Eva Green em “007 – Cassino Royale”

8 – EVA GREEN, por 007 – Cassino Royale

Anteriormente em Musas retroativas: 2ª em 2003, por Os Sonhadores.

Anne Hathaway em “O Diabo Veste Prada”

9 – ANNE HATHAWAY, por O Diabo Veste Prada

Anteriormente em Musas retroativas: 4ª em 2005, por O Segredo de Brokeback MountainPosteriormente em Musas retroativas: 12ª em 2008, por Agente 86, por Passageiros e por O Casamento de Rachel.

Rachel Weisz em “Fonte da Vida”

10 – RACHEL WEISZ, por Fonte da Vida

Anteriormente em Musas retroativas: 15ª em 1996, por Beleza Roubada; 11ª em 1999, por A Múmia; 16ª em 2001, por Círculo de Fogo e por O Retorno da Múmia; 17ª em 2002, por Um Grande Garoto; 3ª em 2005, por O Jardineiro Fiel e por ConstantinePosteriormente em Musas retroativas: 2ª em 2007, por Um Beijo Roubado.

Marion Cotillard em “Um Bom Ano”

11 – MARION COTILLARD, por Um Bom Ano

Posteriormente em Musas retroativas9ª em 2009, por Nine e por Inimigos Públicos.

Beyoncé Knowles em "Dreamgirls - Em Busca de um Sonho"

Beyoncé Knowles em “Dreamgirls – Em Busca de um Sonho”

Beyoncé Knowles em "A Pantera Cor-de-Rosa"

Beyoncé Knowles em “A Pantera Cor-de-Rosa”

12 – BEYONCÉ KNOWLES, por Dreamgirls – Em Busca de um Sonho e por A Pantera Cor-de-Rosa

Emily Blunt em “O Diabo Veste Prada”

13 – EMILY BLUNT, por O Diário Veste Prada

Posteriormente em Musas retroativas: 7ª em 2007, por Jogos do Poder.

Sienna Miller em “Uma Garota Irresistível”

14 – SIENNA MILLER, por Uma Garota Irresistível

Posteriormente em Musas retroativas20ª em 2009, por G.I. Joe – A Origem de Cobra.

Cate Blanchett em “Notas sobre um Escândalo”

Cate Blanchett em “O Segredo de Berlim”

Cate Blanchett em “Babel”

15 – CATE BLANCHETT, por Notas sobre um Escândalo, por O Segredo de Berlim e por Babel

Anteriormente em Musas retroativas: 6ª em 2001, por Vida Bandida, por Chegadas e Partidas e por O Senhor dos Anéis – A Sociedade do Anel.

Natalie Portman em “Paris, Te Amo”

Natalie Portman em “As Sombras de Goya”

16 – NATALIE PORTMAN, por Paris, Te Amo e por As Sombras de Goya

Anteriormente em em Musas retroativas12ª em 2003, por Cold Mountain; 4ª em 2004, por Closer – Perto Demais; 18ª em 2005, por V de Vingança e por Star Wars – A Vingança dos SithPosteriormente em Musas retroativas9ª em 2007, por Um Beijo Roubado; 12ª em 2009, por Entre Irmãos e por As Coisas Impossíveis do Amor.

Naomi Watts em “O Despertar de uma Paixão”

17 – NAOMI WATTS, por O Despertar de uma Paixão

Anteriormente em Musas retroativas: 2ª em 2001, por Cidade dos Sonhos; 19ª em 2002, por O Chamado; 7ª em 2003, por 21 Gramas; 2ª em 2005, por King Kong.

Maroussia Dubreuil e Lisa Bellynck em “Anjos Exterminadores”

18 – MAROUSSIA DUBREUIL, por Anjos Exterminadores

Christina Ricci em “Entre o Céu e o Inferno”

19 – CHRISTINA RICCI, por Entre o Céu e o Inferno

Anteriormente em Musas retroativas: 19ª em 1998, por O Oposto do Sexo.

Marie Allan em “Anjos Exterminadores”

20 – MARIE ALLAN, por Anjos Exterminadores

Musas de 2005 <<
>> Musas de 2007

Paz Vega em “Lucía e o Sexo”

1 – PAZ VEGA, por Lucía e o Sexo

Posteriormente em Musas retroativas: 4ª em 2002, por O Outro Lado da Cama; 3ª em 2004, por Espanglês; 20ª em 2008, por The Spirit – O Filme  e por De Caso com o Inimigo.

Um dos anos mais difíceis de definir uma vencedora. Acabou sendo a arrebatadora espanhola Paz Vega, mas poderia muito bem ser a australiana Naomi Watts, que vai da inocência à inocência erótica e depois à vulgaridade ao viver um amor lésbico no intrigante Cidade dos Sonhos, de David Lynch – que, aliás, emplacou também Laura Elena Harring na lista. Fechando o pódio, uma favorita de todos os tempos: Jennifer Connelly. Em um ano cheio de grandes musas – Nicole Kidman, Monica Bellucci – fica a pergunta: por onde andará Isabel Guerón, que desfilou nua por boa parte de Bufo & Spallanzani? Primeira aparição: Paz Vega, Naomi Watts, Cate Blanchett, Eva Mendes. Última aparição: Maribel Verdú, Helen Hunt. Única aparição: Halle Berry, Thalma de Freitas, Laura Elena Harring, Piper Perabo, Audrey Tautou, Isabel Guerón. Brasileiras na lista: Thalma de Freitas, Isabel Guerón.

Naomi Watts em "Cidade dos Sonhos"

Naomi Watts em “Cidade dos Sonhos”

2 – NAOMI WATTS, por Cidade dos Sonhos

Posteriormente em Musas retroativas: 19ª em 2002, por O Chamado; 7ª em 2003, por 21 Gramas; 2ª em 2005, por King Kong; 17ª em 2006, por O Despertar de uma Paixão.

Jennifer Connelly em "Uma Mente Brilhante"

Jennifer Connelly em “Uma Mente Brilhante”

3 – JENNIFER CONNELLY, por Uma Mente Brilhante

Anteriormente em Musas retroativas: 14ª em 1989, por Essas Garotas; 16ª em 1990, por The Hot Spot – Um Lugar Muito Quente; 14ª em 1991, por Rocketeer; 8ª em 1993, por De Amor e de Sombras; 2ª em 1996, por O Preço da Traição; 4ª em 1997, por Círculo de Paixões; 2ª em 2000, por Réquiem para um Sonho e por Amor Maior que a Vida. Posteriormente em Musas retroativas: 1ª em 2003, por Hulk; 6ª em 2006, por Diamante de Sangue e por Pecados Íntimos.

Maribel Verdú em "E Sua Mãe Também"

Maribel Verdú em “E Sua Mãe Também”

4 – MARIBEL VERDÚ, por E Sua Mãe Também

Anteriormente em Musas retroativas: 7ª em 1993, por Ovos de Ouro e Sedução.

Halle Berry em "A Última Ceia"

Halle Berry em “A Última Ceia”

Halle Berry em "A Senha - Swordfish"

Halle Berry em “A Senha – Swordfish”

5 – HALLE BERRY, por A Última Ceia e por A Senha Swordfish

Cate Blanchett em "Vida Bandida"

Cate Blanchett em “Vida Bandida”

Cate Blanchett em "Chegadas e Partidas"

Cate Blanchett em “Chegadas e Partidas”

Cate Blanchett em "O Senhor dos Anéis - A Sociedade do Anel"

Cate Blanchett em “O Senhor dos Anéis – A Sociedade do Anel”

Cate Blanchett em "Charlotte Gray - Uma Paixão sem Fronteiras"

Cate Blanchett em “Charlotte Gray – Uma Paixão sem Fronteiras”

6 – CATE BLANCHETT, por Vida Bandida, por Chegadas e Partidas, por O Senhor dos Anéis – A Sociedade do Anel e por Charlotte Gray – Uma Paixão sem Fronteiras

Posteriormente em Musas retroativas: 15ª em 2006, por Notas sobre um Escândalo, por O Segredo de Berlim e por Babel.

Angelina Jolie em "Pecado Original"

Angelina Jolie em “Pecado Original”

Angelina Jolie em "Lara Croft, Tomb Raider"

Angelina Jolie em “Lara Croft, Tomb Raider”

7 – ANGELINA JOLIE, por Pecado Original e por Lara Croft, Tomb Raider

Anteriormente em Musas retroativas: 3ª em 1998, por Gia – Fama e Destruição; 13ª em 1999, por Garota, Interrompida. Posteriormente na lista: 15ª em 2004, por Roubando Vidas.

8 - Nicole Kidman ("A Isca Perfeita" e, também, "Moulin Rouge - Amor em Vermelho" e "Os Outros")

Nicole Kidman em “A Isca Perfeita”

Nicole Kidman em “Moulin Rouge – Amor em Vermelho”

Nicole Kidman em "Os Outros"

Nicole Kidman em “Os Outros”

8 – NICOLE KIDMAN, por A Isca Perfeita, por Moulin Rouge – Amor em Vermelho e por Os Outros

Anteriormente em Musas retroativas: 20ª em 1991, por Billy Bathgate – O Mundo a Seus Pés; 11ª em 1993, por Malícia; 1ª em 1995, por Um Sonho sem Limites e por Batman Eternamente; 14ª em 1998, por Da Magia à Sedução; 2ª em 1999, por De Olhos Bem FechadosPosteriormente em Musas retroativas: 10ª em 2003, por Dogville, por Revelações e por Cold Mountain; 11ª em 2009, por Nine.

9 - Helen Hunt ("O Escorpião de Jade")

Helen Hunt em “O Escorpião de Jade”

9 – HELEN HUNT, por O Escorpião de Jade

Anteriormente em Musas retroativas: 13ª em 1996, por Twister; 1ª em 1997, por Melhor É Impossível; 7ª em 2000, por Náufrago.

10 - Eva Mendes ("Dia de Treinamento")

Eva Mendes em “Dia de Treinamento”

10 – EVA MENDES, por Dia de Treinamento

Posteriormente em Musas retroativas6ª em 2007, por Os Donos da Noite e por Motoqueiro Fantasma; 15ª em 2008, por The Spirit – O Filme e por Mulheres – O Sexo Forte; 18ª em 2009, por Vício Frenético.

Menção honrosa: Thalma de Freitas ("O Xangô de Baker Street")

Thalma de Freitas em “O Xangô de Baker Street”

11 – THALMA DE FREITAS, por O Xangô de Baker Street

Laura Elena Harring em "Cidade dos Sonhos"

Laura Elena Harring em “Cidade dos Sonhos”

12 – LAURA ELENA HARRING, por Cidade dos Sonhos

Penélope Cruz em "Vanilla Sky"

Penélope Cruz em “Vanilla Sky”

13 – PENÉLOPE CRUZ, por Vanilla Sky

Anteriormente em Musas retroativas: 7ª em 1992, por Jamón, Jamón. Posteriormente em Musas retroativas: 3ª em 2006, por Volver; 1ª em 2008, por Vicky Cristina Barcelona e por Fatal; 2ª em 2009, por Abraços Partidos e por Nine.

14 - Piper Perabo ("Assunto de Meninas")

Piper Perabo em “Assunto de Meninas”

14 – PIPER PERABO, por Assunto de Meninas

15 - Renée Zellweger ("O Diário de Bridget Jones")

Renée Zellweger em “O Diário de Bridget Jones”

15 – RENÉE ZELLWEGER, por O Diário de Bridget Jones

Anteriormente em Musas retroativas: 1ª em 1996, por Jerry Maguire – A Grande Virada. Posteriormente em Musas retroativas: 2ª em 2002, por Chicago; 3ª em 2003, por Abaixo ao Amor.

Rachel Weisz em "Círculo de Fogo"

Rachel Weisz em “Círculo de Fogo”

Rachel Weisz em "O Retorno da Múmia"

Rachel Weisz em “O Retorno da Múmia”

16 – RACHEL WEISZ, por Círculo de Fogo e por O Retorno da Múmia

Anteriormente em Musas retroativas: 15ª em 1996, por Beleza Roubada; 11ª em 1999, por A Múmia. Posteriormente em Musas retroativas: 17ª em 2002, por Um Grande Garoto; 3ª em 2005, por O Jardineiro Fiel e por Constantine; 10ª em 2006, por Fonte da Vida; 2ª em 2007, por Um Beijo Roubado.

Audrey Tautou em “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain”

17 – AUDREY TAUTOU, por O Fabuloso Destino de Amélie Poulain

Isabel Guerón em “Bufo & Spallanzani”

18 – ISABEL GUERÓN, por Bufo & Spallanzani

Monica Bellucci em “Pacto dos Lobos”

19 – MONICA BELLUCCI, por Pacto dos Lobos

Anteriormente em Musas retroativas: 13ª em 1992, por Drácula de Bram Stoker; 1ª em 2000, por Màlena. Posteriormente em Musas retroativas: 3ª em 2002, por Irreversível e por Asterix e Obelix – Missão Cleópatra; 16ª em 2003, por Matrix Reloaded, por Matrix Revolutions e por Lágrimas do Sol; 1ª em 2004, por A Paixão de Cristo; 11ª em 2007, por Mandando Bala.

20 – Cameron Diaz (“Vanilla Sky”)

20 – CAMERON DIAZ, por Vanilla Sky

Anteriormente em Musas retroativas: 4ª em 1994, por O Máskara; 20ª em 1997, por Por uma Vida Menos Ordinária e por O Casamento do Meu Melhor Amigo. Posteriormente em Musas retroativas: 16ª em 2005, por Em Seu Lugar.

Musas de 2000 <<
>> Musas de 2002

Lista elaborada a partir dos filmes exibidos comercialmente nos cinemas de JP em 2007.

Kate Winslet em "Pecados Íntimos"

Kate Winslet em “Pecados Íntimos”

1 – KATE WINSLET, por Pecados Íntimos

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 17ª em 2006, por O Amor Não Tira Férias. Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 5ª em 2009, por O Leitor e por Foi Apenas um Sonho.

Veja os comentários sobre cada uma das musas de 2007 nos posts do Minha Vida de Cinéfilo (Atualização: lembrando que no MVC é preciso rolar a página para achar o post correspondente – não sei como colocar link direto pro post no UOL Blogs…).

2 - Scarlett Johansson (Scoop - O Grande Furo)

Scarlett Johansson em “Scoop – O Grande Furo”

2 – SCARLETT JOHANSSON, por Scoop – O Grande Furo

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 1ª em 2006, por Ponto Final – Match Point, por O Grande Truque e por Dália Negra. Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 7ª em 2008, por Vicky Cristina Barcelona; 8ª em 2010, por Homem de Ferro 2; 1ª em 2012, por Os Vingadores – The Avengers; 12ª em 2013, por Hitchcock e por Como Não Perder Essa Mulher; 7ª em 2014, por Capitão América 2 – O Soldado Invernal e por Lucy; 15ª em 2015, por Vingadores – Era de Ultron.

3 - Tainá Muller (Cão sem Dono)

Tainá Muller em “Cão sem Dono”

3 – TAINÁ MULLER, por Cão sem Dono

4 - Megan Fox ("Transformers - O Filme")

Megan Fox em “Transformers – O Filme”

4 – MEGAN FOX, por Transformers – O Filme

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 2ª em 2009, por Garota Infernal, por Um Louco Apaixonado e por Transformers – A Vingança dos Derrotados.

4 - Jennifer Connelly (Diamante de Sangue)

Jennifer Connelly em “Diamante de Sangue”

Jennifer Connelly em “Pecados Íntimos”

5 – JENNIFER CONNELLY, por Diamante de Sangue  e por Pecados Íntimos

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 15ª em 2005, por Água Negra. Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 20ª em 2009, por Ele Não Está Tão a Fim de Você e por O Dia em que a Terra Parou; 19ª em 2014, por Noé.

5 - Cate Blanchett (Notas sobre um Escândalo)

Cate Blanchett em “Notas sobre um Escândalo”

6 – CATE BLANCHETT, por Notas sobre um Escândalo

6 - Dira Paes (Baixio das Bestas)

Dira Paes em “Baixio das Bestas”

7 – DIRA PAES, por Baixio das Bestas

7 - Gong Li (Hannibal - A Origem do Mal)

Gong Li em “Hannibal – A Origem do Mal”

8 – GONG LI, por Hannibal – A Origem do Mal

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 9ª em 2006, por Miami Vice.

8 - Débora Falabella (Primo Basílio)

Débora Falabella em “Primo Basílio”

9 – DÉBORA FALABELLA, por Primo Basílio

9 - Naomi Watts (O Despertar de uma Paixão)

Naomi Watts em “O Despertar de uma Paixão”

10 – NAOMI WATTS, por O Despertar de uma Paixão

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 1ª em 2005, por King Kong.

10 - Beyoncé Knowles (Dreamgirls - Em Busca de um Sonho)

Beyoncé Knowles em “Dreamgirls – Em Busca de um Sonho”

11 – BEYONCÉ KNOWLES, por Dreamgirls – Em Busca de um Sonho

11 - Marion Cotillard (Um Bom Ano)

Marion Cotillard em “Um Bom Ano”

12 – MARION COTILLARD, por Um Bom Ano

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 6ª em 2009, por Inimigos Públicos; 5ª em 2010, por A Origem; 18ª em 2011, por Meia-Noite em Paris e por Contágio; 11ª em 2012, por Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge.

12 - Fernanda Machado ("Tropa de Elite")

Fernanda Machado em “Tropa de Elite”

13 – FERNANDA MACHADO, por Tropa de Elite

13 - Emma Watson (Harry Potter e a Ordem da Fênix)

Emma Watson em “Harry Potter e a Ordem da Fênix”

14 – EMMA WATSON, por Harry Potter e a Ordem da Fênix

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 16ª em 2009, por Harry Potter e o Enigma do Príncipe; 20ª em 2010, por Harry Potter e as Reliquias da Morte – Parte 1; 13ª em 2011, por Harry Potter e as Reliquias da Morte – Parte 2; 4ª em 2013, por As Vantagens de Ser Invisível e por É o Fim; 12ª em 2014, por Noé.

Zooey Deschanel em “Ponte para Terabitia”

15 – ZOOEY DESCHANEL, por Ponte para Terabitia

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 19ª em 2005, por O Guia do Mochileiro das Galáxias. Posteriomente em Musas/ cinema em JP: 1ª em 2009, por 500 Dias com Ela e por Sim, Senhor.

14 - Monica Bellucci (Mandando Bala)

Monica Bellucci em “Mandando Bala”

16 – MONICA BELLUCCI, por Mandando Bala

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 18ª em 2005, por Irmãos GrimmPosteriormente em Musas/ cinema em JP: 5ª em 2015, por 007 contra Spectre.

Fernanda Paes Leme em “Podecrer!”

Fernanda Pes Leme em "O Homem que Desafiou o Diabo"

Fernanda Pes Leme em “O Homem que Desafiou o Diabo”

17 – FERNANDA PAES LEME, por Podecrer! e por O Homem que Desafiou o Diabo

Jessica Alba em “Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado”

18 – JESSICA ALBA, por Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado

Anteriormente em Musas/ cinema em JP: 6ª em 2005, por Sin City, a Cidade do Pecado e por Quarteto Fantástico.

Maria Flor em “Podecrer!”

19 – MARIA FLOR, por Podecrer!

Posteriormente em Musas/ cinema em JP: 18ª em 2008, por Chega de Saudade; 13ª em 2010, por O Bem Amado e por A Suprema Felicidade.

Rachel Hurd-Wood em “Perfume – A História de um Assassino”

20 – RACHEL HURD-WOOD, por Perfume – A História de um Assassino

Cinema em JP/ Musas de 2006 <<
>> Cinema em JP/ Musas de 2008

Sigam-me os bons (no Twitter)

  • Caro @cinespaco , a Espaço Filmes está distribuindo o documentário 'Gatos', não está? Logo, ele ainda vai passar em João Pessoa, não vai?Publicado há 1 hour ago
  • O maior mistério acerca de 'Dunkirk' é: por que diabos esse filme, no Brasil, não se chama DUNQUERQUE?Publicado há 1 hour ago
  • Esse imbroglio do carnaval carioca por quem conhece e vai mais fundo no tema. fb.me/5g1EQqTFAPublicado há 3 hours ago
julho 2017
D S T Q Q S S
« jun    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Cenas da Vida

Páginas

Estatísticas

  • 1,253,761 hits