You are currently browsing the tag archive for the ‘Jacqueline Bisset’ tag.

Leila Diniz em “Todas as Mulheres do Mundo”

1 – LEILA DINIZ, por Todas as Mulheres do Mundo

Posteriormente em Musas retroativas: 7ª em 1968, por Edu, Coração de Ouro.

Outro ano dificílimo para escolher a musa. Qualquer uma das seis primeiras poderiam ser a escolhida, em outros anos (Leila, Deneuve, Jane, Faye, Sharon, Katharine – que escrete!). E, entre as duas primeiras, a dúvida persiste, pra mim, até agora. É difícil não dar a vitória a Catherine Deneuve, em um de seus papéis mais sedutores: a dona de casa de vira prostituta durante o dia, meu Deus! No frigir dos ovos, ela até pode ser mais vistosa, mas o que era Leila Diniz, gente? É a musa não só de um filme ou de um diretor (Domingos de Oliveira, seu ex-namorado que dedicou a ela essa declaração de amor fílmica que é Todas as Mulheres do Mundo e o papel de Maria Alice), e nao é só a musa do cinema brasileiro, mas de uma geração inteira. A mulher que fez uma revolução sem ter o menor interesse nisso. Seu encanto brejeiro, de vizinha da rua, está imortalizado nesse filme. E, com quatro belas atrizes, talvez Cassino Royale seja o filme recordista em emplacar musas numa mesma lista (não sei, não fiz a conta). Primeira aparição: Leila Diniz, Faye Dunaway, Katharine Ross, Jacqueline Bisset, Suzy Kendall. Última aparição: Michèle Mercier. Única aparição: Sharon Tate, Joanna Pettet, Barbara Bouchet, Katharine Houghton, Jitka Bendova. Brasileiras na lista: Leila Diniz.

Catherine Deneuve em “A Bela da Tarde”

Catherine Deneuve em “Duas Garotas Românticas”

2 – CATHERINE DENEUVE, por A Bela da Tarde e por Duas Garotas Românticas

Anteriormente em Musas retroativas: 10ª em 1964, por Os Guarda-Chuvas do Amor; 2ª em 1965, por Repulsa ao Sexo. Posteriormente em Musas retroativas: 4ª em 1969, por A Sereia do Mississipi; 1ª em 1970, por Tristana – Uma Paixão Mórbida; 4ª em 1980, por O Último Metrô; 1ª em 1983, por Fome de Viver.

Jane Fonda em “Descalços no Parque”

3 – JANE FONDA, por Descalços no Parque

Anteriormente em Musas retroativas: 5ª em 1965, por Dívida de Sangue; 8ª em 1966, por Caçada Humana. Posteriormente em Musas retroativas: 1ª em 1968, por Barbarella; 5ª em 1969, por A Noite dos Desesperados; 4ª em 1971, por Klute – O Passado Condena; 19ª em 1972, por Tout Va Bien; 7ª em 1977, por Julia; 2ª em 1978, em Amargo Regresso; 15ª em 1979, por Síndrome da China e por O Cavaleiro Elétrico; 13ª em 1981, por Num Lago Dourado e por Amantes & Finanças.

Faye Dunaway em “Bonnie & Clyde – Uma Rajada de Balas”

4 – FAYE DUNAWAY, por Bonnie & Clyde – Uma Rajada de Balas

Posteriormente em Musas retroativas: 10ª em 1968, por Crown, o Magnífico; 17ª em 1970, por Pequeno Grande Homem; 14ª em 1973, por Os Três Mosqueteiros; 10ª em 1974, por A Vingança de Milady, por Chinatown e por Inferno na Torre; 5ª em 1975, por Três Dias do Condor; 5ª em 1976, por Rede de Intrigas.

Sharon Tate em “A Dança dos Vampiros”

5 – SHARON TATE, por A Dança dos Vampiros

Katharine Ross em “A Primeira Noite de um Homem”

6 – KATHARINE ROSS, por A Primeira Noite de um Homem

Posteriormente em Musas retroativas: 1ª em 1969, por Butch Cassidy.

Angie Dickinson em “À Queima-Roupa”

7 – ANGIE DICKINSON, por À Queima-Roupa

Anteriormente em Musas retroativas: 4ª em 1959, por Onde Começa o Inferno; 15ª em 1960, por Onze Homens e um Segredo; 12ª em 1962, por Candelabro Italiano; 15ª em 1966, por Caçada Humana. Posteriomente em Musas retroativas: 17ª em 1980, por Vestida para Matar.

Audrey Hepburn em “Um Caminho para Dois”

Audrey Hepburn em “Um Clarão nas Trevas”

8 – AUDREY HEPBURN, por Um Caminho para Dois e por Um Clarão nas Trevas

Anteriormente em Musas retroativas: 1ª em 1953, por A Princesa e o Plebeu2ª em 1954, por Sabrina; 7ª em 1956, por Guerra e Paz;2ª em 1957, por Cinderela em Paris e por Amor na Tarde; 10ª em 1959, por Uma Cruz à Beira do Abismo e por A Flor que Não Morreu; 12ª em 1960, por O Passado Não Perdoa; 1ª em 1961, por Bonequinha de Luxo e por Infâmia;7ª em 1963, por Charada; 9ª em 1964, por My Fair Lady e por Quando Paris Alucina; 3ª, em 1966, por Como Roubar um Milhão de Dólares. Posteriormente em Musas retroativas: 16ª em 1976, por Robin e Marian.

Joanna Pettet em “Cassino Royale”

9 – JOANNA PETTET, por Cassino Royale

Barbara Bouchet em “Cassino Royale”

10 – BARBARA BOUCHET, por Cassino Royale

Michèle Mercier em “Indomável Angélica”

11 – MICHÈLE MERCIER, por Indomável Angélica

Anteriormente em Musas retroativas: 13ª em 1960, por Atire no Pianista; 7ª em 1964, por Angélica, a Marquesa dos Anjos; 11ª em 1965, por Maravilhosa Angélica; 6ª em 1966, por Angélica e o Rei.

Ursula Andress em “Cassino Royale”

12 – URSULA ANDRESS, por Cassino Royale

Anteriormente em Musas retroativas: 3ª em 1962, por 007 contra o Satânico Dr. No; 10ª em 1963, por O Seresteiro de Acapulco; 18ª em 1965, por A Deusa da Cidade Perdida e por O que É que Há, Gatinha?; 18ª em 1966, por Crepúsculo das ÁguiasPosteriormente em Musas retroativas: 19ª em 1979, por O Quinto Mosqueteiro.

Raquel Welch em “O Diabo É Meu Sócio”

13 – RAQUEL WELCH, por O Diabo É Meu Sócio

Anteriormente em Musas retroativas: 1ª em 1966, por Um Milhão de Anos Antes de Cristo e por Viagem Fantástica. Posteriormente em Musas retroativas: 7ª em 1973, por Os Três Mosqueteiros; 6ª em 1974, por A Vingança de Milady; 5ª em 1977, por O Príncipe e o Mendigo.

Jacqueline Bisset em “Cassino Royale”

14 – JACQUELINE BISSET, por Cassino Royale

Posteriormente em Musas retroativas: 6ª em 1968, por Bullitt; 3ª em 1970, por Aeroporto; 7ª em 1972, por Roy Bean, o Homem da Lei; 1ª em 1973, por A Noite Americana; 8ª em 1974, por Assassinato no Orient Express.

Anne Bancroft em “A Primeira Noite de um Homem”

15 – ANNE BANCROFT, por A Primeira Noite de um Homem

Suzy Kendall, em "Ao Mestre, com Carinho"

Suzy Kendall, em “Ao Mestre, com Carinho”

16 – SUZY KENDALL, por Ao Mestre, com Carinho

Posteriormente em Musas retroativas: 14ª em 1970, por O Pássaro das Plumas de Cristal.

Katharine Houghton em “Adivinhe Quem Vem para Jantar”

17 – KATHARINE HOUGHTON, por Adivinhe Quem Vem para Jantar

Jitka Bendova em “Trens Estreitamente Vigiados”

18 – JITKA BENDOVA, por Trens Estreitamente Vigiados

Vanessa Redgrave em “Camelot”

19 – VANESSA REDGRAVE, por Camelot

Anteriormente em Musas retroativas: 11ª em 1966, por Blow Up – Depois Daquele Beijo. Posteriormente em Musas retroativas: 12ª em 1968, por Isadora.

Sophia Loren em “A Condessa de Hong Kong”

20 – SOPHIA LOREN, por A Condessa de Hong Kong

Anteriormente em Musas retroativas: 12ª em 1954, por Duas Noites com Cleópatra e por A Invasão dos Bárbaros; 11ª em 1957, por A Lenda da Estátua Nua, por Orgulho e Paixão e por A Lenda dos Desaparecidos; 19ª em 1958, por Tentação Morena, por A Orquídea Negra, por Desejo e por A Chave; 4ª em 1960, por Duas Mulheres, por Começou em Nápoles e por The Millionairess; 14ª em 1961, por El Cid;6ª em 1962, por Boccaccio ’70; 4ª em 1963, por Ontem, Hoje e Amanhã; 8ª em 1964, por Matrimônio à Italiana e por A Queda do Império Romano; 14ª em 1966, por Arabesque. Posteriormente em Musas retroativas: 5ª em 1972, por O Homem de La Mancha.

Musas de 1966 <<
>> Musas de 1968

Anúncios

Jane Fonda em "Barbarella"

1 – JANE FONDA, por Barbarella

Anteriormente em Musas retroativas: 5ª em 1965, por Dívida de Sangue; 8ª em 1966, por Caçada Humana; 3ª em 1967, por Descalços no Parque. Posteriormente em Musas retroativas: 5ª em 1969, por A Noite dos Desesperados; 4ª em 1971, por Klute – O Passado Condena; 19ª em 1972, por Tout Va Bien; 7ª em 1977, por Julia; 2ª em 1978, em Amargo Regresso; 15ª em 1979, por Síndrome da China e por O Cavaleiro Elétrico; 13ª em 1981, por Num Lago Dourado e por Amantes & Finanças.

O strip-tease na gravidade zero nos créditos iniciais de Barbarella é um dos maiores momentos eróticos do cinema. O filme não acerta tanto o tom da comédia de ficção científica, mas quem se importa? Jane Fonda estava no auge da beleza e essa abertura se tornou antológica (no decorrer do filme, ela vai tendo as roupas rasgadas a cada aventura e leva ao curto-circuito uma máquina de orgasmos!). Não foi fácil, no entanto, definir o primeiro lugar em 1968. Durante boa parte do processo de confecção da lista, o topo do pódio estava ocupado por Claudia Cardinale, como a exuberante mocinha nada inocente de Era uma Vez no Oeste. A Julieta do filme de Zeffirelli fecha o pódio e vale o destaque para a francesinha Claudine Longet, encantadora em Um Convidado Bem Trapalhão e para a musa nacional Leila Diniz, que aparece em sétimo. Primeira aparição: Olivia Hussey, Linda Harrison, Claude Jade, Helena Ignez, Barbra Streisand, Liv Ullman. Última aparição: Claudia Cardinale, Leila Diniz, Vanessa Redgrave, Joanne Woodward. Única aparição: Claudine Longet, Lee Meredith, Christinne Noonan, Regina Duarte, Nacy Sinatra. Brasileiras na lista: Leila Diniz, Regina Duarte.

2 – CLAUDIA CARDINALE, por Era uma Vez no Oeste

Anteriormente em Musas retroativas: 17ª em 1960, por Rocco e Seus Irmãos; 11ª em 1961, por A Moça com a Valise; 1ª em 1963, por , por O Leopardo e por A Pantera Cor-de-Rosa; 4ª em 1966, por Os Profissionais.

3 – OLIVIA HUSSEY, por Romeu & Julieta

Posteriormente em Musas retroativas: 13ª em 1977, por Jesus de Nazaré.

4 – CLAUDINE LONGET, por Um Convidado Bem Trapalhão

5 – LINDA HARRISON, por O Planeta dos Macacos

Posteriormente em Musas retroativas: 15ª em 1970, por De Volta ao Planeta dos Macacos.

6 – JACQUELINE BISSET, por Bullitt

Anteriormente em Musas retroativas: 14ª em Cassino Royale. Posteriormente em Musas retroativas: 3ª em 1970, por Aeroporto; 7ª em 1972, por Roy Bean, o Homem da Lei; 1ª em 1973, por A Noite Americana; 8ª em 1974, por Assassinato no Orient Express.

7 – LEILA DINIZ, por Edu, Coração de Ouro

Anteriormente em Musas retroativas: 1ª em 1967, por Todas as Mulheres do Mundo.

8 – LEE MEREDITH, por Primavera para Hitler

9 – JULIE ANDREWS, por A Estrela

Anteriormente em Musas retroativas: 17ª em 1964, por Mary Poppins e por Não Podes Comprar o Meu Amor; 7ª em 1965, por A Noviça Rebelde. Posteriormente em Musas retroativas: 8ª em 1970, por Lili, Minha Adorável Espiã; 20ª em 1982, por Victor ou Victoria.

10 – FAYE DUNAWAY, por Crown, o Magnífico

Anteriormente em Musas retroativas: 4ª em 1967, por Bonnie & Clyde – Uma Rajada de Balas. Posteriormente em Musas retroativas: 17ª em 1970, por Pequeno Grande Homem; 14ª em 1973, por Os Três Mosqueteiros; 10ª em 1974, por A Vingança de Milady, por Chinatown e por Inferno na Torre; 5ª em 1975, por Três Dias do Condor; 5ª em 1976, por Rede de Intrigas.

11 – BRIGITTE BARDOT, por Shalako

Anteriormente em Musas retroativas: 15ª em 1952, por Manina; 1ª em 1956, por E Deus Criou a Mulher; 3ª em 1958, por Amar É Minha Profissão e por Vingança de Mulher; 5ª em 1960, por A Verdade; 2ª em 1963, por O Desprezo; 6ª em 1965, por Viva Maria!. Posteriormente em Musas retroativas: 10ª em 1973, por Se Don Juan Fosse Mulher.

12 – VANESSA REDGRAVE, por Isadora

Anteriormente em Musas retroativas: 11ª em 1966, por Blow Up – Depois Daquele Beijo; 19ª em 1967, por Camelot.

13 – CLAUDE JADE, por Beijos Proibidos

Posteriormente em Musas retroativas: 11ª em 1970, por Domicílio Conjugal.

14 – CHRISTINE NOONAN, por Se…

15 – HELENA IGNEZ, por O Bandido da Luz Vermelha

Posteriormente em Musas retroativas: 19ª em 1969, por A Mulher de Todos; 20ª em 1970, por Copacabana, Mon Amour.

16 – REGINA DUARTE, por Lance Maior

17 – BARBRA STREISAND, por Funny Girl A Garota Genial

Posteriormente em Musas retroativas: 17ª em 1969, por Alô, Dolly!; 16ª em 1973, por Nosso Amor de Ontem; 15ª em 1975, por Funny Lady.

18 – JOANNE WOODWARD, por Rachel, Rachel

Anteriormente em Musas retroativas: 8ª em 1957, por As Três Máscaras de Eva; 19º em 1959, por The Fugitive Kind; 20ª em 1961, por Paris Vive à Noite.

 

19 – LIV ULLMAN, por A Hora do Lobo e por Vergonha

Posteriormente em Musas retroativas: 9ª em 1972, por Gritos e Sussurros.

20 – NANCY SINATRA, por O Bacana do Volante

 


LEIA MAIS:

Musas de 1967 <<
>> Musas de 1969

1 – CATHERINE DENEUVE, por Tristana– Uma Paixão Mórbida

Anteriormente em Musas retroativas: 10ª em 1964, por Os Guarda-Chuvas do Amor; 2ª em 1965, por Repulsa ao Sexo; 2ª em 1967, por A Bela da Tarde e por Duas Garotas Românticas; 4ª em 1969, por A Sereia do Mississipi. Posteriormente em Musas retroativas: 4ª em 1980, por O Último Metrô; 1ª em 1983, por Fome de Viver.

Quando Catherine Deneuve está na briga, a concorrência sofre. Ela foi, para Buñuel, a mulher que desencadeava o desejo de seu protetor e se submetia a ele em Tristana. Nele, supera a mocinha do romance jovem daquele ano: Ali MacGraw, por Love Story. Jacqueline Bisset, de aeromoça em Aeroporto, fecha o pódio. A lista tem vários nomes pouco usuais em filmes de grandes diretores: Claude Jade, em Domicílio Conjugal, de Truffaut; e a californiana Daria Halprin, que fez o esquisito Zabriskie Point para Antonioni, e depois só fez mais um filme. Dois diretores brasileiros emplacaram duas musas cada: Walter Hugo Khouri, com a francesa Genevieve Grad (de rosto belíssimo) e Rossana Ghessa, em O Palácio dos Anjos; e Júlio Bressane, com Helena Ignez e Líllian Lemmertz, em Copacabana Mon Amour. Florinda Bolkan também é brasileira, mas de carreira internacional:  chegou à lista pelo italiano Investigação Sobre um Cidadão Acima de Qualquer Suspeita.

2 – ALI MACGRAW, por Love Story – Uma História de Amor

Posteriormente em Musas retroativas: 4ª em 1972, por Os Implacáveis.

3 – JACQUELINE BISSET, por Aeroporto

Anteriormente em Musas retroativas: 14ª em Cassino Royale; 5ª em 1968, por Bullitt. Posteriormente em Musas retroativas: 7ª em 1972, por Roy Bean, o Homem da Lei; 1ª em 1973, por A Noite Americana; 8ª em 1974, por Assassinato no Orient Express.

4 – GENEVIEVE GRAD, por O Palácio dos Anjos

5 – INGRID PITT, por Carmilla, a Vampira de Karnstein

Posteriormente em Musas retroativas: 12ª em 1971, por Condessa Drácula; 13ª em 1973, por O Homem de Palha.

6 – SALLY KELLERMAN, por M.A.S.H.

7 – FLORINDA BOLKAN, por Investigação sobre um Cidadão Acima de Qualquer Suspeita

8 – JULIE ANDREWS, por Lili, Minha Adorável Espiã

Anteriormente em Musas retroativas: 17ª em 1964, por Mary Poppins e por Não Podes Comprar o Meu Amor; 7ª em 1965, por A Noviça Rebelde; 9ª em 1968, por A Estrela.

9 – STEFANIA SANDRELLI, por O Conformista

Anteriormente em Musas retroativas: 6ª em 1961, por Divórcio à Italiana. Posteriormente em Musas retroativas: 4ª em 1974, por Nós que Nos Amávamos Tanto; 16ª em 1983, por A Chave.

10 – DARIA HALPRIN, por Zabriskie Point

11 – CLAUDE JADE, por Domicílio Conjugal

Anteriormente em Musas retroativas: 13ª em 1968, por Beijos Proibidos.

12 – JENNIFER O’NEILL, por Rio Lobo

Posteriormente em Musas retroativas: 5ª em 1971, por Verão de 42.

13 – LILLIAN LEMMERTZ, por Copacabana, Mon Amour

Posteriormente em Musas retroativas: 14ª em 1975, por Lição de Amor.

11-Suzy Kendall-b

14 – SUZY KENDALL, por O Pássaro das Plumas de Cristal

Anteriormente em Musas retroativas: 16ª em 1967, por Ao Mestre, com Carinho.

12-Linda Harrison-b

Linda Harrison em “De Volta ao Planeta dos Macacos”

15 – LINDA HARRISON, por De Volta ao Planeta dos Macacos

Anteriormente em Musas retroativas: 5ª em 1968, por O Planeta dos Macacos.

16 – ROSSANA GHESSA, por O Palácio dos Anjos

17 – FAYE DUNAWAY, por Pequeno Grande Homem

Anteriormente em Musas retroativas: 4ª em 1967, por Bonnie & Clyde – Uma Rajada de Balas; 10ª em 1968, por Crown, o Magnífico. Posteriormente em Musas retroativas: 14ª em 1973, por Os Três Mosqueteiros; 10ª em 1974, por A Vingança de Milady, por Chinatown e por Inferno na Torre; 5ª em 1975, por Três Dias do Condor; 5ª em 1976, por Rede de Intrigas.

18 – ELIZABETH TAYLOR, por Jogo de Paixões

Anteriormente em Musas retroativas: 18ª em 1952, por Ivanhoé, o Vingador do Rei; 4ª em 1954, por No Caminho dos Elefantes e por A Última Vez que Vi Paris; 3ª em 1956, por Assim Caminha a Humanidade; 1ª em 1958, por Gata em Teto de Zinco Quente; 1ª em 1959, por De Repente, no Último Verão; 2ª em 1960, por Disque Butterfield 8; 3ª em 1963, por Cleópatra; 15ª em 1965, por Adeus às Ilusões.

19 – SHIRLEY MACLAINE, por Os Abutres Têm Fome

Anteriormente em Musas retroativas: 11ª em 1955, por O Terceiro Tiro e por Artistas e Modelos; 11ª em 1956, por A Volta ao Mundo em 80 Dias; 18ª em 1958, por Deus Sabe Quanto Amei, por Irresistível Forasteiro e por A Mercadora da Felicidade; 9ª em 1960, por Se Meu Apartamento Falasse e por Can Can; 12ª em 1961, por Infâmia; 11ª em 1963, por Irma la Douce; 10ª em 1969, por Charity, Meu Amor.

Helena Ignez e Lílian Lemmertz em “Copacabana Mon Amour”

20 – HELENA IGNEZ, por Copacabana, Mon Amour

Anteriormente em Musas retroativas: 15ª em 1968, por O Bandido da Luz Vermelha; 19ª em 1969, por A Mulher de Todos.

Musas de 1969 <<
>> Musas de 1971

Marilyn Chambers em “Atrás da Porta Verde”

1 – MARILYN CHAMBERS, por Atras da Porta Verde

Uma atriz pornô nas musas retroativas – e em primeiro lugar?! Bem, esta é diferente. Ou, aparentemente, deixou de ser com o tempo (não acompanho o mercado, apenas leio as notícias), mas era quando estrelou Atrás da Porta Verde, um clássico absoluto do gênero. No começo dos anos 1970, a pornografia era algo ainda mais de submundo do que é hoje. Então, imaginemos o choque que deve ter sido quando uma garota bonita e delicada, típica de comercial de sabonete – e que realmente era a estrela de um comercial de sabonete chamado Ivory Snow (não por acaso, o cartaz do filme a chamava de all-american girl) – de repente apareceu em um filme sendo sequestrada e forçada a participar de pesados jogos eróticos em cima de um palco. Tudo explícito, incluindo cenas com um negro (lembremos que o racismo naquele tempo era ainda mais forte do que hoje). Este faz parte da tríade de filmes pornôs que jogaram luz sobre o gênero: os outros são Garganta Profunda, 1972, e O Diabo na Carne de Miss Jones, 1973; nenhum deles, no entanto, tinha uma protagonista tão bonita quanto Marilyn Chambers. Nas outras posições, atenção para a primeira aparição de uma deusa na lista: Sophia Loren. Além do destaque para um filme-mito do cinema erótico-cabeça: Maria Schneider em Último Tango em Paris. Houve espaço até para uma diva soviética!

Maria Schneider em “Último Tango em Paris”

2 – MARIA SCHNEIDER, por Último Tango em Paris

Posteriormente em Musas retroativas: 4ª em 1975, por Profissão: Repórter.

Diane Keaton em “Sonhos de um Sedutor”

Diane Keaton em “O Poderoso Chefão”

3 – DIANE KEATON, por Sonhos de um Sedutor e por O Poderoso Chefão

Posteriormente em Musas retroativas: 4ª em 1973, por Dorminhoco; 3ª em 1974, por O Poderoso Chefão – Parte II; 1ª em 1975, por A Última Noite de Boris Gruschenko; 1ª em 1977, por Noivo Neurótico, Noiva Nervosa e por À Procura de Mr. Goodbar; 10ª em 1979, por Manhattan; 19ª em 1981, por Reds.

Ali MacGraw em “Os Implacáveis”

4 – ALI MACGRAW, por Os Implacáveis

Anteriormente em Musas retroativas: 2ª em 1970, por Love Story – Uma História de Amor.

Sophia Loren em “O Homem de La Mancha”

5 – SOPHIA LOREN, por O Homem de La Mancha

Anteriormente em Musas retroativas: 12ª em 1954, por Duas Noites com Cleópatra e por A Invasão dos Bárbaros; 11ª em 1957, por A Lenda da Estátua Nua, por Orgulho e Paixão e por A Lenda dos Desaparecidos; 19ª em 1958, por Tentação Morena, por A Orquídea Negra, por Desejo e por A Chave; 4ª em 1960, por Duas Mulheres, por Começou em Nápoles e por The Millionairess; 14ª em 1961, por El Cid; 6ª em 1962, por Boccaccio ’70; 4ª em 1963, por Ontem, Hoje e Amanhã; 8ª em 1964, por Matrimônio à Italiana e por A Queda do Império Romano; 14ª em 1966, por Arabesque; 20ª em 1967, por A Condessa de Hong Kong.

Simonetta Stefanelli em “O Poderoso Chefão”

6 – SIMONETTA STEFANELLI, por O Poderoso Chefão

Jacqueline Bisset em “Roy Bean, o Homem da Lei”

7 – JACQUELINE BISSET, por Roy Bean, o Homem da Lei

Anteriormente em Musas retroativas: 14ª em Cassino Royale; 5ª em 1968, por Bullitt; 3ª em 1970, por Aeroporto. Posteriormente em Musas retroativas: 1ª em 1973, por A Noite Americana; 8ª em 1974, por Assassinato no Orient Express.

Senta Berger em “A Moral de Ruth Halbfass”

8 – SENTA BERGER, por A Moral de Ruth Halbfass

Anteriormente em Musas retroativas: 6ª em 1969, por O Insaciável Marquês de Sade.

Liv Ullman em “Gritos e Sussurros”

9 – LIV ULLMAN, por Gritos e Sussurros

Anteriormente em Musas retroativas: 19ª em 1968, por A Hora do Lobo e por Vergonha.

Liza Minnelli em “Cabaret”

10 – LIZA MINNELLI, por Cabaret

Romy Schneider em “Ludwig, o Último Rei da Bavária”

11 – ROMY SCHNEIDER, por Ludwig, o Último Rei da Bavária

Anteriormente em Musas retroativas: 18ª em 1955, por Sissi; 15ª em 1957, por Sissi e Seu Destino; 15ª em 1962, por Boccaccio ’70; 16ª em 1965, por O que É que Há, Gatinha?.

Judy Bowker em “Irmão Sol, Irmã Lua”

12 – JUDY BOWKER, por Irmão Sol, Irmã Lua

Françoise Verley em “Amor à Tarde”

13 – FRANÇOISE VERLEY, por Amor à Tarde

Carol Lynley em “O Destino do Poseidon”

14 – CAROL LYNLEY, por O Destino do Poseidon

Charlotte Rampling em “Henrique VIII e Suas Seis Esposas”

15 – CHARLOTTE RAMPLING, por Henrique VIII e Suas Seis Esposas

Posteriormente em Musas retroativas: 12ª em 1974, por O Porteiro da Noite; 20ª em 1977, por Orca, a Baleia Assassina; 20ª em 1980, por Memórias.

Cybill Shepherd em “O Rapaz que Partia Corações”

16 – CYBILL SHEPHERD, por O Rapaz que Partia Corações

Anteriormente em Musas retroativas: 1ª em 1971, por A Última Sessão de Cinema. Posteriormente em Musas retroativas: 2ª em 1976, por Taxi Driver; 20ª em 1989, por O Céu Se Enganou.

Ana Maria Magalhães em “Quando o Carnaval Chegar”

17 – ANA MARIA MAGALHÃES, por Quando o Carnaval Chegar

Natalya Bondarchuks em “Solaris”

18 – NATALYA BONDARCHUKS, por Solaris

Jane Fonda em “Tout Va Bien”

19 – JANE FONDA, por Tout Va Bien

Anteriormente em Musas retroativas: 5ª em 1965, por Dívida de Sangue; 8ª em 1966, por Caçada Humana; 3ª em 1967, por Descalços no Parque; 1ª em 1968, por Barbarella; 5ª em 1969, por A Noite dos Desesperados; 4ª em 1971, por Klute – O Passado Condena. Posteriormente em Musas retroativas: 7ª em 1977, por Júlia; 2ª em 1978, por Amargo Regresso; 15ª em 1979, por Síndrome da China e por O Cavaleiro Elétrico; 13ª em 1981, por Num Lago Dourado e por Amantes & Finanças.

Hanna Schygulla em “As Lágrimas Amargas de Petra von Kant”

20 – HANNA SCHYGULLA, por As Lágrimas Amargas de Petra von Kant

Posteriormente em Musas retroativas: 12ª em 1979, por O Casamento de Maria Braun; 16ª em 1981, por Lili Marlene.

Musas de 1971 <<
>> Musas de 1973

1 – JACQUELINE BISSET, por A Noite Americana

Anteriormente em Musas retroativas: 14ª em Cassino Royale; 5ª em 1968, por Bullitt; 3ª em 1970, por Aeroporto; 7ª em 1972, por Roy Bean, o Homem da Lei. Posteriormente em Musas retroativas: 8ª em 1974, por Assassinato no Orient Express.

As musas britânicas dominaram o pódio do ano de 1973, de uma maneira enviezada. Embora A Noite Americana seja um filme francês, Truffaut importou Jacqueline Bisset na terra da rainha. Julie Christie, terceira colocada, nasceu, na verdade, na Índia, mas é de ascendência inglesa. E Britt Ekland, a medalha de prata, apesar do trocadilhoso nome “Britt” e de ter feito filmes na Inglaterra, é, na verdade, sueca. Bisset foi uma das mulheres mais lindas do final dos anos 1960 e dos anos 1970. Em condições normais de temperatura e pressão, seria batida com dificuldade. Por isso, Truffaut nem teve que fazer muito esforço para emplacá-la como campeã do ano. Como nossa lista anda do fim para o começo, é preciso registrar a primeira aparição de uma das maiores musas de todos os tempos: Brigitte Bardot, por seu último filme.

2 – BRITT EKLAND, por O Homem de Palha

Anteriormente em Musas retroativas: 8ª em 1971, por Carter, o Vingador. Posteriormente em Musas retroativas: 5ª em 1974, por 007 contra o Homem com a Pistola de Ouro; 15ª em 1976, por Casanova & Company.

3 – JULIE CHRISTIE, por Inverno de Sangue em Veneza

Anteriormente em Musas retroativas: 1ª em 1965, por Doutor Jivago e também por Darling, a que Amou Demais; 2ª em 1966, por Fahrenheit 451;10ª em 1971, por Jogos & Trapaças – Onde os Homens São Homens. Posteriormente em Musas retroativas: 2ª em 1975, por Shampoo.

Diane Keaton em "Dorminhoco"

4 – DIANE KEATON, por Dorminhoco

Anteriormente em Musas retroativas: 3ª em 1972, por Sonhos de um Sedutor e por O Poderoso Chefão. Posteriormente em Musas retroativas: 3ª em 1974, por O Poderoso Chefão – Parte II; 1ª em 1975, por A Última Noite de Boris Gruschenko; 1ª em 1977, por Noivo Neurótico, Noiva Nervosa e por À Procura de Mr. Goodbar; 10ª em 1979, por Manhattan; 19ª em 1981, por Reds.

5 – JANE SEYMOUR, por Com 007 Viva e Deixe Morrer

Posteriormente em Musas retroativas: 10ª em 1980, por Em Algum Lugar do Passado.

6 – SYDNE ROME, por Quê?

7 – RAQUEL WELCH, por Os Três Mosqueteiros

Anteriormente em Musas retroativas: 1ª em 1966, por Um Milhão de Anos Antes de Cristo e por Viagem Fantástica; 13ª em 1967, por O Diabo É Meu Sócio. Posteriormente em Musas retroativas: 6ª em 1974, por A Vingança de Milady; 5ª em 1977, por O Príncipe e o Mendigo.

8 – MONIQUE VAN DER VEN, por Louca Paixão

Malicious 23

9 – LAURA ANTONELLI, por Malícia

Posteriormente em Musas retroativas: 2ª em 1977, por Esposamante.

Brigitte Bardot e Jane Birkin em “Se Don Juan Fosse Mulher”

10 – BRIGITTE BARDOT, por Se Don Juan Fosse Mulher

Anteriormente em Musas retroativas: 15ª em 1952, por Manina; 1ª em 1956, por E Deus Criou a Mulher; 3ª em 1958, por Amar É Minha Profissão e por Vingança de Mulher; 5ª em 1960, por A Verdade; 2ª em 1963, por O Desprezo; 6ª em 1965, por Viva Maria!; 11ª em 1968, por Shalako.

11 – MARGOT KIDDER, por Irmãs Diabólicas

Posteriormente em Musas retroativas: 7ª em 1978, por Superman – O Filme; 8ª em 1979, por Terror em Amityville; 7ª em 1980, por Superman II.

12 – JANE BIRKIN, por Se Don Juan Fosse Mulher

Anteriormente em Musas retroativas: 20ª em 1966, por Blow Up – Depois Daquele Beijo. Posteriormente em Musas retroativas: 12ª em 1976, por Paixão Selvagem.

13 – INGRID PITT, por O Homem de Palha

Anteriormente em Musas retroativas: 5ª em 1970, por Carmilla, a Vampira de Karstein; 12ª em 1971, por Condessa Drácula.

14 – FAYE DUNAWAY, por Os Três Mosqueteiros

Anteriormente em Musas retroativas: 4ª em 1967, por Bonnie & Clyde – Uma Rajada de Balas; 10ª em 1968, por Crown, o Magnífico; 17ª em 1970, por Pequeno Grande Homem. Posteriormente em Musas retroativas: 10ª em 1974, por A Vingança de Milady, por Chinatown e por Inferno na Torre; 5ª em 1975, por Três Dias do Condor; 5ª em 1976, por Rede de Intrigas.

15 – VERA FISCHER, por A Super Fêmea

Posteriormente em Musas retroativas: 14ª em 1974, por As Delícias da Vida e As Mulheres que Fazem Diferente; 8ª em 1981, por Eu Te Amo e por Bonitinha, mas Ordinária; 5ª em 1982, por Amor, Estranho Amor; 10ª em 1983, por Perdoa-me por Me Traíres; 19ª em 1984, por Amor Voraz; 13ª em 1989, por Doida Demais.

16 – BARBRA STREISAND, por Nosso Amor de Ontem

Anteriormente em Musas retroativas: 17ª em 1968, por Funny Girl – A Garota Genial; 17ª em 1969, por Alô, Dolly!. Posteriormente em Musas retroativas: 15ª em 1975, por Funny Lady.

17 – NATHALIE BAYE, por A Noite Americana

18-glenda-jackson.jpg

18 – GLENDA JACKSON, por Um Toque de Classe

Anteriormente em Musas retroativas: 9ª em 1969, por Mulheres Apaixonadas.

19-Cindy Williams

19 – CINDY WILLIAMS, por Loucuras de Verão

20 – DARLENE GLÓRIA, por Toda Nudez será Castigada

 


LEIA MAIS:

Musas de 1972 <<
>> Musas de 1974

Miou-Miou em “Corações Loucos”

1 – MIOU-MIOU, por Corações Loucos

Posteriormente em Musas retroativas: 11ª em 1975, por Trinity e Seus Companheiros.

Os filmes-catástrofe eram os grande campeões de bilheteria nessa primeira metade dos anos 1970. Três deles escalaram musas nessa lista: Inferno na Torre, Aeroporto 75 e Terremoto. Mas o primeira colocação ficou com o cinema francês: Miou-Miou e o rebelde Corações Loucos (que ainda emplacou mais uma: Isabelle Huppert). E em James Bnd sempre podemos coinfiar: 007 contra o Homem com a Pistola de Ouro não é nem de longe um dos melhores da série, mas rendeu duas musas : Maud Adams (que voltaria à série em 1983, em 007 contra Octopussy) e, principalmente, Britt Ekland, nossa número 5.

Teri Garr em “O Jovem Frankenstein”

2 – TERI GARR, por O Jovem Frankenstein

Posteriormente em Musas retroativas: 8ª em 1977, por Alguém Lá em Cima Gosta de Mim e por Contatos Imediatos do Terceiro Grau; 18ª em 1982, por Tootsie e por O Fundo do Coração.

Diane Keaton em “O Poderoso Chefão – Parte II”

3 – DIANE KEATON, por O Poderoso Chefão – Parte II

Anteriormente em Musas retroativas: 3ª em 1972, por Sonhos de um Sedutor e por O Poderoso Chefão; 4ª em 1973, por Dorminhoco. Posteriormente em Musas retroativas: 1ª em 1975, por A Última Noite de Boris Gruschenko; 1ª em 1977, por Noivo Neurótico, Noiva Nervosa e por À Procura de Mr. Goodbar; 10ª em 1979, por Manhattan; 19ª em 1981, por Reds.

Stefania Sandrelli em “Nós que Nos Amávamos Tanto”

4 – STEFANIA SANDRELLI, por Nós que nos Amávamos Tanto

Anteriormente em Musas retroativas: 6ª em 1961, por Divórcio à Italiana; 9ª em 1970, por O ConformistaPosteriormente em Musas retroativas: 16ª em 1983, por A Chave.

Britt Ekland em “007 contra o Homem com a Pistola de Ouro”

5 – BRITT EKLAND, por 007 contra o Homem com a Pistola de Ouro

Anteriormente em Musas retroativas: 8ª em 1971, por Carter, o Vingador; 2ª em 1973, por O Homem de Palha. Posteriormente em Musas retroativas: 15ª em 1976, por Casanova & Company.

Raquel Welch em “A Vingança de Milady”

6 – RAQUEL WELCH, por A Vingança de Milady

Anteriormente em Musas retroativas: 1ª em 1966, por Um Milhão de Anos Antes de Cristo e por Viagem Fantástica; 13ª em 1967, por O Diabo É Meu Sócio; 7ª em 1973, por Os Três Mosqueteiros. Posteriormente em Musas retroativas: 5ª em 1977, por O Príncipe e o Mendigo.

Goldie Hawn em “Louca Escapada”

7 – GOLDIE HAWN, por Louca Escapada

Anteriormente em Musas retroativas: 12ª em 1969, por Flor de Cacto. Posteriormente em Musas retroativas: 3ª em 1975, por Shampoo; 7ª em 1976, por O Corujão e a Gatinha; 11ª em 1978, por Golpe Sujo.

Jacqueline Bisset em “Assassinato no Orient Express”

8 – JACQUELINE BISSET, por Assassinato no Orient Express

Anteriormente em Musas retroativas: 14ª em Cassino Royale; 5ª em 1968, por Bullitt; 3ª em 1970, por Aeroporto; 7ª em 1972, por Roy Bean, o Homem da Lei; 1ª em 1973, por A Noite Americana.

Adriana Prieto em “Ainda Agarro Esta Vizinha”

9 – ADRIANA PRIETO, por Ainda Agarro Esta Vizinha

Anteriormente em Musas retroativas: 16ª em 1971, por Lúcia McCartney e por Soninha Toda Pura.

Faye Dunaway em “A Vingança de Milady”

Faye Dunaway em “Chinatown”

Faye Dunaway em “Inferno na Torre”

10 – FAYE DUNAWAY, por A Vingança de Milady, por Chinatown e por Inferno na Torre

Anteriormente em Musas retroativas: 4ª em 1967, por Bonnie & Clyde – Uma Rajada de Balas; 10ª em 1968, por Crown, o Magnífico; 17ª em 1970, por Pequeno Grande Homem; 14ª em 1973, por Os Três Mosqueteiros. Posteriormente em Musas retroativas: 5ª em 1975, por Três Dias do Condor; 5ª em 1976, por Rede de Intrigas.

Isabelle Huppert em “Corações Loucos”

11 – ISABELLE HUPPERT, por Corações Loucos

Posteriormente em Musas retroativas: 19ª em 1991, por Madame Bovary.

Charlotte Rampling em “O Porteiro da Noite”

12 – CHARLOTTE RAMPLING, por O Porteiro da Noite

Anteriormente em Musas retroativas: 15ª em 1972, por Henrique VIII e Suas Seis Mulheres. Posteriormente em Musas retroativas: 20ª em 1977, por Orca, a Baleia Assassina; 20ª em 1980, por Memórias.

Susan Sarandon em “A Primeira Página”

13 – SUSAN SARANDON, por A Primeira Página

Posteriormente em Musas retroativas: 8ª em 1975, por Rocky Horror Show; 8ª em 1978, por Menina Bonita; 9ª em 1980, por Atlantic City; 19ª em 1983, por Fome de Viver; 18ª em 1988, por Sorte no Amor; 12ª em 1990, por Loucos de Paixão; 9ª em 1991, por Thelma & Louise.

Vera Fischer em “As Delícias da Vida”

14 – VERA FISCHER, por As Delícias da Vida e por As Mulheres que Fazem Diferente

Anteriormente em Musas retroativas: 15ª em 1973, por A Super Fêmea. Posteriormente em Musas retroativas: 8ª em 1981, por Eu Te Amo e por Bonitinha, mas Ordinária; 5ª em 1982, por Amor, Estranho Amor; 10ª em 1983, por Perdoa-me por Me Traíres; 19ª em 1984, por Amor Voraz; 13ª em 1989, por Doida Demais.

Madeline Kahn em “Banzé no Oeste”

15 – MADELINE KAHN, por Banzé no Oeste e por O JOvem Frankenstein

Maud Adams em “007 contra o Homem com a Pistola de Ouro”

16 – MAUD ADAMS, por 007 contra o Homem com a Pistola de Ouro

Genevieve Bujold em “Terremoto”

17 – GENEVIEVE BUJOLD, por Terremoto

Anteriormente em Musas retroativas: 13ª em 1969, por Ana dos Mil Dias.

Karen Black em “Aeroporto 75”

18 – KAREN BLACK, por Aeroporto 75

Magali Noel em “Amarcord”

19 – MAGALI NOEL, por Amarcord

Talia Shire em “O Poderoso Chefão – Parte II”

20 – TALIA SHIRE, por O Poderoso Chefão – Parte II

Posteriormente em Musas retroativas: 19ª em 1976, por Rocky, um Lutador.

Musas de 1973 <<
>> Musas de 1975

Sigam-me os bons (no Twitter)

agosto 2019
D S T Q Q S S
« jul    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Cenas da Vida

Páginas

Estatísticas

  • 1.334.387 hits
Anúncios